Saúde coletiva II

Instituto Tecnológico de SaltilloTaller de Investyigación 1, 10-11 AMME Virginia Julieta Aguirre DomínguezMapa conceptual Unidad 1Emili Elizabeth Valdes Alvarado

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Saúde coletiva II por Mind Map: Saúde coletiva II

1. Integralidade entre vigilância e atenção à saúde

1.1. Como é:

1.1.1. A vigilância em saúde utiliza-se dos conceitos e níveis de atenção (primário, secundário e terciário) como base para a realização de suas ações.

2. Raiva

2.1. Atenção primária

2.1.1. Ser vacinado

2.1.2. Em caso de lesões por animais conhecidos: observar o anim⁵al por 10 dias

2.1.3. Vacinar os animais

2.1.4. Em caso de mordida/arranhão: lavar com água e sabão e desinfectar com álcool ou iodo. Procurar a unidade básica de saúde

2.1.5. Comunicar qualquer alteração ou morte do animal

2.2. Atenção secundária

2.2.1. Tratamento com remédios

2.2.2. Uso de antivírais

2.2.3. Aplicação de soro

2.3. Atenção terciária

2.3.1. Evitar maiores dano ou morte

2.4. Riesgos

2.4.1. Indução de cona profundo

3. Transmissão e sintomas da raiva:

3.1. A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%. É causada pelo Vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae.

3.1.1. 🔁 A raiva apresenta três ciclos de transmissão: - urbano: representado principalmente por cães e gatos; - rural: representado por animais de produção, como: bovinos, eqüinos, suínos, caprinos; - silvestre: representado por raposas, guaxinins, primatas e, principalmente, morcegos.

3.1.1.1. Registros directos, no interpretados

3.1.2. Transmissão:

3.1.2.1. A transmissão da raiva ocorre quando os vírus da raiva existentes na saliva do animal infectado penetram no organismo através da pele ou de mucosas, por meio de mordedura, arranhadura ou lambedura.

3.1.3. Sintomas:

3.1.3.1. mal-estar geral; pequeno aumento de temperatura; anorexia; cefaleia; náuseas; dor de garganta; entorpecimento; irritabilidade; inquietude; sensação de angústia.

3.2. Técnicas

3.2.1. Silvestre: representado por raposas, guaxinins, primatas e, principalmente, morcegos.

3.2.1.1. Entrevista estructurada o no estructurada Observación sistemática y no sistemática Historias de vida Autobiografías Relato Nota de campo Diario Cuadernos Archivo Grabaciones en audio y video

3.2.2. A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%. É causada pelo Vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae.

3.2.2.1. A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%. É causada pelo Vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae.

3.3. 🔁 A raiva apresenta três ciclos de transmissão:

3.3.1. Urbano: representado principalmente por cães e gatos.

3.3.2. Rural: representado por animais de produção, como: bovinos, equinos, suínos, caprinos.

3.3.3. Silvestre: representado por raposas, guaxinins, primatas e, principalmente, morcegos.

3.3.4. 4. Recolectar la información

4. Vigilância à saúde

4.1. Ações

4.1.1. Supervisão, fiscalização e gerenciamento.

4.1.2. Engloba a colheita e análise dos dados, os quais servirão para elaborar um plano de ação de atenção a saúde.

4.2. Engloba

4.2.1. zoonoses

4.2.2. imunização

4.2.3. endemias

4.2.4. sistema de informação

4.2.5. controle de água

4.2.6. vigilância sanitária

4.2.7. promoção à saúde

4.2.8. epidemiologia

4.2.9. educação em saúde

4.2.10. capacitação

4.2.11. laboratórios de saúde pública

5. ATENÇÃO À SAÚDE

5.1. Primária

5.1.1. Promoção a saúde e proteção específica

5.2. Secundária

5.2.1. Atendimento especializado ou de média complexidade. Tratamento e diagnóstico precoces, limitando as incapacidades

5.3. Terciária

5.3.1. Alta complexidade, nesse nível atuam médicos especialistas; recuperação e reabilitação.

6. Equipe:

6.1. Anny Laís de Sena Rodrigues

6.2. Ivna Mara Goes de Sena

6.3. Layla Samylle Costa Santos

7. Fortalecimento de ações de vigilância em saúde

7.1. Capacitação de recursos humanos

7.2. Integração entre a responsabilidade sanitária e participação social

7.3. Promover a participação da população

7.4. Integração das atividades dos co-responsáveis pela saúde da população

7.5. Relaciona-se com

7.5.1. Atenção aos enfermos

7.5.2. Saberes sobre a transmissão das doenças infecciosas

7.5.3. Mecanismos adotados para impedir a disseminação das doenças

7.6. Estudo epidemiológico

7.6.1. compreender como a doença se apresenta e a partir de que

7.6.1.1. etiologia dos agentes infecciosos

7.6.1.2. reservatórios

7.6.1.3. hospedeiros

7.6.1.4. vetores

7.6.2. desenvolvimento da microbiologia