BCC

Membrana plasmática, e outros organitos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
BCC por Mind Map: BCC

1. Nucleo

1.1. Estrutura

1.1.1. Invólucro nuclear

1.1.1.1. Estrutura

1.1.1.1.1. Membrana externa

1.1.1.1.2. Cisterna

1.1.1.1.3. Membrana interna

1.1.1.1.4. Lamínas

1.1.1.2. Des/agregação

1.1.1.2.1. Vesicularização

1.1.1.2.2. Formação

1.1.2. Nucléolo

1.1.2.1. cromatina

1.1.2.1.1. cromatina densa

1.1.2.1.2. cromatina difusa

1.1.2.2. nas regiões SAT

1.1.3. Poros nucleares

1.1.3.1. Estrutura

1.1.3.1.1. 3 aneis

1.1.3.1.2. fibrilhas = lamínas

1.1.3.2. Transporte

1.1.3.2.1. Moléculas de <5kDa

1.1.3.2.2. proteinas

1.1.3.2.3. ARN

1.1.3.3. Mantem estrutura do invólucro nuclear

1.1.3.3.1. numero e posição controlados

1.1.4. Citosqueleto

1.1.4.1. Extranuclear

1.1.4.1.1. Microtubulos

1.1.4.2. Matriz fibrilhar intranuclear

1.1.4.2.1. lamínas

1.2. Função

1.2.1. Controlo

1.2.1.1. Divisão celular

1.2.1.1.1. Membrana tem de estar intacta

1.2.1.2. Expressão génica

1.2.1.2.1. Dirigir o metabolismo

1.2.1.2.2. Biogénese dos ribossomas

1.2.1.2.3. Sintetizar ARN

1.2.1.3. Mobilidade

1.2.1.3.1. Só em amibas

1.2.2. Sintese de material nucleico

1.2.2.1. Fosforilação oxidativa

1.2.2.1.1. ATP!

1.2.3. Transmissão de sinais

1.2.3.1. via // IP3

1.2.3.1.1. PlC

1.2.3.2. Lib Ca++ indep do citossol

1.3. Técnicas usadas

1.3.1. MET

1.3.2. MEV

1.3.3. Freeze-etching

1.3.4. GFP

1.3.5. ouro coloidal recoberto com proteinas

2. Plasmalema

2.1. Estrutura

2.1.1. Composição

2.1.1.1. Proteinas

2.1.1.1.1. hidrofílicas

2.1.1.1.2. hidrofóbicas

2.1.1.2. Lípidos

2.1.1.2.1. insaturados

2.1.1.2.2. saturados

2.1.1.3. Esteróides

2.1.1.3.1. aumentam fluidez

2.1.2. Organização

2.1.2.1. Modelo do mosaico fluido

2.1.2.1.1. Proteinas muito móveis

2.1.2.1.2. Lípidos pouco móveis

2.1.2.1.3. Proporção proteinas/lípidos varia

2.1.3. Biogénese

2.1.3.1. proteinas periféricas citossólicas

2.1.3.1.1. produzidas por ribossomas livres

2.1.3.1.2. difusão

2.1.3.2. Outras proteinas e lípidos

2.1.3.2.1. produzidas pro ribossomas do R.E.

2.1.3.2.2. Vesículas de exocitose

2.1.3.2.3. Proteinas glicoziladas têm geralmente parte glicosídica para o exoplasma

2.1.4. Especializações

2.1.4.1. Polarização

2.1.4.2. Junções celulares

2.1.4.2.1. Junções impermeáveis - tight junctions

2.1.4.2.2. Junções de aderência - desmossomas

2.1.4.2.3. junções comunicantes

2.2. Função

2.2.1. Metabolismo

2.2.2. Permeabilidade

2.2.2.1. Controlo passivo

2.2.2.1.1. Diferença de pressão osmótica

2.2.2.1.2. Campo eléctrico

2.2.2.1.3. Diferença de concentração

2.2.2.2. Controlo activo

2.2.2.2.1. Permeabilidade facilitada

2.2.2.2.2. Permeabilidade activa

2.2.2.2.3. Ionóforos/Inibidores

2.2.3. Secreção

2.2.3.1. Endocitose

2.2.3.1.1. Tipos

2.2.3.2. Exocitose

2.2.3.2.1. Membrana ex: Golgi

2.2.3.2.2. Conduzidos até ao plasmalema pelos MT

2.2.3.2.3. Anexinas

2.2.3.2.4. ácidos grodos cis-insaturados

2.2.3.2.5. SNAREs, SNAPs

2.2.3.2.6. Controlo

2.2.4. Sinalização

2.3. Técnicas usadas

2.3.1. MET

2.3.2. Contrastação com OsO4

2.3.3. freeze-fracture

2.3.3.1. Separação dos dois folhetos membranares

2.3.3.1.1. observação da superfície

2.3.4. FRAP

2.3.4.1. Fluorescence Recovery After Photobleaching

2.3.5. ESR

2.3.5.1. espectroscopia de resonância de spin

2.3.5.1.1. fosfolípido com grupo nitróxido absorvedor de energia

2.3.6. Lipossomas e bicamadas planas

2.3.7. yeast2hybrid

2.3.8. splitYFP

3. Parede Celular

3.1. Estrutura

3.1.1. Textura

3.1.1.1. Dispersa

3.1.1.1.1. Fibroide

3.1.1.1.2. Tubular

3.1.1.1.3. Foliar

3.1.1.2. Paralelas

3.1.1.2.1. Fibrosa

3.1.1.2.2. Helicoidal

3.1.1.2.3. Anular

3.1.1.3. Cruzadas

3.1.2. Tipos de Deposição

3.1.2.1. por Aposição

3.1.2.1.1. Aumento de espessura

3.1.2.2. por Intussucepção

3.1.2.2.1. Aumento de densidade

3.1.3. Organização

3.1.3.1. Camadas

3.1.3.1.1. Lamela média

3.1.3.1.2. Parede 1ária

3.1.3.1.3. Parede 2ária

3.1.3.2. Modelo de Lamport

3.1.3.2.1. Fibrilhas de celulose interligadas por ligações S-S

3.1.3.2.2. Hidroxiprolinas ligadas a AGP fornecem rigidez

3.1.3.3. Modelo de Alberscheim

3.1.3.3.1. Pressupostos

3.1.4. Alongamento

3.1.4.1. Modelo de Alberscheim

3.1.4.1.1. quebra das ligações glicosídicas entre o Xiloglucano e a Celulose

3.1.4.1.2. Intercalação de novo material

3.1.4.1.3. Afastamento das fibrilhas

3.1.4.1.4. ERRADO

3.1.4.2. Modelo de Lamport

3.1.4.2.1. quebra enzimática das ligações persulfureto

3.1.4.2.2. redução química

3.1.4.2.3. ERRADO

3.1.4.3. Teoria do crescimento ácido