PRÉ MODERNISMO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PRÉ MODERNISMO por Mind Map: PRÉ MODERNISMO

1. Início XX, marcado por conflitos internacionais, que teve como resultado a 1° guerra mundial.

2. Surgiu no Brasil na época de transição da republica da espada para a republica das Oligarquias.

3. O Brasil foi governado por fazendeiros cafeiros de SP e por minas.

4. Brasil: acontecimentos. A elite dominava a republica velha, a economia era na lavoura cafeira e pecuaria. Regiões do Brasil se industrializavam, havia o crescimento dos imigrantes europeus, e os negros recém libertos.

5. Camada mais pobre: escravos, imigrantes e poletários.

6. As pessoas começaram a desejar um país perante a igualdade e justiça, mas não aconteceu então surgiram varios conflitos socias: nordeste: guerra dos canudos, RJ: vacina, SP: greve dos operários, Sul: guerra do consestado.

7. Escritores: liberais e fazem críticas sobre os problemas sociais. Inspiraram os modernistas de 1922.

8. Não é caracterizado como uma escola literária, pois apresenta produções artísticas ou literárias distintas. Período do modernismo e simbolismo.

9. É uma fase de transição, tem traços conservador, realistas e neturalistas, renovador: os escritores analisavam a realidade brasileira de sua época.

10. Características do período: denuncias e investigações sobre realidades da poluição; aproximar obras literárias da população; marginalização dos personagens principais; linguagem informal, o sicrestismo estetico, regionalismo, retratação de fatos politicos economicos e sociais.

10.1. MONTEIRO LOBARTO. nasceu em Taubé. Escritor Pré modernista: regionalismo, denuncias, desigualdades. Ele é irônico, sentimental e confuso e critico e conservador.

11. JECA TATU (Monteiro Lobarto) caricatura do cabloco indolente, que representa um homem típico das regiões. Nomeado "URUPÊS" nos 14 contos Lobarto mostra a visão dele como fazendeiro rico, falando do caipira, que para ele é um preguicoso, mas ele não reconhece que as condicões sociais é que fazem ele ser assim. Mostra um personagem que a civilização o desconhece e critica e o oprime.

11.1. A literatura era um passatempo das elites. Tornou-se instrumentos de denuncia. Entre os poderosos autores e obras se destacou: Eudiles da Cunha (os portões), Lobardo (Orupês), Barutos (triste fim de policaupe quaresma) e Augusto dos Anjos (eu e outras pessoas)