TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA ASMA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA ASMA por Mind Map: TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA ASMA

1. Objeto do tratamento

1.1. • O objetivo do tratamento da asma deve ser alcançar e manter o controle da doença e evitar riscos futuros (exacerbações, instabilidade da doença, perda acelerada da função pulmonar e efeitos adversos do tratamento).

2. Escolha da droga, do dispositivo inalatório e da respectiva dosagem

2.1. • Deve ser baseada na avaliação do controle dos sintomas, nas características do paciente.

2.2. • (fatores de risco, capacidade de usar o dispositivo de forma correta e custo), na preferência do paciente pelo dispositivo inalatório, no julgamento clínico e na disponibilidade do medicamento.

2.3. -

3. ASMA

3.1. O que é

3.1.1. • A asma é uma doença heterogênea, geralmente caracterizada por inflamação crônica das vias aéreas.

3.1.2. • Ela é definida pela história de sintomas respiratórios, tais como sibilos, dispneia, opressão torácica retroesternal e tosse, os quais variam com o tempo e na intensidade, sendo esses associados à limitação variável do fluxo aéreo

3.2. Heterogeneidade da asma

3.2.1. A heterogeneidade da asma é atestada por diversos fenótipos (características observáveis de um indivíduo) e endótipos (mecanismo molecular ou fisiopatológico subjacente ao fenótipo) da doença.

3.2.2. Os fenótipos inflamatórios mais frequentemente utilizados incluem asma eosinofílica ou não eosinofílica e asma alérgica ou não alérgica. Entre os endótipos podemos exemplificar a inflamação tipo 2 (T2) alta e baixa.

4. Base do tratamento

4.1. A base do tratamento medicamentoso da asma é constituída pelo uso de CI associado ou não a um long-acting β2 agonist (LABA, β2-agonista de longa duração).

5. O tratamento de controle da asma é dividido em etapas de I a V, nas quais a dose de CI (corticoide inalatório) é aumentada progressivamente e/ou outros tratamentos de controle são adicionados.

5.1. Etapa I

5.1.1. TRATAMENTO PREFERENCIAL: CI + SABA por demanda, CI dose baixa quando usar SABA ou dose baixa de CI diária

5.2. Etapa II

5.2.1. TRATAMENTO PREFERENCIAL: CI dose baixa diária + SABA por demanda

5.2.1.1. OUTRAS OPÇÕES: montelucaste + SABA por demanda ou dose baixa de CI sempre que usar SABA

5.3. Etapa III

5.3.1. TRATAMENTO PREFERENCIAL: CI dose baixa + LABA ou dose média de CI + SABA por demanda

5.3.1.1. OUTRAS OPÇÕES: dose baixa de CI + montelucaste + SABA por demanda

5.4. Etapa IV

5.4.1. TRATAMENTO PREFERENCIAL: CI dose média +LABA+SABA por demanda, encaminhar para especialista

5.4.1.1. OUTRAS OPÇÕES: CI dose alta + SABA por demanda, adicionar tiotrópio ou montelucaste

5.5. Etapa V

5.5.1. TRATAMENTO PREFERENCIAL APÓS FENOTIPAR: adicionar anti-IgE

5.5.1.1. OUTRAS OPÇÕES: adicionar mepolizumabe ou CO em dose baixa (considerar efeitos adversos)