ASPECTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ASPECTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO por Mind Map: ASPECTOS HISTÓRICOS E  EPISTEMOLÓGICOS DAS  TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E  COMUNICAÇÃO

1. Informação: Devido ao caráter polissêmico, não tem um significado definido.

2. Epistemologia: É o estudo dos princípios, das hipóteses e dos resultados das diversas ciências.

3. Paradigma: Um padrão pré existente. Modelo a ser seguido. Divide-se em três tipos.

3.1. Paradigma Físico: Foco nos processos de comunicação e na sua ocorrência nos dispositivos tecnológicos.

3.2. Paradigma Cognitivo: Estabelece as relações entre a informação e o conhecimento

3.3. Paradigma Social: O conhecimento só é funcional se utilizado no meio social, portanto uma informação é recebida por um sujeito daí ocorre a construção de um conhecimento.

4. Breve cronologia

4.1. 1945 - Forte preocupação com o desenvolvimento das telecomunicações e com a tecnologia da computação. Criação de fórmulas para mensuração da informação.

4.2. 1950 Ganha destaque a necessidade de aumento de eficiência na recuperação de informações científicas- a criação do Sputnik foi fundamental para o desenvolvimento do processo.

4.3. 1960-1970 Desenvolvimento em plena ascensão, mas devido ao custo oneroso ainda não demandava grande atenção da sociedade.

4.4. 1980 Iniciativas de fundo de garagem consolidariam um acesso mais amplo aos dispositivos. Surgimento do apple II.

4.5. 1990 Popularização dos computadores, onde a biblioteconomia e a ciência da informação perdem espaço em relação a recuperação da informação, pois a mesma estava voltada para a ciência da computação.

4.6. 2000 Agora, que o potencial de acesso à informação encontra-se em patamar sem precedente, busca-se entender os processos e analisa-los para potencializar seus benefícios.

5. Perspectivismo: Forma de vislumbrar uma das abordagens em contraposição a outros pontos de vista, ou seja, uma maneira individual de utilizar o recurso sob outra ótica.