Teorias do desenvolvimento humano

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Teorias do desenvolvimento humano por Mind Map: Teorias do desenvolvimento humano

1. JEAN PIAGET

1.1. COGNITIVO

1.1.1. 1) SENSORIO MOTOR (0 a 2) ANOS

1.1.2. 2) PRÉ OPERATÓRIO (2 a 6) ANOS

1.1.3. 3) OPERATÓRIO CONCRETO (7 a 12) ANOS

1.1.4. 4) OPERATÓRIO FORMAL (12 ANOS ACIMA)

1.1.4.1. A importância da teoria de Piaget nos tempos atuais é a afirmação de que todas as pessoas, independente de sexo, raça, cor etc., estão permanentemente conhecendo e compreendendo o mundo no qual vivem e produzindo um determinado conhecimento sobre ele, ou seja, o indivíduo modificando o meio e o meio modificando o indivíduo. Dessa forma, fica clara a importância de oportunizar uma Educação de qualidade para todos, com estímulos ao desenvolvimento e assim criar um mundo onde cada indivíduo torne-se mais autônomo.

2. VYGOTSKY

2.1. O que fez com que as ideias de Vygotsky se tornassem tão impactantes foi sua capacidade de romper com o pensamento instituído até então. Em uma época na qual os pesquisadores estavam mais voltados a teorias inatistas, behavioristas (ou comportamentais) e pensavam que as crianças não tinham capacidade cognitiva até certa idade, ele foi pioneiro em defender que os pequenos aprendem sim por meio da exploração do ambiente e criam mecanismos próprios de aprendizagem muito antes de frequentarem a escola. Imagina quão avançado era esse tipo de ideia no começo do século passado!

2.1.1. .O cérebro é um sistema aberto, pois é mutável. Suas estruturas são moldadas ao longo da história do homem, de seu desenvolvimento individual e nas relações com o meio; .O funcionamento psicológico tem como base as relações sociais, dentro de um contexto histórico e cultural; .A cultura é parte essencial do processo de construção da natureza humana; .A relação homem-mundo é uma relação mediada por sistemas simbólicos (signos). Entre o homem e o mundo existem elementos mediadores, que são ferramentas auxiliares da atividade humana.

3. WALLON

3.1. A teoria psicogenética de Wallon baseava-se na premissa de que a criança deveria ser entendida de uma forma holística, completa. A pessoa deveria ser compreendida em seus aspectos biológico, afetivo, social e intelectual. Por isso que essa teoria era comumente chamada de Teoria da Psicogênese da Pessoa Completa.

3.1.1. Em cada estágio de desenvolvimento (Wallon propõe os seguintes estágios: impulsivo-emocional — 0 a 1 ano; sensório-motor e projetivo — 1 a 3 anos; personalismo — 3 a 6 anos; categorial — 6 a 11 anos; puberdade e adolescência — 11 anos em diante), um dos conjuntos predomina; isto é, fica mais em evidência, embora os outros também estejam presentes numa relação recíproca e complementar. Assim é que o conjunto afetivo está mais evidenciado nos estágios do personalismo, e da puberdade e adolescência.

4. Na psicologia de Sigmund Freud, Desenvolvimento psicossexual é o elemento central da teoria psicanalítica dos instintos, para a qual os seres humanos, desde o nascimento, possuem uma libido (energia sexual) instintiva que se desenvolve através de cinco estágios.

4.1. Os principais conceitos que inauguram a Psicanálise de Freud são: a noção de inconsciente; a teoria sexual e o princípio do prazer e de desprazer; a teoria das pulsões e a noção de aparelho psíquico.

4.2. Na primeira tópica, com as noções: de sistemas inconsciente, pré-consciente e consciente; trabalho psíquico; conflito intra-psíquico; recalcamento; identificações e transferência; narcisismo e a metapsicologia da primeira tópica.

4.3. Na segunda tópica, a noção de id, ego e superego e a evolução da teoria das pulsões, que inclui as noções de compulsão à repetição e de pulsão de morte, para citar apenas algumas das contribuições fundamentais de Freud.

4.3.1. No pensamento de Freud, desde a metapsicologia, são as vicissitudes das pulsões, com seus diferentes destinos, que criam diversos percursos para a sexualidade organizar capacidades psíquicas de satisfação ou de sintomas. A aparelhagem psíquica humana não está desenvolvida desde o começo. As capacidades posteriores resultam de articulações entre o endógeno e o exógeno e da intersubjetividade na direção da subjetivação. As noções de aparelho psíquico e de pulsão sexual estão diretamente relacionadas com o conceito de inconsciente, e com o ego partilham uma origem fundadora da concepção de uma dimensão psíquica, idéia que por sua vez inventa e funda a Psicanálise de Freud. Essa dimensão propõe o modelo das formas de ação do inconsciente: os sonhos, atos falhos, sintomas e a transferência, os quais são as evidências enigmáticas de produtivas capacidades psíquicas de um sujeito psíquico (sujeito do inconsciente recalcado). Campo do intrapsíquico, lugar do conflito psíquico, uma evidência de subjetividade.