PRONOMES PESSOAIS - MATHEUS DORNAS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PRONOMES PESSOAIS - MATHEUS DORNAS por Mind Map: PRONOMES PESSOAIS - MATHEUS DORNAS

1. CASO OBLÍQUO

1.1. Os pronomes pessoais do caso oblíquo assumem, maioritariamente, a função de objeto direto ou objeto indireto, podendo ser tônicos ou átonos.

1.1.1. Pronomes pessoais oblíquos tônicos

1.1.1.1. Os pronomes pessoais oblíquos tônicos são sempre precedidos de uma preposição, como: para, a, de e com. Devem ser usados quando, na frase, o substantivo que substituem tem função de objeto indireto. As formas contraídas comigo, contigo, conosco,… podem ainda assumir a função de adjunto adverbial de companhia.

1.1.1.2. Pronomes pessoais oblíquos tônicos:

1.1.1.3. 1.ª pessoa do singular - mim, comigo

1.1.1.4. 2.ª pessoa do singular - ti, contigo

1.1.1.5. 3.ª pessoa do singular - ele, ela, si, consigo

1.1.1.6. 1.ª pessoa do plural - nós, conosco

1.1.1.7. 2.ª pessoa do plural - vós, convosco

1.1.1.8. 3.ª pessoa do plural - eles, elas, si, consigo

1.1.1.9. Exemplos de uso dos pronomes oblíquos tônicos

1.1.1.10. Você comprou esta blusa para mim? (objeto indireto)

1.1.1.11. Você sabe que eu gosto de ti. (objeto indireto)

1.1.1.12. Amanhã vou ao cinema contigo. (adjunto adverbial)

1.1.2. Pronomes pessoais oblíquos átonos

1.1.2.1. Os pronomes pessoais oblíquos átonos não são precedidos de uma preposição. Podem ser usados quando, na frase, o substantivo que substituem tem função de objeto direto (o, a, os, as, se) ou de objeto indireto (lhe, lhes). Pronomes pessoais oblíquos átonos 1.ª pessoa do singular - me 2.ª pessoa do singular - te 3.ª pessoa do singular - o, a, se, lhe 1.ª pessoa do plural - nos 2.ª pessoa do plural - vos 3.ª pessoa do plural - os, as, se, lhes Exemplos de uso dos pronomes oblíquos átonos Eu comprei-o numa loja no centro da cidade. (objeto direto) Meu pai não a viu em lugar nenhum. (objeto direto) O diretor ligou-lhe, mas ele não atendeu o telefone. (objeto indireto) A professora não lhes deu mais nenhuma oportunidade. (objeto indireto) Colocação dos pronomes oblíquos átonos A ligação dos pronomes pessoais oblíquos átonos aos verbos pode ser feita através de: próclise (antes do verbo): não me ofereceram. mesóclise (intercalado no meio do verbo): oferecer-nos-ão. ênclise (depois do verbo): ofereceram-me. Alterações nos pronomes oblíquos átonos Conforme o verbo a que estão ligados, os pronomes pessoais oblíquos átonos podem sofrer alterações. Quando a forma verbal termina em -r, -s ou -z, os pronomes oblíquos átonos assumem as formas lo, la, los, las: Ela vai seduzi-lo rapidamente. E o bolo? Tu faze-lo bem? Os papéis? Ele trá-los amanhã de manhã. Quando a forma verbal termina em -m ou noutro som nasal, os pronomes oblíquos átonos assumem as formas no, na, nos, nas: Fizeram-nos esperar muito! Eles esperam-na apenas amanhã.

2. CASO RETO

2.1. Pronomes pessoais retos são aqueles que substituem os substantivos, assumindo maioritariamente a função de sujeito da oração. Podem, contudo, assumir também a função de predicativo do sujeito.

2.1.1. OS PRONOMES SÃO:

2.1.2. 1.ª pessoa do singular - eu

2.1.3. 2.ª pessoa do singular - tu

2.1.4. 3.ª pessoa do singular - ele, ela

2.1.5. 1.ª pessoa do plural - nós

2.1.6. 2.ª pessoa do plural - vós

2.1.7. 3.ª pessoa do plural - eles, elas

2.2. Os pronomes pessoais do caso reto indicam ainda as pessoas do discurso, ou seja, quem fala (eu e nós), com quem se fala (tu e vós) e de quem se fala (ele, ela, eles, elas).

2.2.1. EXEMPLO

2.2.2. Eu escrevi o texto.

2.2.3. Tu escreveste o texto.

2.2.4. Ele escreveu o texto.

2.2.5. Nós escrevemos o texto.

2.2.6. Vós escrevestes o texto.

2.2.7. Eles escreveram o texto.

2.3. Omissão dos pronomes pessoais retos

2.3.1. Para que se evitem repetições desnecessárias, pode ocorrer a omissão do pronome pessoal do caso reto nos enunciados, uma vez que a pessoa do discurso é marcada pela desinência verbal indicada pelos pronomes pessoais do caso reto.

2.3.2. Cursei veterinária, mas nunca segui a profissão. (eu)

2.3.3. Passeamos muito no domingo passado. (nós)

2.3.4. Gostaste do jogo? (tu)

2.4. Pronomes pessoais retos enquanto predicativo do sujeito

2.4.1. Os pronomes pessoais retos podem assumir a função de predicativo do sujeito nos predicados nominais, havendo a existência de um verbo de ligação. Este verbo deverá concordar com o pronome pessoal reto que desempenha a função de predicativo do sujeito.

2.4.2. Exemplos com função de predicativo do sujeito:

2.4.3. A responsável sou eu.

2.4.4. A responsável é ela.

2.5. Dúvidas na utilização dos pronomes pessoais do caso reto

2.5.1. Em alguns casos, é fácil confundir se deve ser usado um pronome pessoal reto ou um pronome pessoal oblíquo. Para eu, para tu, para mim e para ti As expressões para eu e para tu deverão ser usadas quando assumem a função de sujeito, sendo seguidas de uma ação, ou seja, de um verbo no infinitivo. Façam silêncio para eu telefonar para este cliente. Para eu fazer isso, vou precisar da sua ajuda. Vê se tem algum erro para tu corrigires. É errado dizer “Ela comprou este caderno para eu.” ou “Ela comprou este caderno para tu.”. Não se pode usar preposição com os pronomes retos eu e tu. Com preposições têm que ser usados os pronomes oblíquos correspondentes: mim e ti. Ela comprou este caderno para mim. Ela comprou este caderno para ti. Vi ele, ajudei ele, encontrei ele ou vi-o, ajudei-o, encontrei-o É comum ouvirmos, na linguagem oral, as seguintes construções frásicas: “Ajudei ele na arrumação do armário.” e “Encontrei ela na praia.”. Contudo, estas construções estão erradas! Nestas frases, os pronomes ele e ela não se referem ao sujeito da ação, por isso não podem ser utilizados pronomes pessoais do caso reto. Têm que ser usados os pronomes oblíquos correspondentes: o e a. Ajudei-o na arrumação do armário. Encontrei-a na praia.