A METODOLOGIA DOS PROGRAMAS DE PESQUISA: A EPISTEMOLOGIA DE IMRE LAKATOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
A METODOLOGIA DOS PROGRAMAS DE PESQUISA: A EPISTEMOLOGIA DE IMRE LAKATOS por Mind Map: A METODOLOGIA DOS PROGRAMAS DE PESQUISA: A  EPISTEMOLOGIA DE IMRE LAKATOS

1. 4 - Demonstração das vantagens da teoria científica sobre as CAs: problemáticos para as CAs; possui um excedente de conteúdo em relação às CAs, prevendo fatos novos

2. Programas Regressivos: ele é regressivo quando não prevê fatos novos, ou, os prevendo, não são corroborados.

3. "A própria ciência como um todo pode ser considerada um imenso programa de pesquisa com a suprema regra heurística de Popper: 'arquitetar conjecturas que tenham maior conteúdo empírico do que as suas predecessoras'

4. UM PP deve possuir:

4.1. HEURISTICA: instrui o cientista a fazer alterações necessárias no cinturão protetor

4.1.1. "A heurística negativa": proíbe que, frente a qualquer caso problemático, "refutação" ou anomalia, seja declarado falso o "núcleo firme"; a falsidade incidirá sobre alguma(s) hipótese (s) auxiliar(es) do "cinturão protetor"

4.1.2. “A heurística positiva: orienta, parcialmente, as modificações que devem ser feitas no "cinturão protetor" para as superar. – ad-hoc’s

4.2. CONTURÃO PROTETOR: é constituído por hipóteses e teorias auxiliares e também pelos métodos observacionais.

4.3. NÚCLEO FIRME: conjunto de hipóteses ou teoria irrefutável por decisão dos cientistas.

5. Programas progressivos: quando prevê fatos novos e alguma destas previsões é corroborada - teoricamente ou empiricamente.

6. REVOLUÇÃO CIENTÍFICA = dois programas rivais - um degenera e o outro progride

6.1. "Se um programa de pesquisa explica de forma progressiva mais fatos que um programa rival, 'supera' a este último, que pode ser eliminado (ou se se prefere, arquivado)"

7. A EPISTEMOLOGIA DE POPPER E LAKATOS

7.1. HOLOFOTE MENTAL: o papel inventivo, construtivo do ato de conhecer.

7.1.1. A existência das CAs mostra que os alunos são construtores de ideias que objetivam dar conta do mundo, da realidade.

7.1.1.1. CAs: Concepções alternativas.

7.1.2. ESTRATÉGIA PARA TRANSFORMAR CAs em concepção cientifica

7.1.3. 1 - Exposição clara e precisa das CAs, notando que elas possuem um conteúdo de verdade (explicam e predizem com sucesso alguns fatos).

7.1.4. 2 - Crítica das CAs. Elas fracassam em explicar e predizer alguns fatos, e, se for o caso, também apresentam inconsistências lógicas.

7.1.5. 3 - Apresentação da concepção ou teoria científica, enfatizando os antagonismos conceituais com as CA's.

7.2. O ensino, quando orientado pela epistemologia empirista-indutivista, desvaloriza a criatividade do trabalho científico e leva os alunos a tomarem o conhecimento científico como um corpo de verdades inquestionáveis, introduzindo rigidez e intolerância em relação a opiniões diferentes (

7.3. PRINCIPIOS GUIAS: 1 - A observação e a experimentação, por si sós, não produzem conhecimentos.

7.4. 2 - Toda a observação e/ou experimentação estão impregnadas de pressupostos, teorias.

7.5. 3 - O conhecimento prévio determina como vemos a realidade, influenciando a observação.

7.6. 4 - O conhecimento científico é uma construção humana que intenciona descrever, compreender e agir sobre a realidade.

7.7. 5 - A obtenção de um novo conhecimento, sendo um ato de construção que envolve a imaginação, a intuição e a razão, está sujeito a todo tipo de influências.