Tecido nervoso

Resumo tecido nervoso

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Tecido nervoso por Mind Map: Tecido nervoso

1. O tecido nervoso é responsável em receber informações dos meios interno e externo e processá-las, a fim de efetuar ação apropriada (interação com o meio)

1.1. Estímulo -> Divisão sensorial conduz PA da periferia -> Processamento e transmissão de informações e início da resposta -> Divisão motora conduz PA para periferia

1.1.1. SN somático -> Músculo estriado esquelético -> RESPOSTA

1.1.2. SN autônomo -> Músculo estriado cardíaco e liso/ Glândulas -> RESPOSTA

2. Constituição anatômica

2.1. Sistema nervoso central (SNC)

2.1.1. Encéfalo

2.1.2. Medula espinhal

2.2. Sistema nervoso periférico (SNP)

2.2.1. Gânglios

2.2.2. Fibras nervosas

2.2.3. Terminações nervosas

3. Constituição histológica

3.1. SNC

3.1.1. Neurônios

3.1.2. Células da glia

3.1.2.1. Astrócitos

3.1.2.2. Oligodendrócitos

3.1.2.3. Micróglia

3.1.2.4. Células ependimárias

3.1.2.5. A organização dessas células vão determinar o surgimento de substância branca ou de substância cinzenta dentro do SNC

3.1.2.6. Substância cinzenta: são encontrados corpos celulares de neurônios (soma)

3.1.2.7. Substância branca: não há corpos celulares de neurônios (soma)

3.2. SNP

3.2.1. Neurônios

3.2.2. Células da glia

3.2.2.1. Células de Schwann

3.2.2.2. Células satélites

4. Morfologia do neurônio

4.1. Neurônio

4.1.1. Excitabilidade

4.1.2. Condutibilidade

4.1.3. Transmissão

4.1.4. Possui uma grande capacidade de excitabilidade, ou seja, é capaz de receber estímulos do meio (interno ou externo), conduzir estes ao seu centro trófico, processando as informações, e então transmitir o resultado desse processo ao efetores

4.2. Corpo celular (soma)

4.2.1. Núcleo: grande, esférico ou piriforme, cromatina frouxa e nucléolo evidente

4.2.2. Citoplasma: REG (Corpúsculo de Nissl), CG, mitocôndria, REL, lisossomos

4.2.3. Citoesqueleto: neurofilamentos, microtúbulos

4.3. Dendritos

4.3.1. Delgados prolongamentos

4.3.2. Curtos e bem ramificados

4.3.3. Aumentam a superfície celular

4.3.4. Região de contato com outros neurônios ou células, principalmente células sensoriais

4.3.5. Recebem informações de terminais axônicos e levam ao corpo celular

4.4. Axônio

4.4.1. Prolongamento único

4.4.2. Cone de implantação

4.4.3. Citoplasma com poucas organelas, mas com neurofilamentos e microtúbulos

4.4.4. Transmissão do impulso nervoso

4.4.5. É através do axônio que as vesículas de NT produzidas pelo soma são levadas até os terminais. A reciclagem dessas vesículas também acontece por meio dos axônios

4.5. Sinapses

4.5.1. Locais especializados de transmissão de mensagem química em resposta a um impulso nervoso gerado pelo potencial de ação

4.5.2. Tipos de sinapses

4.5.2.1. Axoaxônica

4.5.2.2. Axossomática

4.5.2.3. Axodendrítica

4.5.2.4. Dendrodendritica

5. Morfologia do SNC

5.1. Células da glia

5.1.1. 1 neurônio: 10 células da glia

5.1.2. Suporte do microambiente do tecido nervoso

5.1.3. Capacidade de proliferação

5.1.4. Não propagam impulsos nervosos

5.1.5. Astrócitos

5.1.5.1. Suporte trófico

5.1.5.2. Produção de neurotrofinas

5.1.5.3. Captação de neurotransmissores

5.1.5.4. Formação do tecido cicatricial

5.1.5.5. Desempenham funções tróficas e de nutrição essenciais aos neurônios

5.1.5.6. São células com longos prolongamentos que formam pés vasculares que atapetam todos os vasos que entram no tecido nervoso, bem como a camada de tecido conjuntivo que faz o revestimento externo do tecido nervoso, fazendo com que os neurônios não toquem essas estruturas e, portanto, seja necessária a passagem através do astrócito

5.1.5.7. Barreira hemato-encefálica

5.1.5.7.1. Estrutura

5.1.5.7.2. Função

5.1.6. Oligodendrócito

5.1.6.1. É capaz de emitir várias projeções do seu citoplasma. Cada uma delas pode se envolver nos axônios, formando fibra de mielina

5.1.7. Microglia

5.1.7.1. Faz parte do sistema fagocitário mononuclear, o qual tem como função garantir a defesa e a limpeza quando se tem um processo inflamatório instaurado

5.1.7.2. Menor tipo celular dentro do SNC

5.1.8. Células ependimárias

5.1.8.1. Pode ter uma morfologia pavimentosa cúbica ou cilíndrica

5.1.8.2. Pluripotente

5.1.8.2.1. Capaz de gerar outras células neuronais

5.1.8.3. Destoxificação

5.1.8.4. Proteção

5.1.8.5. Suporte trófico e metabólico

5.1.8.6. Era conhecida pelo transporte de água e íons para a formação do líquido cefalorraquidiano

5.1.8.6.1. Líquido cefalorraquidiano: líquido que banha as cavidades de ventrículos e o canal medular dentro do SNC

6. Composição do SNC

6.1. O SNC está contido e protegido na caixa craniana e no canal vertebral, sendo envolvido por membranas de tecido conjuntivo chamadas MENINGES

6.2. Dura-máter: camada mais externa, composta por tecido conjuntivo denso

6.3. Aracnoide: camada intermediária, composta por tecido conjuntivo frouxo e capaz de emitir trabéculas nas quais passam vasos e o líquido cefalorraquidiano

6.3.1. Forma um colchão hidrostático para proteção do tecido nervoso

6.4. Pia- máter: camada mais interna, composta por delgada camada de tecido conjuntivo frouxo, que acompanha todos os vasos até o encontro com os pés dos astrócitos

7. Morfologia do SNP

7.1. Célula de Schwann

7.1.1. Cada célula é capaz de se enrolar em um pequeno fragmento de axônio e formar a bainha de mielina

7.1.1.1. O espaço entre uma célula e outra é chamado do nódulo de Ranvier

7.1.2. Nem todas as fibras no tecido nervoso são mielínicas, ou seja, apesar do revestimento da célula de Schwann em todos os axônio não ocorre a formação da bainha

7.1.3. Secretam a membrana basal

7.1.4. NENHUM axônio permanece sem ser envolto por processos da célula de Schwann

8. Mielinização no SNC e SNP

8.1. SNC - Oligodendrócitos

8.1.1. Mielina em 40-50 axônios

8.1.2. Ausência de lâmina basal

8.1.3. Nodo de Ranvier maiores e com pés vasculares

8.1.4. Fibras amielínicas não são envolvidos por processos

8.2. SNP - Células de Schwann

8.2.1. Mielina em 1 axônio apenas

8.2.2. Presença lâmina basal

8.2.3. Interdigitações de prolongamentos citoplasmáticos

8.2.4. Fibras amielínicas são envolvidos por células de Schwann

9. Processos SN

9.1. SNP

9.1.1. No SNP têm feixes de fibras nervosas que são capazes e inervar os terminais sensoriais, fazendo com que todo estímulo captado chegue na medula e passe por neurônios sensoriais (os quais formam gânglios) que faram o processamento para desencadear uma resposta

9.1.2. Nervos são conjuntos de fibras nervosas no SNP, ao passo que o conjunto de fibras nervosas no SNC são chamados de tratos

9.1.3. O conjunto de neurônios fora do SNC são chamados de gânglios, enquanto dentro do SNC esses são chamados de núcleos

9.1.4. A estrutura de fibras, além da bainha de mielina e intima relação com as células de Schwann, existe a presença dos tecidos que fazem a compartimentalização

9.1.4.1. Endoneuro: produz uma delgada camada de tecido conjuntivo frouxo ao redor de cada fibra nervosa

9.1.4.2. Perineuro: reveste um conjunto de fibras, onde os fibroblasto são capazes de formar junções celulares

9.1.4.3. Nervo: conjunto de feixes

9.1.4.4. Epineuro: reveste um nervo e é formado por tecido conjuntivo

10. Plasticidade neural

10.1. Plasticidade morfológica

10.1.1. Formação de novos circuitos

10.1.2. Alteração do trajeto de fibras

10.1.3. Alteração do número de células

10.2. Capacidade de adaptação do SN, especialmente dos neurônios, às mudanças cotidianas no ambiente que o indivíduo está inserido

10.3. A plasticidade é diferente em um indivíduo em formação (pré-natal) e em um indivíduo já formado (pós-natal)