Farmácia Hospitalar

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Farmácia Hospitalar por Mind Map: Farmácia Hospitalar

1. Assistência Farmacêutica

1.1. Promovendo o uso racional de medicamentos e produtos para a saúde

1.2. Contribuir no processo de cuidado à saúde

1.3. Assistência prestada ao paciente de qualidade e não apenas com a provisão de produtos e serviços

2. Objetivos gerais

2.1. Planejamento; Aquisição; Análise, Armazenamento; Distribuição; Controle de medicamentos e correlatos; Administrar suas próprias atividades didáticas;

2.2. Desenvolvimento e/ou manipulação de formas magistrais ou oficiais; Produção de medicamentos e correlatos; Desenvolvimento de pesquisas; Estimular a implantação e o desenvolvimento da farmácia clínica.

3. É a unidade clínico-assistencial, técnica e administrativa, onde se processam as atividades relacionadas à assistência farmacêutica, dirigida exclusivamente por farmacêutico, compondo a estrutura organizacional do hospital e integrada funcionalmente com as demais unidades administrativas e de assistência ao paciente.

4. Atribuições da Farmácia Hospitalar (Resol. n° 492 - 26 nov. 2006)

4.1. São atribuições do farmacêutico nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde:

4.2. I- Gestão: Sendo de exclusiva responsabilidade do farmacêutico, que deve estar focada em prestar assistência farmacêutica; II- Desenvolvimento de infraestrutura; III- Preparo, distribuição, dispensação, dispensação e controle de medicamentos e produtos para a saúde;

4.2.1. Objetivos da Gestão

4.2.1.1. Garantir o abastecimento, dispensação, rastreabilidade, e uso racional d e medicamentos; Assegurar o desenvolvimento de práticas clínico-assistenciais; Monitorar a utilização de medicamentos e outras tecnologias da saúde; Otimizar a relação entre custo beneficio e risco das tecnologias e processos assistenciais; Desenvolver ações de assistência farmacêutica; Participar do aperfeiçoamento contínuo das práticas da equipe de saúde.

4.3. IV- Otimização de terapia medicamentosa; V- Informação sobre medicamentos e produtos para a saúde; VI- Ensino, educação permanente e pesquisa.

5. Competências do farmacêutico (Resol. n° 492 - 26 nov. 2006)

5.1. Coordernar técnicas para a padronização, programação ,seleção e aquisição de medicamentos, buscando a qualidade da terapia medicamentosa; Participar de procesos de qualificação quanto à medicamentos; Cumprir legislações relacionada tudo que diz respeito à medicamentos; Estabelecer sistemas eficazes de dispensação e transporte com rastreabilidade;

5.2. Participar das decisões relativas à terapia medicamentosa; Executar operações farmacotécnicas; Elaborar manuais técnicos e formulários próprios; Participar de comissões institucionais; Desenvolver e participar de ações assistenciais multidisciplinares; Atuar junto à Central de Esterilização;

5.3. Atuar junto ao setor de zeladoria hospitalar; Realizar ações de vigilância no hospital e notificar possíveis reações adversas; Promover ações de educação para o uso racional de medicamento; Exercer atividades de pesquisas; Realizar estudo e monitorar a utilização de medicamentos; Desenvolver ações de gerenciamento de riscos hospitalares;

5.4. Zelar pelo adequado gerenciamento dos resíduos; Realizar e manter registros das ações farmacêuticas, observando a legislação vigente; Orientar e acompanhar, diretamente, auxiliares na realização de ativid. nos serviços de farmácia hospitalar .

6. Tipos de Gestão

6.1. Gestão administrativa

6.1.1. Gestão de estoques; Aquisição de medicamentos; Sistemas de Distribuição de medicamentos; Organograma Funcional

6.2. Gestão clínica

6.2.1. Seleção de medicamentos; Farmacoterapia; Monitorização farmacoterapêutica; Estudos de utilização de medicamentos

7. Missão

7.1. É um instrumento para construção de consensos; estimula um deslocamento da atenção das equipes de seus problemas internos para o cliente;

7.2. Alimenta o processo de planejamento, facilitando a percepção dos problemas finais;

7.3. Estimula o uso criterioso de informações e a criação de indicadores que possibilitem o acompanhamento do desempenho da organização;

7.4. Esclarece, para os trabalhadores, a singularidade da organização e sua responsabilidade social.

8. Importância da assistência farmacêutica

8.1. Evitar erros de medicação; Diminuição do tempo de internação dos pacientes

8.2. Evitar prescrições desnecessárias de medicamentos;

8.3. Diminuição do custo e de tempo de internação dos pacientes;

8.4. Diminuição dos custos da terapia medicamentosa.