Embriologia Animal

MAPA EMBRIOLOGIA ANIMAL - MEL FERNANDA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Embriologia Animal por Mind Map: Embriologia Animal

1. A embriologia é a especialidade da biologia que estuda a formação dos órgãos e sistemas de um animal, a partir de uma célula.

2. O desenvolvimento embrionário nos organismos pluricelulares é muito semelhante, a ponto de ser resumido em três fases distintas: segmentação, gastrulação e histogênese ou organogênese. Vamos usar como modelo da embriogênese o desenvolvimento de um protocordado, anfioxo, esse animal apresenta um ovo semelhante ao da maioria dos mamíferos, oligolécito.

3. Segmentação A segmentação caracteriza-se por uma série de divisões mitóticas a partir da ativação do zigoto. A primeira divisão do zigoto ocorre num plano longitudinal e se estende de um polo ao outro, formando duas novas células chamadas de blastômeros. A partir daí, ocorrem sucessivas divisões, originando 4, 8, 16 até 32 novos blastômeros, formando um agrupamento celular semelhante a uma amora, que é o estágio de mórula.

4. Gastrulação Consiste na formação de uma nova figura embrionária, chamada gástrula, originada da massa celular da blástula. O processo de gastrulação não é igual em todos os cordados, mas sempre ocorre a transformação de uma blástula de um embrião em uma gástrula constituída de três camadas (folhetos ou tecidos embrionários): o ectoderme, o mesoderme e o endoderme.

5. No anfioxo, nosso modelo para o processo básico da embriogênese, a gastrulação ocorre por um mecanismo de migração celular de um dos polos da blastoderme para o interior da blastocele, chamada gastrulação por embolia. A invaginação se acentua de maneira que a blastocele vai desaparecendo, como se você pegasse uma bexiga um pouco vazia, e com a mão fechada, empurras­se a sua parede para o interior, como se fosse um embolo.

6. Nesse momento vão se formar os dois primeiros folhetos embrionários: um mais externo, o ectoderme, e outro mais interno, o endoderme, que está reves­tindo uma nova cavidade do embrião, o arquêntero, o qual vai formar o novo tubo digestório do embrião em desenvolvimento. O arquêntero já apresenta uma comunicação com o meio externo, o blastóporo. De acordo com o desen­volvimento do blastóporo, os animais podem ser classificados em protostômios ou deuterostômios. Nos protostômios o blastóporo origina a boca, e o ânus surge de uma abertura secundária, como acontece com a maioria dos animais.