NÃNA MORENO trajetórias e influências na dança

Mapa Genealógico das trajetórias e influências na dança

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
NÃNA MORENO trajetórias e influências na dança por Mind Map: NÃNA MORENO trajetórias e influências na dança

1. Samantha Spin (2019)

2. Edgar Fortunato (2019)

2.1. #PraCima

3. SESC, Gama-DF

4. UnB

4.1. Forró nos corredor do ICC

4.2. Dança de Salão (2/2010)

4.2.1. Larissa Chaperman e Ronny Dutra

4.2.2. Samba

4.2.3. Bolero

4.2.4. Salsa

4.2.5. Tango

4.3. Salsa (2012)

4.3.1. Pedro Mariano (2012-2013)

4.3.2. Oswaldo Solis, Guatemala (2013)

4.3.3. Corazón Salsero (2012 - 2014)

5. Dança Popular Pernambucana

5.1. Mestre Jorge Marino Carvalho

5.1.1. Nascimento do Passo

5.2. Mestre Parajito

5.3. Passistas de Brasília (2012 - 2015)

5.4. Frevo (2012-2014)

5.5. Coco

5.6. Xaxado

5.7. Bioenergética

6. Dança de Salão

6.1. Pedro Saulo (2011 - 2016)

6.1.1. Estudo

6.1.2. Parceria

6.1.3. Eventos

6.1.4. #oceunaoeolimite #adancaeocaminho

6.2. Michel Gomes (2011-2012)

6.2.1. Estudo

6.3. Alex Gomes (2013)

6.3.1. Bolero

6.3.2. Samba

6.3.3. Forró

6.4. Jaime Arôxa (2013 - 2015, 2019)

6.4.1. Workshop (2013,2014, BSB)

6.4.2. Curso de Professores (2016, RJ)

6.4.3. Grupo de Estudo (2017, BSB)

6.5. Oscar Ricard (2014)

6.5.1. Tango

6.6. SambaManíacos (2014, RJ)

6.6.1. Flávia Teixeira e Vinícius Villinger

6.6.2. Viviane Soares e Kadu Vieira

6.7. Ramón Oliveira (2014-2015)

6.7.1. Boleros na Madrugada (2014)

6.7.2. Coreografia de Bolero (2015) [APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA]

6.8. Dark Lion (2014)

6.8.1. Zouk

6.9. Vitor Avelar (2015)

6.9.1. Samba

6.10. Emmanuel Sócrates (2016)

6.10.1. Samba

6.10.2. Forró

6.11. Salão In Cena (2015)

6.11.1. Artístico-Coreográfico

6.12. Jimmy de Oliveira (2017)

6.12.1. Global Samba (2017, RJ)

6.12.2. Oficina do Samba (2018, RJ)

6.12.3. Grupo de Estudos Samba de Gafieira (André Barcellos, BSB, Setembro 2018)

6.13. Melquíades Hernandez, Cuba (2020)

6.13.1. Salsa

6.13.2. Dança Cubana

6.14. Ricardo Lira

6.14.1. Apresentações de Dança

6.14.1.1. SESC Seresta 2018 [APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA]

6.14.2. Projetos Culturais

6.14.2.1. Espetáculo Percepção Urbana, FAC (2018) [PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA]

6.15. SAMBA

7. Dança Negra Contemporânea

7.1. ITANS - Formação de Multiplicadores e Criação em Dança Negra Contemporânea (Julho 2019 - Março 2020)

7.2. Júlio Cesar Pereira (2019)

8. Heart Dance Terapy (2017)

8.1. Tatchi Matz (2017)

9. Dança Circular

9.1. Roda do Parque (Julho 2018)

9.1.1. Liga Acadêmica de Saúde e Espiritualidade (Liase UnB)

9.2. Gwin Peterdi (Novembro 2018, GO)

9.3. Claúdia Prado (2018, GO)

9.3.1. 1a. focalização (08/12/2018, GO)

9.3.2. 1a. coreografia - Clareia [COREOGRAFIA]

9.4. Simpósio Internacional Nos Passos dos Ancestrais (Novembro 2018, GO)

9.4.1. Marie Gabriele Wosien

9.5. Isabel Zago (2019)

9.5.1. Girando Gratidão (2019-2020)

9.6. Christian von Jakitsch (2019)

9.6.1. Danças para Gaia (2019-2020)

9.7. Workshop Sol e Lua

9.7.1. Stefan e Bethan Freedman, Inglaterra (2019)

9.8. Curso de Férias (Escola Pedro Saulo, Julho, 2019) [CURSO]

9.9. Autocuidado em Movimento, ConectaIF, 27/08/2019 [OFICINA]

9.10. Roda no Parque (Parque da Cidade, Estacionamento 10, 08/12/2019) [EVENTO]

9.11. Retiro de Yoga e Danças Circulares (Novembro, 2019) [EVENTO]

9.12. YOGA.MÚSICA.COMIDA.DANÇA (02/02/2020) [EVENTO]

9.13. Adriana Bisconsin

9.13.1. Giraflor

9.13.2. Experiências Dançantes Online (2020)

9.13.2.1. Cirandinhas (2020-2021)

9.13.2.2. Turma III (2020)

9.13.2.3. Caminho Meditativo (2020)

9.13.2.4. Mandalas em Movimento (2020)

9.13.2.5. Formação Inicial (2020)

9.13.3. Mandalas em Movimento (Livro, 2019)

9.14. Cristina Bonetti

9.14.1. Centro Livre de Arte (2021, GO)

9.14.2. Curso de Formação e Capacitação EaD (2021)

10. Dança Sênior

10.1. Isabel Zago (2019)

10.2. Curso de Formação Básico (2019)

10.3. Curso de Formação em Dança Sentada (2019)

11. Sling Dance

11.1. Mariana Russo (2019)

11.1.1. Curso de Formação

12. Charme

13. HulaHoop

14. Jazz (1996)

14.1. Apresentação de Coreografia

14.2. 2 meses de aula

15. IFB

15.1. Profa. Suse Martinelli (2019)

15.1.1. Escola do Coração

15.2. Profa. Sabrina Cunha (2019)

15.2.1. Yoga

15.3. Profa. Raquel Purper (2019)

15.3.1. Diário de Bordo

15.4. Profa. Mariana Mota (2020)

15.4.1. Criatividade em aulas

15.5. Profa. Elisa Texeira

15.5.1. Movimento e Conteúdo

15.6. Prof. Diego Pizarro (2020)

15.6.1. Ler, escrever

15.6.2. Movimento, Dança e Conteúdo

16. Um corpo é uma escrita corporal. Seus hábitos e posturas, gestos e manifestações, cada ação de suas diversas regiões, áreas e partes - tudo isso emerge a partir de práticas culturais, verbais ou não, que constroem o sentido corporal. (Susan Leigh Foster. Coreografando a história,1995)

16.1. Danças Populares Pernambucanas

16.2. Heart Dance Terapy

16.3. IFB

16.4. Dança Circular

17. Quais corpos escrevem? Corpos dotados de poder? Corpos escravizados? Corpos dóceis? Corpos rebeldes? Corpos escuros? Corpos pálidos? Corpos exóticos? Corpos virtuosos? Corpos femininos? Corpos masculinos? Corpos triunfantes? Corpos desaparecidos? (Susan Leigh Foster. Coreografando a história,1995)

18. como a perspectiva e a percepção humanas mudaram quando ficamos de pé. Quando levantamos, passamos a ser bípedes e andar sobre dois apoios somente... (Michel Serres)

18.1. IFB

19. Descolonizar gestos, atos e a língua com que nomeamos o mundo. (Silvia Rivera Cusicanqui, 2010)

19.1. Dança Negra Contemporânea

19.2. IFB

19.3. Jaime Arôxa

20. Culturas da diáspora negra em movimento, sua inserção na história e nas dinâmicas sociais criadas e recriadas a partir das realidades vividas e alteradas por seus sujeitos. (Luciane da Silva. CORPO EM DIÁSPORA: Colonialidade, pedagogia de dança e técnica Germaine Acogny, 2017)

20.1. Samba

20.2. Danças Pernambucana

20.3. Salsa

21. "Reconheço como lugar de conhecimento e experiência da pessoa em sociedade, um sistema de relações sensíveis".

22. "Busco a compreensão do corpo como rede material e de energias, como perspectiva de mundo e lugar do conhecimento"

23. Compreendemos gesto como uma categoria que mobiliza a esfera do movimento e do corpo vivido. Além do corpo anatômico, há as relações que se estabelecem no corpo, em seus contextos e os universos de significado criados a partir de então. Sendo capaz de agir, de ter intenção e de ser atravessado pelas mais diferentes sensações, o gesto estabelece a concretude dessas relações e imbui o movimento de comunicação. (Merleau Ponty. Fenomenologia da percepção. 1999)

23.1. PROFESSORAR

24. "Estou apta a lidar com as complexidades do mundo".

25. "Me disponibilizo par relações intersubjetivas e produção de conhecimento muito além dos limites estritos".

26. ... não se trata de um caminho de inversão de ordens, mas de ampliação das formas de ser. (Luciane da Silva. CORPO EM DIÁSPORA: Colonialidade, pedagogia de dança e técnica Germaine Acogny, 2017)

27. "Que espaços se abram para que outras referências sejam construídas".

28. ... reforma cultural a partir do uso dos gestos, linguagens, simbologias e signos oriundos dessas culturas para retomar os sensos de totalidades desarticulados pela modernidade e pelo capitalismo, buscando conhecer com o corpo. (Silvia Rivera Cusicanqui, 2010)

29. Rudolf Laban e Dalcroze - dança rítmica.

29.1. Dança Sênior

29.2. Dança Circular

29.3. Dança de Salão

29.4. Dança Negra Contemporânea

30. Respiração profunda, respiração natural Estudo sobre equilíbrio

30.1. Jaime Arôxa

30.2. IFB

30.3. SAMBA

30.4. Dança Circular

31. DANÇAS: dança de caráter erótico, a dança ativista, o corpo somatizado, ecocorporalidades, dança naturista, dança integral entre outros.

32. além do surgimento de um novo tipo de ator, que é, ao mesmo tempo, criador, produtor, curador e crítico de seus próprios projetos. (Soraya Maria Silva. O Naturalismo na Dança. 2017)

33. os aspectos emocionais, vitais e espirituais (no sentido de forças da natureza que impactam e afetam estados mentais) do indivíduo são levados em conta na realização da ação expressiva da dança. (Soraya Maria Silva. O Naturalismo na Dança. 2017)

34. Gilka Machado

35. Theodor Reuss (1855-1923) a dança como ritual da arte e da religião

36. Rudolf Laban (1910) fundava escola da nova vida que buscava a reforma do corpo e do espírito. Fascinado com a diversidade das danças e a variedade de movimentos e expressões corporais.

37. Isadora Duncan dança baseados na lei dos círculos harmônicos

38. processo de estilização do movimento.

39. afetos e percepções cotidianas e extras cotidianas.

40. Diversas coisas acontecendo ao mesmo tempo – ENTRELAÇAMENTO Tecitura dos acontecimentos

41. Wigman aplicou o que aprendeu com Laban sobre o espaço e acrescentou a este conceito a mística do seu instinto e um uso mais dramático dos gestos.

42. "O futuro é ancestral" (Ailton Krenak)

43. Dalcroze

44. Contra-memória e redocumentação. (André Lepecki. O corpo como arquivo - vontade de reencarnar e as sobre-vidas da dança)

45. Como pesquisar dança sem parar de dançar?

46. Delsarte System of Expression, passando pelo Genevieve Stebbins System of Physical Training de 1913 - incluíam os trabalhos de outros especialistas em atuação, ginástica, exercícios terapêuticos e antropologia.

47. Nancy Lee Chalfa Ruyter - possui treinamento em balé, dança moderna e várias formas de danças típicas. Suas publicações incluem Reformers and Visionaries: The Americanization of the Art of Dance (1979); The Cultivation of Body and Mind in 19th-Century American Delsartism (1999); e muitos outros sobre o sistema Delsarte e seus usos, dança espanhola, dança dos Bálcãs, teatro latino-americano e movimento teatral.