Empreendedorismo Como Ferramenta Empresarial – Econômica Em Tempos De Crise

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Empreendedorismo Como Ferramenta Empresarial – Econômica Em Tempos De Crise por Mind Map: Empreendedorismo Como Ferramenta Empresarial – Econômica Em Tempos  De Crise

1. CONCEITOS DO EMPREENDEDORISMO

1.1. De acordo com Drucker (2003), a economia empreendedora começou por ser um fenômeno tipicamente americano, devendo-se, provavelmente, a mudanças de valores, percepções, atitudes, mudanças demográficas e as mudanças na educação

1.2. Para Chiavenato (2012) empreendedor é a pessoa que começa um negócio assumindo os riscos e mostra novas ideias para o crescimento da empresa.

1.3. Dornelas (201)Empreendedorismo é uma forma de transformar algumas ideias em oportunidades, pelos quais pessoas e processos estão em conjunto.

2. EMPREENDEDORISMO NO BRASIL

2.1. O conceito de empreendedorismo tem sido muito difundido no Brasil, nos últimos anos, intensificando – se no final da década de 1990, mas tendo o período de 2000 a 2010 como um marco na consolidação do tema e de sua relevância para o país

2.2. O movimento do empreendedorismo no Brasil começou a tomar forma da década de 1990, quando entidades como SEBRAE (serviço brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas) e SOFTEX (Sociedade Brasileira para exportação de software) foram criadas

2.3. Na comparação mundial, o Brasil se destaca com a maior taxa de empreendedorismo, quase 8 pontos porcentuais à frente da China, o segundo colocado, com taxa de 26,7%. O número de empreendedores entre a população adulta no país é também superior ao dos Estados Unidos (20%)

3. ORIGEM DO EMPREENDEDORISMO

3.1. Durante a idade média, o termo empreendedor foi denominado para aqueles que administravam grandes projetos de produção.

3.2. O significado da palavra empreendedor (entrepreneur) é francesa e foi usada pelo economista Richard Cantillon em 1725 pela primeira vez (CHIAVENATO, IDALBERTO, 2012).

3.3. O empreendedorismo começou a ter ligação com o risco no século XVII, sendo firmado um acordo entre o empreendedor e o governo para realizar os trabalhos naquela época (HISRICH; PETERS; SHEPHERD, 2009).

4. FERRAMENTA DE FOMENTO EMPRESARIAL EM TEMPOS DE CRISE

4.1. Essa é à hora de buscar novas ideias e fazer o diferente, muitas pessoas prosperam e crescem, é claro que não é fácil, e não deve ter medo, a crise deve servir como um motivador

4.2. Segundo a redação empreendedora da web (2016) há muitos negócios que prosperam na crise e estando preparo num determinado momento econômico mesmo sendo ele desfavorável isso pode lhe trazer ótimas formas de se fazer negócio, historicamente a crise tem sido a origem de grandes negócios

4.3. Em tempos de crise montar um negócio pode ser um meio de escapar do emprego, ou também uma oportunidade para se ter lucros, e ganhar mais

5. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

5.1. Micro e Pequenas Empresas são as maiores geradoras de riqueza no comércio brasileiro (53,4% do PIB deste setor). No PIB da indústria, a participação das micro e pequenas (22,5%) já se aproxima das médias 8 empresas (24,5%). E no setor de Serviços, mais de um terço da produção nacional (36,3%) têm origem nos pequenos negócios.

5.2. “Atualmente os empreendedores são reconhecidos como componentes essenciais para mobilizar capital, agregar valor aos recursos naturais, produzir bens e administrar os meios para administrar o comércio”. (SEBRAE, 2007, p.2).

5.3. O empreendedor é o responsável pelo crescimento econômico e pelo desenvolvimento social. Por meio da inovação, dinamiza a economia.

6. CONCLUSÃO

6.1. Ferramenta de grande utilidade para uma organização.

6.2. Grande importância para economia.

6.3. Trás consigo métodos e formas para que empresas possam crescer e se tornar mais competitivas e mais concorridas no cenário empresarial.