TECIDO CONJUNTIVO

Resumo tecido conjuntivo

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
TECIDO CONJUNTIVO por Mind Map: TECIDO CONJUNTIVO

1. CARACTERÍSTICAS

1.1. Células

1.1.1. Ex: adipócitos, macrófagos, fibroblastos, mastócitos

1.1.1.1. Cada célula desempenhará um papel especifico no tecido conjuntivo

1.2. Matriz extra celular

1.2.1. Ex: fibra elásticas, fibras colágenas, substâncias não fibrilares

1.3. Forma compartimentos vasto e contínuo no organismo

1.3.1. A lâmina basal limita o compartimento do tecido conjuntivo

2. CLASSIFICAÇÃO

2.1. Propriamente dito

2.1.1. Frouxo

2.1.2. Denso modelado

2.1.3. Denso não modelado

2.2. Especializado

2.2.1. Adiposo

2.2.2. Sanguíneo e hemopoético

2.2.3. Linfoide

2.2.4. Cartilaginoso

2.2.5. Ósseo

3. FUNÇÕES

3.1. Suporte mecânico

3.1.1. Propriamente dito

3.1.2. Ósseo e cartilaginoso

3.2. Suporte nutricional

3.2.1. Adiposo

3.2.2. Propriamente dito: frouxo

3.2.3. Sanguíneo

3.3. Suporte de defesa

3.3.1. Sanguíneo e hemopoético

3.3.2. Linfoide

4. MATRIZ EXTRA-CELULAR

4.1. Conjunto de macromoléculas que células sintetizam e organizam no tecido conjuntivo

4.1.1. Fibras: colágenas e elásticas

4.1.2. Substância fundamental: proteoglicanos, glicosaminoglicanos e glicoproteínas adesivas

4.1.2.1. Cada célula do tecido conjuntivo secreta uma razão diferente de moléculas da matriz extracelular que resulta em propriedades mecânicas e bioquímicas específicas!

4.2. Funções

4.2.1. Biomecânicas

4.2.1.1. Resistência às forças de tração

4.2.1.1.1. A orientação das fibras garante resistência

4.2.1.2. Elasticidade

4.2.1.3. Resistência às forças de compressão

4.2.2. Desenvolvimento

4.2.3. Migração celular

4.2.4. Proliferação celular

4.2.5. Diferenciação celular

4.3. Fibras colágenas

4.3.1. Abundância no tecido conjuntivo

4.3.2. Aspectos morfológicos (1-20um)

4.3.3. Maior afinidade por eosina

4.3.4. Colágeno

4.3.4.1. Formam longas fibrilas

4.3.4.1.1. Ex: colágeno 1/2/3

4.3.4.2. Associados às fibrilas

4.3.4.2.1. Ex: colágeno 9 ou 12

4.3.4.3. Formam rede

4.3.4.3.1. Ex: colágeno 4

4.3.4.4. Ancoragem

4.3.4.4.1. Ex: colágeno 7

4.3.4.5. Altamente flexíveis

4.3.4.6. Resistentes ao estiramento

4.3.4.7. Renovação: tendão e ligamento periodontal

4.3.4.7.1. Para a renovação são necessárias enzimas específicas

4.3.4.8. Estriações

4.3.4.8.1. Tripla hélice: 3 cadeias alpha

4.3.4.8.2. Cadeia alpha: glicina - X (prolina) - Y (hidroxiprolina)

4.3.4.8.3. Se arranjam espontaneamente

4.3.5. Fibras reticulares

4.3.5.1. Colágeno do tipo III

4.3.5.1.1. Se o colágeno dessas fibras foi substituído por outro tipo, podem ocorrer problemas nas funções normais dessas células

4.3.5.2. Delgadas (0,5 a 2um)

4.3.5.3. Fibras argirófilas

4.3.5.3.1. Afinidade por métodos de impregnação por prata

4.3.5.4. Delicado arcabouço em rede nas estruturas e órgãos

4.3.5.4.1. Ex: fígado, baço, medula óssea

4.3.5.5. Flexíveis

4.3.5.6. Migração celular

4.4. Fibras elásticas

4.4.1. Elastina e microfibrias

4.4.2. Aspectos morfológico: lâmina ou fibra

4.4.2.1. Organização concêntrica o lúmen

4.4.2.2. Variável de acordo com o tipo de órgão

4.4.3. Fibrilina

4.4.3.1. Glicoproteína

4.4.3.2. Formam o arcabouço

4.4.3.3. Resistência à tração

4.4.4. Elastina

4.4.4.1. Proteína não glicosada

4.4.4.2. Molécula hidrofóbica

4.4.4.2.1. Isso favorece que, quando há um estiramento, que as moléculas voltem espontaneamente à posição original SEM GASTO DE ENERGIA

4.4.4.3. Fibroblastos e músculo liso

4.4.4.4. Elasticidade e distensão

4.4.4.5. Composta por glicina, valina, alanina e prolina

4.5. Substância fundamental

4.5.1. Mistura complexa e altamente hidrata

4.5.2. Preenche espaços entre células e fibras do tecido conjuntivo

4.5.3. Glicosaminoglicanos (GaGs)

4.5.3.1. Cadeias polissacarídicas não ramificadas

4.5.3.2. Formados por dissacarídeos reparativos

4.5.3.3. Radicais carboxílicos e/ou sulfatados (associação aos cátions)

4.5.3.3.1. Ácido urônico: ácido glicurônico ou ácido idurônico

4.5.3.3.2. Amino açúcar: N-acetilglicosamina ou N-acetilgalactosamina

4.5.3.3.3. A depender do tipo de ligação entre o ácido urônico e o amino açúcar, é possível classifica-los de formas distintas

4.5.4. Proteoglicanos

4.5.4.1. Eixo proteico e glicosaminoglicanos

4.5.4.2. Presença de sulfatação

4.5.4.3. Elevada hidratação

4.5.4.4. Ex: agrecam, versican, decorim, biglicam, fibromudulin, perlecam, sindecam

4.5.4.5. Funções

4.5.4.5.1. Resistência a forças de compressão

4.5.4.5.2. Ligação aos componentes de MEC

4.5.4.5.3. Influência a atividades de proteínas secretadas

4.5.4.5.4. Crescimento celular

4.5.5. Glicoproteínas adesivas

4.5.5.1. Predomínio do conteúdo proteico

4.5.5.2. Componente glicídico muito ramificado

4.5.5.3. Exemplos

4.5.5.3.1. Fibronectinas: adesão e migração celular

4.5.5.3.2. Laminina: adesão (epitélio-membrana basal)

4.5.5.3.3. Entactina: adesão (interliga colágeno IV e Laminina)

4.6. Interações entre componentes da MEC e com a célula

4.6.1. Toda alteração bioquimica ou mecanica na MEC sao detectadas pela célula, a qual responderá a esses estímulos.

4.6.2. Exemplos

4.6.2.1. Tecido conjuntivo propriamente dito

4.6.2.1.1. Não há delimitação entre um tipo de tecido e outro

4.6.2.2. Tecido reticular

4.6.2.2.1. Favorecem migração celular e troca de substâncias

4.6.2.3. Tecido elástico

4.6.2.3.1. Garantem elasticidade e retorno passivo ao estado original

5. POPULAÇÕES CELULARES E SUAS FUNÇÕES

5.1. Células responsáveis pela síntese e manutenção de componentes estruturais da MEC

5.1.1. Ex: células mesenquimais, fibroblastos, fibrócitos e miofibroblastos

5.2. Células com função de reparação e defesa

5.2.1. Ex: leucócitos, macrófagos, plasmócitos e mastócitos

5.3. Células responsáveis pelo armazenamento e metabolismo das gorduras

5.3.1. Ex: adipócitos uniloculares e multiloculares

5.4. I - Síntese e manutenção da MEC

5.4.1. Células mesenquimais

5.4.1.1. Núcleo oval, cromatina frouxa e nucléolo proeminente

5.4.1.1.1. Citoplasma com muitos prolongamentos

5.4.1.2. MEC: viscosa e com poucas fibras

5.4.1.3. Tecido conjuntivo embrionário (mesênquima)

5.4.2. Fibroblastos e fibrócitos

5.4.2.1. Fibroblastos

5.4.2.1.1. Representam estados funcionais distintos de uma mesma célula

5.4.2.1.2. Células: estreladas ou ligeiramente fusiforme com projeções citoplasmáticas finas e irregulares

5.4.2.1.3. Núcleo: ovalado, de cromatina frouxa com nucléolos evidentes

5.4.2.1.4. Citoplasma: REG e Complexo de Golgi desenvolvidos

5.4.2.1.5. Localização: onde há renovação, reposição, remodelação e reparo de tecidos

5.4.2.2. Fibrócitos

5.4.2.2.1. Células: fusiformes, parelelas às fibras colágenas

5.4.2.2.2. Núcleo: fusiforme, cromatina condensada com nucléolos menos evidentes

5.4.2.2.3. Citoplasma: reduzido e acidófilo, pouco REG e Complexo de Golgi (baixo metabolismo)

5.4.2.2.4. Localização: onde há renovação lenta e contínua, manutenção da integridade da MEC

5.4.3. Miofibroblasto

5.4.3.1. Alpha-actina de músculo liso

5.4.3.2. Célula: alongada e delgada

5.4.3.3. Citoplasma: REG e Complexo de Golgi desenvolvidos

5.4.3.4. Localização: reparo de lesões ("tecido de granulação")

5.5. II - Reparo e defesa

5.5.1. Leucócitos

5.5.1.1. São produzidos na medula óssea e utilizam o sangue como veículo de circulação ao longo do corpo

5.5.1.1.1. Granulócitos

5.5.1.1.2. Agranulócitos

5.5.1.2. O tecido conjuntivo é o local efetivo de atuação dessas células

5.5.2. Linfócitos

5.5.2.1. São células efetoras das respostas imunológicas

5.5.2.2. Origem em órgãos linfoides

5.5.2.3. Produzido na medula óssea, contudo o linfócito tipo B sofre maturação na medula, enquanto o tipo T sofre maturação no timo.

5.5.2.3.1. Linfócito B: resposta de base humoral

5.5.2.3.2. Linfócito T: resposta de base celular

5.5.2.3.3. Natural Killer (NK): resposta imune inata

5.5.2.3.4. Podem ser diferenciadas de acordo com os tipos de receptores de membrana

5.5.3. Plasmócitos

5.5.3.1. Núcleo: esférico ou elíptico com cromatina em grumos ("rosa de carroça")

5.5.3.2. Citoplasma: basófilo, REG e Complexo de Golgi

5.5.3.3. Localização: tecido conjuntivo das mucosas

5.5.3.4. Sua função é a síntese e secreção de anticorpos

5.5.4. Macrófagos

5.5.4.1. São originados de monócito, os quais migraram do tecido sanguíneo para o tecido conjuntivo

5.5.4.2. Núcleo: reniforme e cromatina frouxa

5.5.4.3. Citoplasma: REL e CG desenvolvidos e lisossomos

5.5.4.4. Funções

5.5.4.4.1. Fagocitose

5.5.4.4.2. Produção de citocinas

5.5.4.4.3. Apresentação de antígenos (MHC II)

5.5.4.5. Localização

5.5.4.5.1. Tecidos e órgãos linfáticos: linfonodos, baço, tonsilas, placas de Payer, MALT

5.5.4.5.2. Locais onde ocorrem injúrias ou mecanismos de reparação ativos

5.5.4.5.3. Macrófagos fixos

5.5.5. Mastócitos

5.5.5.1. Núcleo: esférico e central, cromatina frouxa

5.5.5.2. Citoplasma: repleto de grânulos basófilos

5.5.5.3. Localização: lâmina própria das mucosas intestinais e respiratórios

5.5.5.4. Origem: medula óssea

5.5.5.5. Sua função é liberar mediadores químicos (heparina e histamina) em respostas inflamatórias ou alérgicas

5.5.5.6. Receptores para IgE

5.5.5.7. Muito próximos à vasos sanguíneos

5.6. III - Armazenamento e metabolismo das gorduras

5.6.1. Adipócitos