Processo do Psicodiagnóstico

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Processo do Psicodiagnóstico por Mind Map: Processo do Psicodiagnóstico

1. O objetivo está relacionado com a sua finalidade.

2. Quando o individuo procura um psicodiagnóstico por curiosidade, deve ser instruído sobre o processo antes de começar pois a devolutiva pode trazer questões negativas.

3. Processo cientifico limitado no tempo, (numero de sessões aproximadas), técnicas e testes psicológicos de nível individual ou não.

4. O psicodiagnóstico pode ser utilizado para entender problemas, identificar e avaliar aspectos específicos.

5. E caracterizado como levantamento de hipóteses. Ele tem como base um contrato, o plano de avaliação é estabelecido com base em perguntas ou hipóteses iniciais.

6. Objetivos: A classificação simples; o examinando é submetido a testes adequados a sua idade de escolaridade.

7. A descrição: seria descrever o estado mental, frequentemente sendo realizado sem administração de testes e não e exclusivo do psicólogo, envolve explorar sinais e sintomas, verificar algumas funções como atenção e memória.

8. A classificação noológica: Julgamento clinico sobre a presença ou não de um sintoma significativo( comparação, utilização de código classificatório), não se refere a um psicodiagnóstico de fato.

9. O diagnóstico diferencial: o psicólogo necessita de uma vasta experiência, sensibilidade clinica, pois são investigadas irregularidades e inconsistências do quadro sintomático para diferenciar alternativas diagnósticas, níveis de funcionamento, etc.

10. Avaliação compreensiva: o quanto consegue compreender e responder por exemplo. Não necessita especificamente a utilização de testes, mas se for psicodiagnóstico e necessário, pois obtém evidencias mais precisas.

11. Entendimento dinâmico: Exame profundo, envolve integração de dados históricos com bases teóricas, chegando a aspectos comportamentais que nem sempre e acessível a entrevista, essa entrevista tem que ser bem conduzida, não é um recurso privativo do psicólogo.

12. A prevenção: Identificar problemas precocemente, avaliar riscos, fazer estimativa de forças e fraquezas do ego, capacidade de enfrentar situações novas, conflitos e ansiedades. Pode ser realizado por outros profissionais de saúde.

13. O prognóstico: Depende da classificação noológica, não e restrita ao psicólogo, mas ele pode dar contribuições importantes por meio do psicodiagnóstico, que pode avaliar condições que pode determinar o curso provável do caso.

14. A pericia forense: Contribuições relacionadas a insanidade, competência para exercício de cidadão, avaliação da incapacidade comprometimento psicopatológico possam associar com infrações da lei. questões que o psicólogo deve responder para instruir um determinado processo.

15. Finalidades; Investigação diagnóstica, avaliação do tratamento, como meio de comunicação( pois alguns pacientes apresentam dificuldades em se comunicar espontaneamente, ajuda estabelecer rapport, no processo de insight.

16. O psicodiagnóstico ainda possui outros fins: Na investigação tem dois objetivos; criação de novos instrumentos exploração da personalidade pode ser incluído na tarefa psicodiagnóstico. Segundo; planejar a investigação para estudo de uma patologia educacional, forense, nesse caso o psicodiagnóstico e uma ferramenta confiável e valida.

17. Processo com inicio meio e fim, utiliza entrevistas técnicas ou testes psicológico para compreender as potencialidades e as dificuldades. Possibilita descrever funcionamento atual, confirmar, refutar, modificar impressões, realizar diagnóstico diferencial transtornos mentais, comportamentais e cognitivos, além de identificar necessidades terapêuticas e recomendar intervenção mais adequada levando em conta o prognóstico.

18. Comportamento do psicólogo diante do psicodiagnóstico: Determinar motivos do em caminhamento, queixa e outros problemas iniciais; levantar dados psicológico, social, médico, profissional, escolar, colher dados história clinica pessoal, realizar exames subjetivos(anamnese, saber sobre manifestação do sintoma), levantar hipóteses, definir objetivo do exame, estabelecer plano de avaliação, estabelecer contrato, administrar testes outros instrumentos psicológicos, levantar dados quantitativos e qualitativos, selecionar organizar os dados significativos para os objetivos do exame, comunicar os resultados(entrevista devolutiva, relatório, laudo, parecer, etc.) encerrar o processo.