sistema cardiovascular: o coração

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
sistema cardiovascular: o coração por Mind Map: sistema cardiovascular: o coração

1. A frequência cardíaca média de um adulto saudável em repouso se mantém numa faixa entre 60 e 80 batimentos por minuto. Esse valor pode variar com a idade, com o sexo, com o condicionamento físico, com a temperatura do corpo e com algumas situações emocionais. Essa frequência é regulada por dois fatores principais: a ação do sistema nervoso e a ação de hormônios, como a adrenalina.

1.1. Quando uma pessoa está ansiosa, aflita, nervosa ou leva um susto, a adrenalina, um hormônio produzido por uma glândula que fica acima do nosso rim (conhecida como glândula adrenal ou suprarrenal), é lançada no sangue e age sobre o coração, aumentando sua frequência. É o sistema nervoso que se encarrega de levar essa frequência de volta ao patamar normal.

2. O coração bombeia o sangue oxigenado para o corpo e o sangue desoxigenado para os pulmões. E ele está localizado entre os 2 pulmões, deslocado para o lado esquerdo.

2.1. No coração humano existe um átrio e um ventrículo para cada circulação, e com ambos uma grande circulação e pulmonar, havendo 4 camaras: átrio esquerdo, ventrículo esquerdo, átrio direito e ventrículo direito. O átrio direito é a camara do lado superior direito do coração.

2.1.1. A aorta sai do ventrículo esquerdo, e a artéria pulmonar sai do lado direito, ramifica-se em duas e passa atrás da aorta.

2.1.2. Os nódulos (ou nós) sinoatrial e atrioventricular são formados por células especiais, responsáveis por gerar impulsos rítmicos, coordenando os batimentos cardíacos. São também chamados de marca-passos.

3. O ciclo cardíaco consiste em uma sequência em que os dois átrios se contraem enquanto os ventrículos estão relaxados. Em seguida, quando os ventrículos se contraem, os átrios relaxam. A fase de contração é designada sístole, e a fase de relaxamento, diástole. O ciclo é rítmico e ocorre a cada 0,8 segundo, aproximadamente.

3.1. Os dois átrios contraem-se (sístole), lançando o sangue nos seus respectivos ventrículos. Os ventrículos entram em sístole, e os átrios relaxam. Após essa contração, há um período de relaxamento, conhecido como pausa. Com a sístole dos ventrículos, o sangue venoso do lado direito sairá pela artéria pulmonar em direção ao pulmão (onde ocorrerá a troca de gases), e o sangue arterial do lado esquerdo sairá pela artéria aorta para todo o corpo.

4. Apesar de todo o sangue que passa por dentro do coração, o músculo cardíaco não retira nutrientes e oxigênio desse sangue. Os nutrientes utilizados pelo coração chegam através das artérias coronárias, que se encarregam de suprir suas demandas energéticas.

4.1. Se uma ou algumas dessas artérias ficam entupidas, regiões inteiras do coração ficam sem nutrientes e oxigênio e morrem. Dependendo da extensão dessa área morta, o coração deixa de bater adequadamente e pode ocorrer o enfarte do miocárdio. Alguns outros problemas de saúde como a hipertensão, a obesidade e o tabagismo podem agravar ainda mais esse quadro.

4.1.1. Nosso fígado é responsável pela produção de cerca de 70% do colesterol necessário ao organismo (os demais 30% são obtidos pela alimentação). Quanto maior for a ingestão de colesterol, menor será sua produção no fígado.

4.1.1.1. Por ser um lipídio, o colesterol não se mistura com água. Para ser transportado pelo nosso sangue, ele se liga a proteínas específicas, formando moléculas de lipoproteínas, classificadas de acordo com a quantidade de proteínas e de colesterol presentes em suas estruturas.

4.1.1.1.1. HDL, lipoproteína de alta densidade. Contém menos colesterol e mais proteína e remove o excesso colesterol nos tecidos circundantes, sangue e fígado. Além disso, acredita-se que tem propriedades anticoagulantes e antiinflamatórias e tem uma alta proporção no sangue. Isso está relacionado à baixa incidência de doenças cardiovasculares. Tão normalmente conhecido como colesterol "bom".

4.1.1.1.2. LDL, lipoproteína de baixa densidade. Ele contém mais colesterol e menos proteínas e transporta o colesterol do fígado para vários outros tecidos, o que pode danificar os vasos sanguíneos. É fácil de se depositar em certas artérias do coração, formando placas lipídicas (aterosclerose), que podem causar seu bloqueio a longo prazo. Sua alta incidência no sangue geralmente está relacionada a doenças coronárias e circulatórias (como aterosclerose). É frequentemente referido como colesterol "mau".