Mapa de conceitos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Mapa de conceitos por Mind Map: Mapa de  conceitos

1. 1- camada de rede do modelo OSI : Nesta camada entramos no domínio dos routers e consequentemente das redes alargadas ( dimensão mundial ) . A comunicação da internet depende fundamentalmente destes equipamentos.

2. 1.1 Routers e Portos de Interface de Routers : Nesta camada imperam os routers. Este equipamento é responsavel pelo encaminhamento dos pacotes entre diferentes redes.

3. 1.2- Comunicação entre redes :No ponto anterior explicou-se como as estações de uma rede privada acediam a uma rede pública, porém falta saber como os routers distinguem o tráfego que por eles passa.

4. 1.3- Conceitos de ARP e tabelas de ARP : Quando duas estações estão na mesma rede e pretendem comunicar entre (sem aceder a routers) (PC-PC)

5. 1.4- Rotas estáticas e dinâmicas : Os routers guardam os registos dos seus conhecidos (outros routers) em forma de tabela associando-os a um caminho (rotas).

6. 1.5- Algoritmos e respetivos protocolos de encaminhamento :Os algoritmos e protocolos de encaminhamento apenas se aplicam a endereços dinâmicos. Neste ponto abordam-se as formas como os routers de uma rede comunicam entre si e trocam informação, bem como conseguem, face a alterações na rede, permitir a convergência da mesma.

7. Rotas dinâmicas convergência:Os fatores que influenciam o tempo de convergência são: • A distância em saltos do router ao ponto de mudança; • O número de routers que usam protocolos dinâmicos de encaminhamento; • Largura de banda e congestionamento nos links; • Capacidade de processamento do router; • Protocolo de encaminhamento utilizado. Neste ponto abordam-se dois algoritmos e os respetivos protocolos associados:  Distance Vector (RIP) o Link-State (OSPF).

8. Distance Vector (DV) ou Algoritmo das Distâncias :Espera a mudança na distância até a um certo destino (geralmente hops) ou do final do 3 temporizador; Recalcula a tabela de encaminhamento; Se a distância for menor para algum destino, notifica (apenas) os vizinhos.

9. Protocolo de encaminhamento dinâmico RIP : O RIP – Routing Information Protocol – foi usado pela primeira vez em 1969 (embora uma versão diferente das existentes hoje em dia) no projeto ARPANET.

10. Vantagens de RIP:

10.1. Mesmo que não exista nenhuma alteração nas rotas da rede, os routers baseados em RIP, continuarão a trocar mensagens de atualização em intervalos regulares. Esta é uma das razões pelos quais o RIP não é recomendado para redes grandes, mas sim médias ou pequenas, uma vez que o volume de tráfego consumido pela banda é elevado.

10.2. Cada mensagem do protocolo RIP comporta, no máximo, informações sobre 25 rotas diferentes, o que para grandes redes, faria com que fosse necessária a troca de várias mensagens, entre dois routers, para atualizar as suas respetivas tabelas, com um grande número de rotas. Sempre que receber atualizações, o router atualiza a sua tabela de encaminhamento (routeamento) e envia estas atualizações para todos os routers diretamente conectados.

10.3. É o seu longo tempo de convergência. Ainda que a rede seja capaz de fazer a sua própria reconfiguração, podem-se formar loops de routeamento, havendo perda de dados ou falta de condições de entrega.

11. Desvantagens de RIP:

11.1. A maior vantagem do RIP deve-se à sua simplicidade para configurar e implementar uma rede.