EMPREENDEDORISMO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
EMPREENDEDORISMO por Mind Map: EMPREENDEDORISMO

1. 1- Ambiente de Competitividade

1.1. 1.1 Diante de uma situação em meio a concorrência acirrada, cruel e desleal poderia se perguntas; não é melhor arrumar um emprego e não arriscar, mais em meio a esse cenário o que pode ocorrer , que justamente em meio a turbulências e adversidade que se aparece grandes lideres.

2. 2- Mentalidade Empreendedora

2.1. 2.1 Uma boa ideia nem sempre é sinal de empreendimento de sucesso.

2.2. 2.2 Um individuo com uma mentalidade empreendedora esta sempre a frente de seu tempo, conseguindo visualizar oportunidades onde a maioria enxerga dificuldades. E certo que onde muitos enxergam problemas , um empreendedor vê soluções.

2.3. 2.3 O empreendedor brasileiro é bem diferente de empreendedores de países desenvolvidos, pois ao contrario daqueles o brasileiro tem a necessidade de empreender.

3. 3- Empreendedorismo

3.1. 3.1 MISSÃO

3.1.1. 3.1.1 É a tradução da estratégia da empresa, que expressa o propósito da sua própria existência .

3.1.2. 3.1.2 Os valores possuem uma base ideológica de como as pessoas devem agir dentro da organização, já as regras ou normas não são apenas orientações, mas procedimentos que devem ser seguidos pelos membros da organização com risco de algum tipo de punição caso não sejam cumpridas.

3.2. 3.2 VISÃO

3.2.1. 3.2.1 Se a visão é o que eu faço, valores é quem eu sou, a visão é o que eu quero atingir. Em essência, a visão é o destino final. E a frase que sintetiza a visão é o desenho de uma paisagem futura, considerando que você atingiu seu objetivo e chegou ao seu destino

3.3. 3.3 VALORES

3.3.1. 3.3.1 Valor é aquilo que eu sou perante ao empreendimento.

4. 4- Ambiente Empreendedor

4.1. 4.1.1 Significa a atitude psicológica materializada pelo desejo de iniciar, desenvolver e concretizar um projeto, um sonho. Significa ‘ser empreendedor’. Diante desta perspectiva, reafirmamos que o empreendedorismo é algo que transcende o campo dos negócios e da economia

5. 5- Inovação

5.1. 5.1 Conhecimento

5.1.1. 5.1.1 um dos elementos para a geração é o conhecimento. Não se inova se não houver conhecimento sobre o assunto.

5.2. 5.2 Criatividade

5.2.1. 5.1.2 : a criatividade é o princípio da inovação. Sem criatividade, não se inova.

5.3. 5.3 Empreendedorismo

5.3.1. 5.1.3 O empreendedorismo é o fazer acontecer, é pôr a ideia em prática, é implementá-la

6. 6- Criatividade

6.1. 6.1 É tarefa da empresa, promover e estimular a criatividade dos colaboradores . Algumas empresas promovem cursos de ideias premiando o colaborador que deu uma ideia em determinado período de tempo. Nesse aspecto, Montana e Charnov apud Colossi (2004) destacam, por exemplo, a importância de três técnicas:

6.1.1. 6.1.1 O brainstorming: entendido como um ambiente de livre verbalização de idéias perante um problema delimitado.

6.1.2. 6.1.2 A técnica do grupo nominal: similar ao brainstorming quanto à delimitação do problema, ela é diferente quanto à forma de execução, que neste caso, se dá de maneira individual e por escrito.

6.1.3. 6.1.3 • A Técnica Delphi: consiste em enviar vários questionários a um grupo de voluntários que os responde, não se encontrando os participantes uns com os outros nem sabendo quem são

7. 7- Criatividade x Inovação

7.1. 7.1 Embora a inovação baseie-se em criatividade e invenção, o conceito é muito mais amplo. Uma invenção implica a “conversão da ideia criativa em uma forma comunicável e verificável, geralmente para atender a alguma necessidade ou realizar alguma tarefa”.

7.2. 7.2 A inovação é uma invenção que produziu valor econômico. Sem valor econômico não pode haver inovação.

8. 8- Modelo de Timmons

8.1. 8.1 O primeiro fator é a oportunidade, que deve ser avaliada para que se tome a decisão de continuar ou não com o projeto

8.2. 8.2 O segundo fator é a equipe empreendedora, ou seja, quem, além do empreendedor, estará atuando em conjunto neste projeto

8.3. 8.3 os recursos são muito importantes porque que a questão relativa à análise dos recursos necessários para o início do negócio seja a última a ser feita, para evitar que o empreende dor e sua equipe restrinjam a análise da oportunidade, a primeira das tarefas a ser realizada

9. 9- Análise de Perspectiva

9.1. 9.1 • Geração de uma ideia para uma nova empresa e/ou reconhecimento de uma oportunidade;

9.2. 9.2 Reunião dos recursos (financeiros, humanos, computacionais) necessários para desenvolver a oportunidade;

9.3. 9.3 Lançamento do novo empreendimento: - administrando o crescimento e - colhendo as recompensas

10. 10- Mercado e Oportunidade

10.1. 10.1 Uma estratégia acertada pode colocar a empresa rapidamente à frente dos demais competidores, com produtos e serviços ganhando a preferência dos clientes

10.2. 10.2 Para a identificação de uma oportunidade valiosa é importante reconhecer que existe uma oportunidade.

10.3. 10.3 O processo de desenvolver uma solução econômica para as necessidades dos clientes é complicado porque deve equilibrar duas ideias conflitantes.

11. 11- Gestão de Time

11.1. 11.1 Delegar é buscar o alcance de objetivos por meio do esforço compartilhado. O gerente transfere poderes, funções ou tarefas a outras pessoas, preservando a responsabilidade final pelos resultados. Através da delegação o gerente poderá se concentrar nas suas tarefas obtendo o máximo proveito para a empresa

11.2. 11.2 A chave para um processo sadio e eficiente de motivação, produtividade e qualidade começa com a escolha correta e coerente dos funcionários, no treinamento que se propicia, na motivação, na fiel e justa avaliação de desempenho, na transparência das relações, na valorização profissional e pessoal, nas perspectivas, no bom ambiente de trabalho, nas condições de trabalho

12. 12- Captação de Recursos

12.1. 12.1 de posse do seu plano de negócios e por consequência, da quantificação global dos investimentos e do cronograma de desembolso, define-se a forma de financiamento:

12.1.1. 12.1.1 Economia pessoal, família e amigos: É o tipo de financiamento mais comum, geralmente conseguido devido a fatores pessoais e do ambiente que cerca o empreendedor.

12.1.2. 12.1.2 Angel investor (investidor-anjo): O investidor-anjo, ou investidor pessoa física, é um capitalista de risco que possui dinheiro e busca alternativas para obter melhor rentabilidade para esse dinheiro.

12.1.3. 12.1.3 Fornecedores, parceiros estratégicos, clientes e funcionários: O empreendedor pode achar estranho o fato de encontrar fornecedores, parceiros, clientes e funcionários na lista de fontes de financiamento

12.1.4. 12.1.4 Capital de risco: O termo “capital de risco” (venture capital) nunca esteve tanto em discussão no Brasil, o que não implica estar em uso na mesma proporção.

13. 13- Modelo Job to Be Done

13.1. 13.1 O Job to be done, é uma ferramenta simples que te levará a construção de uma visão mais ampla de cada JOB (atividade) do seu produto e/ou serviço.

14. 14- Plano de Negocios

14.1. 14.1 Um plano de negócio bem preparado e fundamentado o ajudará no processo de planejamento e fornecerá objetivos bem definidos. De forma mais específica, um plano de negócio bem preparado explicará o que o novo empreendimento está tentando realizar e como alcançará as metas propostas.

14.2. 14.2 O plano de negócios é um documento usado para descrever um empreendimento e o modelo de negócio que sustenta a empresa

15. 15- Modelagem de Negocio Cansas

15.1. 15.1 O Canvas é uma tela e mostra a imagem acabada sobre a estratégia global do empreendimento, se prestando bem para apresentações objetiva, singulares, sobre a linha estratégica a ser seguida pela empresa.

16. 16- Técnicas de Apresantações de Projetos Inovadores

16.1. 16.1 Um traje refinado, o asseio pessoal e um bom hálito podem representar o sucesso na apresentação do seu projeto inovador, afinal, é o seu marketing pessoal que está sendo analisado também.