Barão do Rio Branco

mapa mental barão do rio branco

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Barão do Rio Branco por Mind Map: Barão do Rio Branco

1. O Barão do Rio Branco foi um jornalista, político e diplomata brasileiro. Foi Ministro das Relações Exteriores do Brasil de 1902-1912.

2. Após conflitos armados na região, ambos países decidem submeter a disputa à arbitragem internacional. O governo brasileiro solicita ao barão do Rio Branco que escreva o dossiê que defenda os direitos do Brasil. Em abril de 1899, Brasil e França enviam seus memorandos ao presidente da Confederação Suíça. Em dezembro de 1900, o presidente suíço dá sentença favorável ao Brasil e o país incorpora 260 mil km ao seu território

3. O Barão do Rio Branco foi um jornalista, político e diplomata brasileiro. Foi Ministro das Relações Exteriores do Brasil de 1902-1912.

4. O barão do Rio Branco ainda seria ministro do Brasil junto à Alemanha. Voltaria ao Brasil a pedido do presidente Rodrigues Alves, para assumir a pasta do Ministério de Relações Exteriores. Ficou neste cargo de 1902 até a sua morte em 1912.

5. José Maria da Silva Paranhos Júnior, nasceu em 20.04.1845, no Rio de Janeiro. A casa de seus pais era ponto de encontro de políticos da época. Assim, desde a infância, o futuro barão de Rio Branco foi aprendendo a diplomacia na prática.

6. Estudou Direito nas Faculdades de São Paulo e do Recife. Seria promotor e deputado no Império. Igualmente foi jornalista escrevendo para o jornal A Nação e posteriormente, para o Jornal do Brasil.

7. O barão do Rio Branco defendia o uso da diplomacia e não da guerra para resolver os litígios de fronteira entre o Brasil e seus vizinhos.

8. Questão de Palmas – 1895 Foi o primeiro litígio resolvido com a ajuda do barão do Rio Branco. Brasil e Argentina disputavam territórios a oeste de Santa Catarina e a questão foi submetida à arbitragem internacional. O árbitro escolhido foi o presidente americano Grover Cleveland.

9. Rio Branco foi designado para ser o advogado do Brasil na questão por Floriano Peixoto em 1893. Apoiado em farta documentação e mapas, o barão do Rio Branco, provou que aquelas terras eram brasileiras e deviam ser incorporadas ao Brasil e não à Argentina

10. Durante a Guerra do Paraguai, viajou em 1869, junto com o pai, como secretário da Missão Especial ao Paraguai e à Argentina.

11. Questão do Amapá - 1899 As fronteiras do norte do Brasil também ainda não estavam definidas. Brasil e França alegavam que possuíam direito sobre parte do território do atual estado do Amapá.

12. A solução do litígio teve fim em 1903 com o Tratado de Petrópolis.

13. A gestão de Rio Branco como ministro de Relações Exteriores pode ser resumida em alguns princípios: Não se intrometer em assuntos internos dos países vizinhos. Em caso de guerra civil ou revolução num país fronteiriço, sempre apoiar o governo constitucional. Não resolver litígios por meio da força e sim da diplomacia. Aproximação dos Estados Unidos para contrapor o peso da influência europeia no continente sul-americano.

14. Após conflitos armados na região, ambos países decidem submeter a disputa à arbitragem internacional. O governo brasileiro solicita ao barão do Rio Branco que escreva o dossiê que defenda os direitos do Brasil. Em abril de 1899, Brasil e França enviam seus memorandos ao presidente da Confederação Suíça. Em dezembro de 1900, o presidente suíço dá sentença favorável ao Brasil e o país incorpora 260 mil km ao seu território