Disciplina Psicologia Experimental

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Disciplina Psicologia Experimental por Mind Map: Disciplina Psicologia Experimental

1. Metodologia Quantitativa de pesquisa em psicologia

1.1. Teoria e método: Como é feita a ciência, como são desenvolvidas as pesquisas em psicologia.

1.1.1. Diferença do conhecimento científico para outras formas de conhecimento

1.2. Ética em pesquisa

1.3. Variáveis de uma pesquisa: Variáveis independentes (causa), variáveis dependentes (consequência/ efeito/ resposta), variáveis intervenientes (medeiam a relação entre VI e VD).

1.4. Delineamento de pesquisa: Pesquisa não experimental (observacional, não há manipulação de variáveis); Pesquisa experimental (Há manipulação da variável independente, estabelece relações de causa/ efeito); Pesquisa quase experimental (Manipulação da VI, sem atingir todos os critérios de rigor metodológico de um experimento, por exemplo, sem grupos randomizados, sem controlar todas as variáveis)

2. Análise Experimental do Comportamento

2.1. Conteúdos digitais

2.2. Variáveis que tem uma relação com o comportamento observável

2.2.1. Leis comportamentais se aplicam para seres humanos e modelos animais (em níveis de complexidade distintos considerando a espécie)

2.2.1.1. Behaviorismo Radical: Corrente teórica-filosófica

2.2.1.1.1. Análise experimental do comportamento

2.2.1.1.2. Análise aplicada do comportamento

2.3. Por meio de experimentos, analisa (e testam) como as leis do behaviorismo radical aparecem na prática

2.4. Conceitos importantes: Comportamento respondente, operante, processos de modelagem e extinção. Análise funcional ou análise de contingências Análise do comportamento aplicada

3. Trabalho da disciplina: Objetivo: Realizar uma pesquisa em psicologia experimental AV1: Elaborar o projeto de pesquisa: O que será feito -> Descrever que iremos simular um experimento por meio do Sniff, o rato virtual. O experimento terá como objetivo avaliar o impacto das diferentes contingências (reforço positivo, punição positiva e extinção operante) no responder de pressionar a barra do Sniff. Atividades do experimento em sala de aula -> Resultados de pesquisa AV2: Elaborar o relatório da pesquisa: Descrever e analisar os resultados da pesquisa

4. Variáveis

4.1. Relação entre variáveis: Na hipótese de pesquisa eu acredito que uma variável pode estar relacionada/ causar uma outra variável

4.2. Variável independente: Causa uma outra variável

4.3. Variável dependente: Sofre o efeito da variável independente

4.4. Se de fato existir uma relação de causa e efeito: Uma alteração na minha VI vai causar uma mudança na minha VD

4.5. Componentes de uma pesquisa: Operacionaliza os nossos focos de estudo

4.6. A variável interveniente impacta a relação entre VI e VD

5. Variável independente

6. Variável dependente

7. Variável interveniente

8. Variável Independente: Contingências

9. Variável dependente: Comportamento do Sniff

10. Hipótese: As diferentes contingências (reforço positivo, punição positiva e extinção operante) vão impactar no comportamento do Sniff.

11. Delineamentos de pesquisa

11.1. Possibilidades metodológicas para fazer uma pesquisa

11.2. Vão se diferenciar quanto a manipulação (ou não) das variáveis e quanto ao nível de controle que conseguimos ter em relação as variáveis intervenientes

11.3. Delineamento não experimental: Descritivo, identifica associação entre variáveis, não estabelece relação de causa e efeito. FOTO.

11.3.1. Covariação: Capaz de identificar se as variáveis estão associadas

11.4. Delineamento experimental: Busca identificar relações causais por meio da realização de experimentos controlados.

11.4.1. Manipula a VI e avalia se a manipulação da VI teve um impacto na VD (Se a VI é modificada a VD se modifica junto?)

11.4.2. Controle das possíveis variáveis intervenientes: Única diferença entre o grupo controle e o grupo experimental é a manipulação da VI

11.4.3. Grupo experimental: Grupo no qual há a manipulação da VI Grupo controle: Grupo de comparação

11.4.4. Randomização (distribuição aleatória) para definir quais participantes vão para o grupo experimental e quais participantes vão para o grupo controle

11.5. Delineamento quase experimental: Há a manipulação da VI, porém não são atingidos todos os critérios para ser considerado um experimento verdadeiro. Por exemplo: Não há um controle rígido das possíveis variáveis intervenientes ou/e Não há randomização dos participantes

12. Objetivo de pesquisa -> Hipótese -> Teste da hipótese (método) -> Resultados -> Novas construções teóricas

13. Comportamento Respondente

13.1. Condicionamento respondente

14. Estímulo

14.1. Resposta

15. Comportamento Operante

15.1. Condicionamento Operante

16. Resposta

16.1. Consequência

16.1.1. Reforço Positivo

16.1.1.1. Aumenta a probabilidade pela inserção de um estímulo

16.1.1.2. Extinção: O comportamento que foi reforçado deixa de ter a consequência reforçadora

16.1.2. Reforço Negativo

16.1.2.1. Aumenta a probabilidade pela retirada de um estímulo aversivo

16.1.3. Punição Positiva

16.1.3.1. Diminui a probabilidade pela inserção de um estímulo aversivo

16.1.4. Punição Negativa

16.1.4.1. Diminui a probabilidade pela retirada de um estímulo reforçador

17. Habilidades sociais (VI)

18. Desempenho acadêmico (VD)

19. Variável interveniente: Comportamento de solicitar ajuda

20. Pontos importantes para a AV2

21. Validade de um estudo

21.1. O quanto o estudo é verdadeiro e o quanto eu posso acreditar nos resultados

21.1.1. Validade Interna

21.1.1.1. Verdade dentro do estudo

21.1.1.2. O quanto a metodologia do estudo foi adequada aos meus objetivos, o que indica o quanto os resultados são confiáveis em termos metodológicos.

21.1.2. Validade Externa

21.1.2.1. Verdade fora do contexto do estudo/ da pesquisa

21.1.2.2. O quanto os resultados do estudo podem ser GENERALIZADOS para outros contextos e realidades (que não são as do estudo)

21.1.2.3. Experimentos de laboratório com um rigoroso controle de variáveis podem ter uma validade externa baixa