Teoria psicanalítica Sigmund Freud

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Teoria psicanalítica Sigmund Freud por Mind Map: Teoria psicanalítica    Sigmund Freud

1. 2º Tópico Modelo Estrutural da Personalidade

1.1. ID

1.1.1. Localiza-se no inconsciente, é o estado primitivo da vontade, desejo e libido, movido pela necessidade de auto realização, impulsivo e inacessível.

1.2. Ego

1.2.1. é o autoconhecimento, mediador do ID e SUPEREGO, ele realizar as vontades equalizando a razão, a crítica, responsável pelo planejamento e execução do desejo.

1.3. Super-ego

1.3.1. é a identificação do ser na sociedade e na realidade, da razão, da crítica, da moral, está localizado no consciente .

2. 1º Tópico Níveis da consciência

2.1. Pré- consciente

2.1.1. São pré-conscientes quando estão inconscientes em um determinado momento, mas não são reprimidos .

2.1.2. Então, pensamentos pré-conscientes estão disponíveis para recordação e são facilmente "capazes de se tornar conscientes", diz Freud.

2.2. Consciente

2.2.1. O nível consciente nada mais é do que tudo aquilo do que estamos conscientes no momento, no agora.

2.2.2. Ele corresponderia à menor parte da mente humana. Nele está tudo o que podemos perceber e acessar de forma intencional

2.3. Inconsciente

2.3.1. O conjunto dos processos mentais que se desenvolvem sem intervenção da consciência.

3. Fases do Desenvolvimento Psicossexual

3.1. Fase oral

3.1.1. Esta fase vai do nascimento aos 2 anos de vida

3.1.2. A função é ligada diretamente a criança para vivenciar o prazer e dor através da satisfação (ou frustração) pela boca

3.1.3. Quando frustrada, pode desenvolver tendências de ansiedade e pessimismo, pode até estar ligada diretamente com a personalidade da pessoa no futuro

3.2. Fase anal

3.2.1. Nesta segunda fase, vai aproximadamente do primeiro ao terceiro ano de vida

3.2.2. Está ligada diretamente ao ânus e controle intestinal

3.2.3. Nesta fase, a criança aprende a encarar seus desejos de forma imediata, os mecanismos desenvolvidos nesta fase influenciam o desenvolvimento da personalidade.

3.3. Fase fálica

3.3.1. Ocorre dos 3 aos 5 anos, sendo a zona genital considerada a área erógena fundamental.

3.3.2. A psicanálise afirma que na fixação dessa fase, as consequências consistem nas dificuldades na formação do superego, na identidade do papel sexual e até mesmo já sexualidade, envolvendo inibição sexual, promiscuidade sexual e homossexualismo

3.4. Fase genital

3.4.1. Essa fase se dá durante a adolescência e de acordo com Freud, a criança volta a sua energia sexual para seus órgãos genitais, indo em seguida para as relações amorosas.

3.4.2. Daí meninos e meninas têm consciência de suas identidades sexuais distintas e tem início a busca pelas formas de satisfazerem suas necessidades eróticas e interpessoais.

4. Dos Transtornos Mentais

4.1. Neurose

4.1.1. Uma manifestação de conflitos entre nossos desejos subconscientes, dizia Freud.

4.1.2. Para ele, certos impulsos inconscientes são incompatíveis com a realidade externa ou não podem ser realizados, deixando o sujeito em um estado de intensa ansiedade e desconforto geral.

4.2. Psicose

4.2.1. A psicose é um conflito entre o ego e a realidade externa. Entre eles, o ego domina, porque o ego cria um novo mundo interno e externo com base no impulso do id.

4.2.2. Por causa de algumas fortes frustrações com relação à identidade, isso vai contra a realidade.

4.3. Perversão

4.3.1. Perversão um desvio do comportamento sexual que não visa os órgãos genitais

4.3.2. Com o tempo, Freud percebeu que a seleção narcísica de objetos, ou seja, a seleção repetida de objetos homossexuais feita por homossexuais, pedófilos e fetichistas condenava um tipo de doença psicológica e mental diferente da neurose e da psicose.