GURUS DA QUALIDADE E SUAS CONTRIBUIÇÕES

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
GURUS DA QUALIDADE E SUAS CONTRIBUIÇÕES por Mind Map: GURUS DA QUALIDADE E SUAS CONTRIBUIÇÕES

1. Walter Andrew Shewhart

1.1. Carreira

1.1.1. Ele se formou em Física pela Illinois e trabalhou por 6 anos na Western Electric Company, depois seguiu para uma filial da empresa até sua aposentadoria. Ele participou ativamente em muitas questões governamentais

1.2. Contribuições

1.2.1. Shewhart contribuiu com a introdução da estatística aos processos de garantia da qualidade, ele introduziu as Cartas de Controle, possibilitando a aplicação de métodos preventivos para garantir qualidade durante o processo de produção. O físico desenvolveu o PDCA, permitindo a padronização na gestão. A partir da Carta de controle, a criação do C.E.P. foi possível. Suas análises permitiram a noção de que a qualidade é um processo completo, desde a produção até o fim do ciclo

2. William Edwards Deming

2.1. Carreira

2.1.1. Deming se graduou em engenharia, matemática e física. Em 1928, ele trabalhou no departamento de agricultura no governo dos EUA e publicou 38 artigos sobre estatística. No ramo da qualidade, prestou serviço como professor especial do Departamento Nacional de Padronização

2.2. Contribuições

2.2.1. Deming proporcionou uma melhora grandiosa no processo da ferramenta de PDCA, sendo responsável pela sua expansão no Japão. Ele disseminou três crenças na gestão organizacional: constância de finalidade; melhoria constante e conhecimento profundo, onde suas diretrizes são fundadas em 14 princípios para a qualidade. Além disso, outra contribuição do matemático, foram as 7 doenças organizacionais que podem corromper a gerência de qualidade

3. Joseph Moses Juran

3.1. Carreira

3.1.1. Sua primeira atuação no mercado de trabalho foi no cargo de gestor da qualidade, depois, se tornou consultor de gestão. Seu trabalho de maior reconhecimento foi nas empresas japonesas, ajudando na reconstrução do país em um cenário pós-guerra-mundial, se pautando nos conceitos de qualidade total

3.2. Contribuições

3.2.1. Ele propôs dois conceitos de qualidade que são usados até os dias atuais na norma ISSO 9000. Também estabeleceu os conceitos de custos da não qualidade. Suas ideias foram muito importantes para a construção de uma visão mais voltada as necessidades do cliente. Em 1979, ele fundou o seu instituto, com atividades voltadas ao desenvolvimento de soluções na área da qualidade. Juran propôs três metodologias e a Gestão de qualidade, ambos voltados para a garantia da qualidade.

4. Kaoru Ishikawa

4.1. Carreira

4.1.1. Ishikawa se formou em engenharia química pela universidade de Tóquio, se tornando professor da mesma alguns anos depois. Dentro da área da qualidade ele iniciou sua carreira na companhia de combustível líquido Nissan e foi membro de um dos principais expoentes da qualidade no Japão. Por todas os seus feitos nessa área, foi-se criado uma premiação em sua homenagem. Ao redor do mundo, ele é considerado um dos três maiores nomes da Qualidade Mundial

4.2. Contribuições

4.2.1. Ele incentivou reuniões com indivíduos do mesmo ramo para conseguirem melhorar a qualidade de suas empresas, essa atitude ficou conhecida como Círculo de Controle de Qualidade. O diagrama de causa e efeito foi uma de suas ferramentas mais famosas e versáteis. Além disso, ele organizou um conjunto de ferramentas para empresas poderem resolver até 95% de seus problemas de qualidade

5. Armand Vallin Feigenbaum

5.1. Carreira

5.1.1. Feigenbaum se formou e trabalhou a maior parte de sua vida na General Eletric, chegando a ser Gerente de Operações de Manufatura e Controle de Qualidade por 10 anos, quando fundou com seu irmão a General Systems Company. Ele também prestou serviços à importantes órgãos de qualidade, recebendo prêmios nessas instituições

5.2. Contribuições

5.2.1. Feigenbaum definiu o termo Controle de Qualidade Total, dizendo que a responsabilidade da qualidade é de todos da empresa. Ele, após comprovar que a falta de qualidade refletia em um enorme gasto que poderia ser evitado, gerou inúmeras mudanças nos setores de produção. Ele propôs a ideia de Custo da Qualidade e o conceito de Fábrica Oculta, perdurando até os dias atuais como forma de analisar o desenvolvimento produtivo

6. Philip Crosby

6.1. Carreira

6.1.1. Após servir na Segunda Guerra Mundial e na Guerra da Coreia, ele exerceu o cargo de técnico de teste, em seguida trabalhou em outras três corporações de qualidade, chegando a ser vice-presidente corporativo de qualidade em uma delas. Já em 1972, Crosby fundou sua empresa de consultoria, além disso, ele escreveu 13 obras que são vistas como referência para a Gestão da Qualidade

6.2. Contribuições

6.2.1. Crosby afirmava que todas as ações que envolvem a Gestão da Qualidade devem ser idealizadas desde a Alta Direção, para que assim, o SGQ pudesse produzir uma boa comunicação entre os níveis hierárquicos. Para ele, o maior objetivo da Gestão da Qualidade é se ver livre de quaisquer defeitos. Ele defendia que era imprescindível que fizessem certo na primeira vez, para excluir a possibilidade de retrabalho, além disso, ele contribuiu com o surgimento do custo do não qualidade

7. Genichi Taguchi

7.1. Carreira

7.1.1. Takamachi se formou em engenharia têxtil para assumir os negócios da família, mas, em sua jornada, se interessou por estatísticas. Alguns anos depois contribuiu com experimentos industriais e foi contratado como controlador estatístico da qualidade. Ele ganhou prêmios por sua contribuição na estatística aplicada à qualidade, tendo seus métodos reconhecidos mundialmente

7.2. Contribuições

7.2.1. Sua maior contribuição foi o desenvolvimento de uma metodologia que tinha por objetivo reduzir custos e melhorar a qualidade. Na manutenção da qualidade ele usou dos conceitos de quatro elementos principais, sendo eles: Incorporar a qualidade no produto desde o início da fabricação, minimizar as variabilidades para atingir a qualidade, não basear a qualidade no desempenho ou característica do produto, medir os custos da qualidade em função dos desvios de desempenho

8. REFERÊNCIAS: RAMOS, Davidson. "Gurus da Qualidade: Armand Vallin Feigenbaum". Blog da Qualidade, 2017. Disponível em: Gurus da Qualidade: Armand Vallin Feigenbaum - Blog da Qualidade Acesso em: 10/06/2021. RAMOS, Davidson. "Gurus da Qualidade: Kaoru Ishikawa". Blog da Qualidade, 2017. Disponível em: https://blogdaqualidade.com.br/gurus-da-qualidade-kaoru-ishikawa/. Acesso em: 10/06/2021. RAMOS, Davidson. "Gurus da Qualidade: William Edwards Deming". Blog da Qualidade, 2019. Disponível em: https://blogdaqualidade.com.br/gurus-da-qualidade-william-edwards-deming/. Acesso em: 10/06/2021. RAMOS, Davidson. "Gurus da Qualidade: Walter Shewhart". Blog da Qualidade, 2017. Disponível em: https://blogdaqualidade.com.br/gurus-da-qualidade-walter-shewhart/. Acesso em: 10/06/2021. MITOSO, Gabriela. "Quem foi Philip Crosby?". 8Quali, 2021. Disponível em: https://8quali.com.br/quem-foi-philip-crosby/. Acesso em: 10/06/2021. MITOSO, Gabriela. "Joseph Moses Juran: quem foi? O que fez? Por que é tão importante?". 8Quali, 2020. Disponível em: https://8quali.com.br/joseph-moses-juran-quem-foi-o-que-fez-por-que-e-tao-importante/. Acesso em: 10/06/2021. HOLL, Isabela. "Gurus da Qualidade Total: conheça 8 grandes nomes e aprenda com eles". CAE, 2019. Disponível em: https://caetreinamentos.com.br/blog/qualidade/gurus-da-qualidade-total/. Acesso em: 10/06/2021.