ASPECTOS FISIOLÓGICOS EM CIRURGIA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ASPECTOS FISIOLÓGICOS EM CIRURGIA por Mind Map: ASPECTOS FISIOLÓGICOS EM CIRURGIA

1. O Cirurgião têm contato restrito com o paciente e não se ocupa de suas necessidades psicológicas.

2. Diante da perspectiva da cirurgia e aspectos psicológicos, todo paciente sente a necessidade de ter contato com o médico antes de toda e qualquer intervenção cirúrgica, pois este contato torna-se essencial ao paciente em busca de confiança e alívio. O paciente não se sentirá confortável estando em mãos de um completo estranho.

2.1. A não relação entre o médico e o paciente poderá gerar ansiedade, angústia, ameaça. O paciente pode visualizar a cirurgia como um risco, e principalmente ter medo da morte.

3. MEDOS DO PACIENTE

4. CENTRO CIRÚRGICO X CÂMARA DE TERROR

5. Algumas das características de riscos psicológicos são: Antecedência de descompensação psicótica (como doenças psiquiátricas); Recusa pela cirurgia (pode ser pânico ou angústia); Relação exageradamente difícil com a equipe (podendo ser alta exigência, críticas ou característica de intolerância própria. O paciente aguarda resultados milagrosos; Diagnóstico duvidoso e indicação cirúrgica duvidosa; Apresenta pouca ou exagerada ansiedade pré-operatória

6. Evitar comentários ansiogênicos ao paciente como aparelho defeituoso, medicamento em falta; É preciso dizer palavras de encorajamento ao paciente, que lhe cause ânimo e coragem; Caso seja necessário, o paciente poder acompanhar até o centro cirúrgico; Evitar o adiamento da cirurgia.

7. Evitar ambiguidade (processo de chegada ao centro cirúrgico, equipe, funções, anestesia, pós-cirúrgico e enfermaria, tempo de internação); Evitar anonimato (conhecer cirurgião e anestesista antes da cirurgia); Evitar isolamento (não reprimir sentimentos); É preferível que todo o preparo seja efetuado pelo cirurgião, anestesista e psicólogo. É essencial que as informações sejam passadas ao paciente adequadamente e suficientes, para que sejam compreensíveis, levando-se em conta o tipo de intervenção.

8. SUGESTÕES SOBRE A PREPARAÇÃO

9. RECOMENDAÇÕES ESSENCIAIS DA PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA:

10. Toda preparação psicológica tem como objetivo: Controlar a ansiedade trazendo informações adequadas e suficientes; impor um clima de confiança entre o paciente e o médico e permitir ao paciente de verbalizar fantasmas suscitados pela perspectiva cirúrgica.

11. A preparação psicológica para o procedimento cirúrgico é realizada através da anamnese ou algum roteiro de preparação, buscando saber antecedentes cirúrgicos de familiares do paciente, e toda a ideia sobre como o paciente viabiliza a doença, o que espera da cirurgia e do resultado.

12. O paciente poderá utilizar-se também de mecanismos de defesa inconscientes como adaptação à cirurgia, como: Denegação (por exemplo, o paciente pode referir não ter apreensão e trata como algo formal. Regressão: o paciente pode apresentar passividade e submissividade; Intelectualização: nesse caso, o paciente indentifica-se com o cirurgião. Ele documenta-se sobre a doença, comenta sobre estatísticas e resultados do laboratório.

13. Dentre os medos do paciente, destacam-se: medo de sofrer durante a intervenção cirúrgica; medo de sentir-se mal ao acordar; medo de sofrer mutilação enquanto estiver inconsciente; medo de acordar durante a cirurgia ou de não acordar; fantasma da agressão sexual; medo de perder o controle e revelar segredos pessoais.

14. O paciente manifesta-se por medo da morte, mutilação ou dor; apresenta incerteza quanto ao futuro; ele se isola, tem sensações de ser impotente; desenvolve ansiedade pelo fato de estar num ambiente estranho; há presença de assistentes impessoais e insensíveis; e há violação de intimidade, intromissão, perante ao se corpo.

15. O Cirurgião deverá conter um traço de personalidade decisivo, seguro e corajoso, demonstrando assim bom senso, técnica, responsabilidade e competência.

15.1. O paciente viabiliza o cirurgião como superior aos demais médicos, como um "poderoso chefão", altruísta. sádico, agressivo, endeusado e salvador, embora também seja repreendido se chegar a errar em algo.

15.1.1. Em casos de ansiedade e angústia, o paciente poderá apresentar manifestações neurovegetativas, ver a situação de forma negativa, obter alterações de comportamento, calma superficial e instabilidade motora.