AGENTES EXÓGENOS X AGENTES ENDÓGENOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
AGENTES EXÓGENOS X AGENTES ENDÓGENOS por Mind Map: AGENTES EXÓGENOS X AGENTES ENDÓGENOS

1. O que é Relevo?

2. O que é agentes endógenos do relevo?

3. O relevo passa dinamicamente por sucessivos processos de formação e transformação. Tal ocorrência é operacionalizada por diversos fatores, que são chamados de agentes de transformação do relevo. Esses agentes são subdivididos entre aqueles que se manifestam internamente e os que se manifestam externamente. No presente texto, o objetivo é explicar o funcionamento dos primeiros, os agentes endógenos de transformação do relevo. Os agentes endógenos, também chamados de agentes internos, são aqueles que atuam abaixo da superfície ou que são oriundos de fenômenos internos. Nessa categoria, podemos citar o tectonismo, o vulcanismo e os terremotos. De certa forma, todos esses fenômenos naturais estão articulados entre si e compõem, no geral, uma mesma cadeia de acontecimentos.

4. Os terremotos ou abalos sísmicos são movimentações abruptas da crosta terrestre, também causadas pela interação entre placas tectônicas, sobretudo por acomodações geológicas em pontos de contatos e a consequente liberação de energia. Eles promovem transformações abruptas no relevo, quase nunca previsíveis, embora ocorram em maior quantidade nas áreas de encontro entre duas placas. Como se pode imaginar, as áreas impactadas por esse fenômeno sofrem com muitos estragos superficiais, podendo afetar locais de habitação humana e gerar grandes tragédias com muitos mortos. Em áreas oceânicas, os impactos gerados pelos terremotos podem provocar a formação de grandes tsunamis.

5. TECTONISMO

6. O tectonismo é conceituado como o conjunto de fenômenos relativos ao movimento das placas tectônicas, que nada mais são dos que as várias fissuras pelas quais se segmenta a crosta terrestre. A interação entre as diferentes placas provoca uma série de transformações gradativas nas formas de relevo, com a alteração, em muitos casos, da composição das rochas. Em muitos casos, o choque entre duas placas tectônicas provoca a formação de áreas inclinadas e caracterizadas por serem composições geologicamente jovens, ou seja, formadas há cerca de 300 ou 400 milhões de anos. É o caso, por exemplo, da Cordilheira dos Andes (América do Sul), do Himalaia (na Ásia) e dos Alpes (na Europa), além de outros conjuntos de cadeias montanhosas, todas elas formadas em áreas de encontro entre duas placas. Em áreas onde predomina o tectonismo, podem ser formadas também as fossas oceânicas, que compõem os pontos mais profundos do oceano terrestre.

7. Nos pontos de choque e interação entre placas tectônicas é comum também a ocorrência de vulcanismos, que são importantes agentes de formação e alteração do relevo. Afinal, o magma expelido pelos vulcões na forma de lava nada mais é do que as rochas em temperaturas superiores ao ponto de fusão. Quando esse magma atinge a superfície, que apresenta temperatura ambiente, ele solidifica-se e converte-se em rochas, classificadas em ígneas extrusivas. As formas de relevo oriundas das ações do vulcanismo são também consideradas geologicamente jovens, uma vez que as áreas mais antigas com esse tipo de gênese foram desgastadas pelos agentes externos do relevo, dando origem a solos muito férteis.

8. VULCANISMO

9. TERREMOTOS

10. Os agentes exógenos do relevo são os elementos naturais que alteram as formas superficiais a partir de processos externos, como o intemperismo e a erosão.Os agentes exógenos do relevo – também chamados de agentes externos – são aqueles que atuam acima da superfície, modificando-a gradualmente pelo desgaste, na maior parte dos casos, das composições geomorfológicas superficiais. Os agentes externos do relevo mais preponderantes são as águas (fluviais, pluviais, marítimas etc.), os ventos e as alterações climáticas, que ocasionam dois principais processos: o intemperismo e a erosão. Por esse motivo, esses elementos citados são, por vezes, chamados de agentes intempéricos ou agentes erosivos.

11. A AÇÃO DA ÁGUA NO RELEVO

12. Os ventos possuem um poder de desgaste e erosão menor do que o da água, mas também geram gradativas alterações sobre o relevo terrestre. São responsáveis pelos processos de erosão eólica e também pelo transporte de sedimentos. Em muitos casos, os ventos originam belas paisagens, como rochas e composições superficiais “perfuradas” pelos ventos ao longo do tempo ou até convertidas em formas de taça.

13. AÇÃO DO CLIMA SOBRE O RELEVO

14. Da mesma forma que o relevo pode ser um fator climático, o clima também pode ser visto como um agente de transformação do modelado superficial da Terra, o que revela o caráter dinâmico e, ao mesmo tempo, dialógico entre esses elementos naturais. Sua interferência pode acontecer tanto por meios indiretos, como a distribuição das chuvas e da neve, que, por sua vez, modificam a superfície, quanto por vias diretas. As mudanças de temperatura, por exemplo, intensificam os processos de intemperismo dos solos e das rochas por interferirem em processos de dilatação térmica, o que provoca a formação de quebras ou rupturas. Períodos de secas severas e prolongadas também podem ocasionar graves impactos sobre a composição dos solos.

15. A água é um dos elementos naturais que mais provocam desgaste nos solos e nas formas de relevo, intensificando, muitas vezes, processos de sedimentação, ou seja, a transformação de grandes corpos rochosos em pequenas partículas, que são posteriormente transportadas. As águas das chuvas desgastam o relevo desde o impacto das gotas sobre os solos até a “lavagem” superficial que provoca a remoção e transporte dos sedimentos gerados. Já as águas dos rios atuam em processos erosivos ao longo de suas margens, além de serem responsáveis pelo transporte de material sedimentar das áreas continentais para os oceanos. As águas dos mares atuam, principalmente, na modificação das formas de relevo litorâneas, incluindo o processo de formação da areia das praias.

16. O que agentes exógenos?

17. AÇÃO DOS VENTOS SOBRE O RELEVO

18. NOME:Jhuan Glaubert do carmo silva TURMA: 1°A REDES

19. Relevo é o modelo de superfície do Planeta Terra. Isto é, as formas que a camada externa apresenta devido as ações dos agentes internos (endógenos) e externos (exógenos). É a base da formação de diversas paisagens existentes do planeta, pois exerce influências no clima e, consequentemente, no tipo de vegetação. A Geografia demonstra muito interesse no estudo do relevo. Isso ocorre porque esse elemento é importante para a distribuição da população, ocupação e organização do espaço geográfico. Outras áreas do conhecimento também se importam com o estudo do relevo, mas a ciência que o utiliza como assunto principal é a Geomorfologia, aliada à Geologia, que estuda as formas do relevo terrestre.