Anos iniciais do século XX na América Latina

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Anos iniciais do século XX na América Latina por Mind Map: Anos iniciais do século XX na América Latina

1. Influência dos EUA

1.1. No começo do século XX, Theodore Roosevelt, presidente dos EUA (1901-1909) adotou uma política que se tornou o símbolo do imperialismo sobre a América Latina. Segundo a influência estadunidense, a política do big stick deveria de estabelecer prioritariamente de maneira pacífica, porém de houvesse resistência, poderia haver uma intervenção armada.

1.1.1. Mesmo após o fim do governo de Roosevelt, os estados unidos não pararam com suas ações intervencionistas. Direta ou indiretamente, o país ainda tenta manter ou estabelecer controle sobre o continente americano durante quase todo o século XX.

2. Características gerais

2.1. A maior parte da América Latina se tornou independente por volta de 1824, porém, seus líderes ainda precisavam unificar seus países e reconstruir a economia destruída pela guerra. Esses países recém-criados dependiam da venda de seus produtos agrícolas e minerais no mercado mundial. Como poucas indústrias foram criadas nos países latino-americanos, os problemas econômicos da região continuaram até o século XX.

3. Revolução Mexicana

3.1. A Revolução Mexicana (1910) foi uma insurreição armada ocorrida no México, de caráter liberal e popular, formada por dissidentes do governo, camponeses e indígenas, e teve como objetivo a reforma agrária, a modernização da economia, a defesa dos direitos dos povos nativos e a defesa da autonomia nacional. Historicamente, costuma ser descrita como o acontecimento político e social mais importante do século XX no México.

3.2. A principal consequência da Revolução Mexicana foi a promulgação da Constituição de 1917, onde está previsto:

3.3. O direito de expropriação de terras pelo Estado, para fins de Reforma Agrária; o reconhecimento do direito indígena sobre as terras ancestrais; a criação do salário mínimo e da jornada de trabalho de oito horas diárias; a separação definitiva entre Estado e Igreja.

4. Cuba

4.1. No início do século XX, Cuba era uma neo-colônia norte-americana. Desgastada com a administração corrupta e claramente favorável ao capital estrangeiro, o povo começava a se inquietar de maneira preocupante para a metrópole. Sofrendo pelo altos níveis de inflação gerada pela Primeira Guerra Mundial e tendo sua economia baseada na monocultura da cana-de-açúcar, sendo os Estados Unidos seu comprador quase exclusivo, a Grande Depressão de 1929, deixou claro que a situação em Cuba era muito frágil, já que 70% de sua economia era controlada pelo capital americano.

4.1.1. A Revolução Cubana foi um processo revolucionário que aconteceu em Cuba, uma ilha localizada no Caribe, em 1959. Esse processo foi conduzido por um movimento guerrilheiro que atuava de uma região remota da ilha chamada Sierra Maestra e teve como lideranças Fidel Castro e Ernesto “Che” Guevara. Os guerrilheiros cubanos que a princípio conduziam um movimento revolucionário nacionalista, foram os responsáveis por derrubar a ditadura de Fulgêncio Batista.

5. Panamá

5.1. Os Estados Unidos, aproveitando-se do Tratado do Canal, firmado em 1903, apropriaram-se de uma área ao redor da via aquática (Zona do Canal do Panamá), convertendo-a em um território com jurisdição subordinada a eles, até 1977, e ocupando-a militarmente, até 1999. Os enfrentamentos diplomáticos e políticos da época culminaram, em 1964, com uma insurreição popular que modificou a relação entre os dois países. Esse período também foi caracterizado pela aparição de uma classe média ascendente, possuidora de altos níveis educacionais, com serviços de saúde, desenvolvimento urbano e gosto pelo consumismo. Nesse período, a classe média conseguiu criar partidos que irromperam com relativo êxito nas lutas pelo poder.

6. Nicarágua

6.1. A disputa entre liberais e conservadores transformaram a Nicarágua em um típico exemplo da fragilidade das instituições políticas concebidas após os processos de independência da América Colonial. Entre 1856 e 1857, o desgaste provocado pelos vários conflitos civis permitiu que o aventureiro britânico Willian Walker comandasse rapidamente aquela nação. Após o incidente, as disputas políticas continuaram e foram visivelmente marcadas pela intervenção política britânica e norte-americana.

6.1.1. A ação norte-americana incitou uma revolução popular que conseguiu retirar Adolfo Díaz, candidato apoiado pelos EUA, do posto presidencial. Durante a década de 1990, os governos liberais da Nicarágua alcançaram alguns tímidos sinais de recuperação econômica. Contudo, várias questões sociais históricas do país ainda aguardavam por uma resolução mais contundente. Nesse contexto, o histórico líder sandinista Daniel Ortega assumiu o posto presidencial nicaraguense prometendo contornar a lastimável situação dos menos favorecidos no país.

7. El salvador

7.1. El Salvador tornou-se independente da Espanha em 1821, mas ainda continuava unida ao México. Somente em 1856, o país tornou-se, de fato, independente.

7.1.1. conturbada história desse pequeno país da América Central, ao longo de todo século XX, foi marcada por sucessivos golpes de Estado, eleições fraudulentas, forte repressão à oposição e graves violações aos direitos humanos. Essa conjuntura desencadeou uma guerra civil que durou doze anos (1980-1994). No final da década de 1980, um quarto do território era dominado pelos guerrilheiros, e os esquadrões de morte agiam intensamente na região. Com o apoio da ONU (Organização das Nações Unidas), em 1992, foi assinado um acordo de paz.