Transição Demográfica e Epidemiológica

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Transição Demográfica e Epidemiológica por Mind Map: Transição Demográfica e  Epidemiológica

1. Estágios: pode ter 4 estágios dependendo da literatura, são eles: - Estágio 1: típica das sociedades pré-industriais, alta mortalidade e alta fecundidade, gerando assim um crescimento populacional longo. - Estágio 2: própria dos países em processo de industrialização alta natalidade e baixa mortalidade, gerando um desequilíbrio traduzido pelo grande aumento da população. - Estágio 3: baixa mortalidade e baixa natalidade, por essa razão, o crescimento demográfico nesta terceira fase continua sendo relativamente alto. O efeito mais importante é o envelhecimento populacional. - Estágio 4 : típica das sociedades pós-industriais e se caracteriza baixa mortalidade e baixa natalidade (estagnado)baixa mortalidade.

2. A transição demográfica foi influenciada pela transição epidemiológica

3. No Brasil hoje o maior numero de morte é de doenças crônicas, porém, ainda tem um grande problema com doenças infecto parasitarias. Com o aumento dessas doenças crônicas ocorre incremento substancial do consumo do setor saúde. Por isso, investe-se tanto em medidas de promoção e prevenção da doença.

3.1. Fatores socioeconômicos e de assistência à saúde repercutem na transição epidemiológica. A partir da analise de mortalidade por faixa etária consegue dizer se o sistema de saúde dessa região é ruim. Se apresenta um nível de saúde baixo, regular ou elevado.

4. Definição: Atos, efeitos ou modos de passar lentamente de um lugar, estado ou assunto para outro. Quando se fala de transições em saúde pública, inserem-se sob este rótulo diferentes movimentos transicionais que percorrem a história da população humana, gerando impressões em cada configuração social específica.

5. Transição Demográfica: influenciada pela transição epidemiológica. È a teoria que aborda as diferentes fases do crescimento população. Consegue perceber exatamente em que momento a população de um determinado país se encontra na transição demográfica, de qualquer modo, esse processo possibilitou o crescimento da produção e da riqueza, o desenvolvimento da técnica e da ciência moderna, com um maior domínio sobre a natureza, incluindo as doenças, epidemias e a própria fecundidade humana, ocasionou transformações culturais profundas nas sociedades, com reflexos na natalidade, na mortalidade e no ritmo de crescimento populacional.

5.1. Consegue perceber exatamente em que momento a população de um determinado país se encontra na transição demográfica. Prevê qual é o próximo passo para ajudar na gestão e planejamento. Ela está atrelada a mudança na mortalidade e fecundidade da população. Percebe-se que a mudança na população por meio da pirâmide etária que está virando um triângulo invertido. E esse padrão de natalidade e mortalidade difere dos sexos.

6. Transição epidemiológica: a partir da segunda metade do século XIX, os países considerados polos centrais da economia mundial por seu desenvolvimento industrial, apresentaram mudanças significativas em seu perfil epidemiológico. Alterações associadas à estrutura etária da população, ocorridas ao longo do processo de transição demográfica, alterações de longa duração nos padrões de morbidade e de mortalidade, havendo a substituição gradual das doenças infecciosas e parasitárias e das deficiências nutricionais pelas doenças crônico-degenerativas e aquelas relacionadas a causas externas.

6.1. Em resumo, transição epidemiológica são as mudanças ocorridas no tempo nos padrões de morte, morbidade e invalidez que caracterizam uma população específica e que, em geral, ocorrem em conjunto com outras transformações demográficas, sociais e econômicas.

7. Em epidemiologia, morbidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento. A mudança no perfil de morbidade influenciou o crescimento populacional.