Inseticida Organofosforado

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Inseticida Organofosforado por Mind Map: Inseticida Organofosforado

1. Mecanismo de ação

1.1. inibição da ação da acetilcolinesterase ao se ligar irreversivelmente ao sitio da enzima colinesterase, impedindo a degradação da acetilcolina e, consequentemente, potencializando e prolongando a ação na fenda sináptica

2. Tipos de colinesterases humanas

2.1. pseudocolinesterase

2.1.1. Hidrolisa outros ésteres, além da acetilcolina

2.1.2. Localizada no plasma, fígado, intestinos e células Gliais.

2.1.3. Sintetizada no hepatócito

2.1.4. Renovação em 7 a 60 dias

2.2. esterase neuropática alvo

2.2.1. Localizada no tecido nervoso, linfócitos periféricos, fígado e plaquetas

2.2.2. Sua fosforilação relaciona-se com ação neurotoxica tardia de organofosforados nos nervos periféricos

2.3. acetilcolinesterase

2.3.1. Afinidade especifica para a acetilcolina

2.3.2. Localizada no tecido nervoso, junção neuromuscular e eritrócitos

2.3.3. Sintetizada durante eritropoiese

3. Síndromes causadas por intoxicação

3.1. Crise colinérgica aguda

3.1.1. Geralmente acompanhada por paralisia tipo 1

3.1.2. Início logo após absorção do composto pelo organismos

3.1.3. Hiperestimulação dos receptores de acetilcolina devido ao acumulo do neurotransmissor na fenda sináptica

3.1.4. Sintomatologia

3.1.4.1. Estimulação de receptores muscarínicos: náuseas, vômitos, diarreia, cólicas abdominais, miose, sialorreia, lacrimejamento, broncorreia, bradicardia, hipotensão.

3.1.4.2. Estimulação de receptores nicotínicos: fasciculação, redução dos reflexos tendinosos, fraqueza muscular, paralisia, tremores.

3.1.4.3. Estimulação de receptores cerebrais: confusão, depressão dos centros cardiovascular e respiratório, coma, convulsões.

3.2. Síndrome intermediária (paralisia tipo II)

3.2.1. Ocorre em 20 a 50% das intoxicações.

3.2.2. Início em 24 a 96 horas após a crise colinérgica aguda.

3.2.3. Sintomatologia

3.2.3.1. Diminuição da força muscular proximal e falência ventilatória

3.2.3.2. Não se relaciona com atividade da colinesterase

3.3. Polineuropatia tardia

3.3.1. Neuropatia sensitivomotora, que se manifesta de modo ascendente nas extremidades de membros superiores e inferiores

3.3.2. Início de uma a três semanas após a exposição aos organosfosforados

3.3.3. Caracteriza-se por formigamento e queimação dos dedos que progride para todo o membro superior, seguido por fraqueza e ataxia.

3.3.4. Os casos mais graves podem progredir para paralisia completa, dificuldade ventilatória e morte.

3.3.5. Está relacionada à inibição da enzima esterase neuropática alvo,

4. Diagnóstico

4.1. dosagem da colinesterase

5. Tratamento

5.1. terapia especifica com administração de atropina e pralidoxime

5.2. suporte ventilatório com oxigenoterapia

5.3. descontaminação gástrica por meio de lavagem intestinal

5.4. hidratação venosa

5.5. paciente em posição lateral esquerda