Grandes Navegações

mapa mental grandes navegações

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Grandes Navegações por Mind Map: Grandes Navegações

1. inicialmente o comércio era controlado por mercadores italianos e arabes

1.1. Os produtos comercializados eram as especiarias (pimenta, cravo, canela, gengibre, mostarda, noz-moscada, entre outros) e os artigos de luxo (tecidos de algodão da Índia, tapetes da Pérsia, seda e porcelana da China, pérolas do Japão).

1.2. Em caravanas de camelos e embarcações, os árabes traziam esses produtos do Oriente até as cidades de Cairo e Alexandria, no nordeste da África, e Tiro e Antioquia, na Ásia. Ali, os mercadores italianos compravam e revendiam na Europa com grande lucro.

2. No século XIV os portugueses já participavam do comércio de especiarias orientais pois os mercadores italianos tinham fundado entrepostos comerciais em cidade portuguesas como Porto e Lisboa

2.1. Para ampliar sua participação no rico comércio mundial de especiarias, os portugueses teriam de evitar o Mediterrâneo e buscar um novo caminho para o Oriente, navegando pelo Atlântico. A busca pelas riquezas na fonte foi o principal motor das GRANDES NAVEGAÇÕES: conjunto de viagens marítimas de longa distância feitas pelos europeus durante os séculos XV e XVI.

3. Para ampliar sua participação no rico comércio mundial de especiarias, os portugueses teriam de evitar o Mediterrâneo e buscar um novo caminho para o Oriente, navegando pelo Atlântico. A busca pelas riquezas na fonte foi o principal motor das GRANDES NAVEGAÇÕES: conjunto de viagens marítimas de longa distância feitas pelos europeus durante os séculos XV e XVI.

3.1. Para velejar em alto-mar, os europeus do século XV enfrentaram perigos reais e imaginários. Entre os perigos reais estavam os ventos desfavoráveis, a ameaça de encalhe, os lugares estranhos, a fome, a doença e a sede no interior dos navios. Os perigos imaginários também eram muitos como, por exemplo, a crença de que a terra era achatada como uma pizza, e que aquele que se afastasse muito do litoral cairia num abismo; de que na altura da linha do Equador os navios se incendiariam; de que o mar era habitado por monstros terríveis.

3.2. Por que? Eles se lançaram ao mar em busca de novos territórios, de especiarias e de metais preciosos.

4. Pioneirismo Portugues

4.1. *A centralização do poder nas mãos do rei: Portugal foi o primeiro país europeu a possuir uma monarquia centralizada: um rei com controle sobre todo o território e os habitantes do reino. *A posição geográfica, próxima ao mar *Conhecimento sobre navegação

4.2. Os portugueses iniciaram sua investida no além-mar quando D. João I organizou uma grande expedição para a conquista do norte da África, que resultou na tomada de Ceuta, em 1415, cidade na qual os italianos compravam dos árabes os produtos trazidos por eles do Oriente.

5. Cronologia

5.1. 1419 - Os portugueses chegaram à Ilha da Madeira.

5.2. 1443 - Atingiram a Ilha de Arguim, junto ao rio do Ouro e, no ano seguinte, o rio Senegal. Quatro anos depois, criaram a primeira feitoria e iniciaram o comércio com os africanos, que envolvia principalmente ouro em pó, escravizados, armas de fogo e pólvora.

5.3. 1456 - Chegaram às Ilhas do Cabo Verde e montaram engenhos de produção de açúcar utilizando mão de obra africana escravizada.

5.4. 1482 - Ergueram o castelo de São Jorge da Mina e, nesse mesmo ano, chegaram à foz do rio Zaire, iniciando a exploração do Congo.

5.5. 1488 - Bartolomeu Dias contornou o Cabo das Tormentas, situado no extremo sul da África. Para valorizar o feito, o rei de Portugal D. João II mudou o nome do local para Cabo da Boa Esperança.

5.6. 1498 - Vasco da Gama chegou a Calicute, na Índia, iniciando relações comerciais diretas com a região. Essa viagem realizava o sonho português de atingir uma das mais importantes fontes de especiarias

5.7. 1500 - D. Manuel enviou uma nova frota às Índias, sob o comando de Pedro Álvares Cabral, que chegou aonde hoje é Porto Seguro, na Bahia, em 22 de abril daquele mesmo ano.

6. Navegações Espanholas

6.1. Enquanto Portugal buscava o caminho marítimo para o Oriente navegando em direção ao leste, a Espanha, sua principal concorrente, esforçava-se para atingir o mesmo objetivo navegando para o oeste. Em 1492, os reis espanhóis Fernando e Isabel aprovaram um ousado plano do navegador genovês Cristóvão Colombo. Colombo estava disposto a chegar ao Oriente pelo Ocidente, dando a volta ao redor do mundo, pois acreditava que a Terra era redonda.

6.2. Naquele mesmo ano, ele partiu, a serviço da Espanha, com três caravelas - Santa Maria, Pinta e Niña. Durante a viagem contou com fortes ventos favoráveis à travessia do Atlântico. No dia 12 de outubro de 1492, Cristóvão Colombo desembarcou na Ilha de Guanaani (San Salvador), na América Central.

6.2.1. Como pensou ter chegado às Índias, chamou de índios os diferentes povos que habitavam essas terras há milhares de anos. O engano de Colombo foi desfeito anos depois, quando Américo Vespúcio comprovou que o continente encontrado era novo para os europeus. Em sua homenagem, o continente foi batizado de América.

7. inicialmente o comércio era controlado