TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO

Project Control, Project Closing, Timeline template

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO por Mind Map: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO

1. SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO BIBLIOGRÁFICO; É UM TIPO DE LINGUAGEM DE INDEXAÇÃO; ENCICLOPÉDICA, ABARCA TODOS OS RAMOS DO SABER.

2. Etapas iniciais

2.1. ANÁLISE DE ASSUNTO ( Definição e suas etapas)

2.1.1. Processo de ler um documento para extrair conceitos que traduzam a essência do conteúdo.

2.1.2. ETAPAS:

2.1.3. LEITURA TÉCNICA

2.1.4. EXTRAÇÃO DOS CONCEITOS

2.1.5. SELEÇÃO DOS CONCEITOS

2.1.6. TRADUÇÃO

2.2. INDEXAÇÃO ( Definição e suas etapas )

2.2.1. PROCESSO DE DISCERNIR E REPRESENTAR A ESSÊNCIA DE UM DOCUMENTO COM UM GRAU DE PREDICABILIDADE E FIDELIDADE, NUM MODO DE EXPRESSÃO EM LINGUAGEM DE INDEXAÇÃO.

2.2.2. ETAPAS:

2.2.3. ANÁLISE DE CONCEITUAL

2.2.4. TRADUÇÃO

2.2.5. EXPRESSÃO DO ASSUNTO NOS TERMOS DO ÍNDICE

2.3. LINGUAGENS DE INDEXAÇÃO

2.3.1. Linguagens construídas á partir de um conjunto de regras, que servem para representar o conteúdo de um documento.

2.3.2. Linguagens Pré-Coordenadas São aquelas que combinam ou coordenamos termos no momento da indexação. Fazem parte desse grupo – os cabeçalhos de assunto e as classificações bibliográficas.

2.3.2.1. Cabeçalhos de Assuntos

2.3.2.2. Sistemas Tradicionais da Classificação

2.3.3. Linguagens Pós – Coordenadas São aquelas que combinam ou coordenam os termos no momento da busca. São utilizadas principalmente em sistemas automatizados

2.3.3.1. Sistema Unitermo

2.3.3.2. Tesauros

2.4. CATALOGAÇÃO ( Definição )

2.4.1. VISA CRIAR REPRESENTAÇÕES DOS DOCUMENTOS

2.5. METADADO

2.5.1. DESCRIÇÃO FÍSICA DOS RECURSOS ELETRÔNICOS. CUMPRE NO AMBIENTE DIGITAL, FUNÇÃO SEMELHANTE Á DA CATALOGAÇÃO NAS BIBLIOTECAS TRADICIONAIS.

3. CLASSIFICAÇÃO

3.1. CONJUNTO DE CONCEITOS ESTRUTURADOS E ARRANJADOS SISTEMATICAMENTE, DE ACORDO COM OS OBJETIVOS, CRITÉRIOS OU CARACTERÍSTICAS DETERMINADAS.

3.1.1. CLASSIFICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA: DESENVOLVIDA PARA ESTABELECER RELAÇÕES ENTRE OS DOCUMENTOS DE UMA COLEÇÃO, EM BIBLIOTECAS E CENTROS DE INFORMAÇÃO OU DOCUMENTAÇÃO, PARA FACILITAR A LOCALIZAÇÃO DOS MESMOS.

3.2. CDU

3.2.1. FOI CRIADA COM O OBJETIVO DE SERVIR DE BASE PARA COMPILAÇÃO DO REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL.

3.2.2. ACRÉSCIMO A ESTRUTURA DE DEWEY: A INCLUSÃO DE TABELAS AUXILIARES, CUJOS NÚMEROS PODERIAM SER UTILIZADOS SEM TODAS AS PARTES DO SISTEMA. GRAU MAIOR DE DETALHAMENTO NA ORGANIZAÇÃO DOS ASSUNTOS.

3.2.3. ARQUIVO MESTRE DA CDU

3.2.3.1. A SEGUNDA EDIÇÃO DE 1927 TORNOU-SE ARQUIVO MESTRE DA CDU, PASSANDO A RECEBER AS ALTERAÇÕES E CORREÇÕES ATÉ 1993. IDIOMA: FRANCÊS

3.2.4. TIPOS DE EDIÇÕES DA CDU

3.2.4.1. Médias 1962: inicia‐se sua preparação para servir de meio termo entre a desenvolvida e a abreviada. 25% da desenvolvida. Atualmente há três edições médias: -em alemão, em francês e em português (tradução do IBICT);

3.2.4.2. Abreviadas Atingem 10% das edições desenvolvidas: -oferecem o verdadeiro sentido universal da CDU. Traduzidas em quase todos os idiomas: -em língua portuguesa: publicada em Portugal pelo Centro de Documentação Científica do Instituto de Alta Cultura e pelo Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (IBBD), hoje o IBICT.

3.2.4.3. Condensadas Oferecem uma visão de conjunto da classificação. 2,5% da edição desenvolvida. 1967: edição condensada publicada em francês, ocupando somente 50 páginas.

3.2.4.4. Especiais Apresentam uma ou algumas classes relacionadas; Extraídas das desenvolvidas: - com ou sem acréscimo dos Projetos de extensões ou de assuntos afins

3.2.4.5. Desenvolvidas 1904: 1ª ed. Internacional intitulada "Manuel du Repertoire Bibliographique Universel", em idioma francês. 1927: 2ª ed. publicada pelo Instituto Internacional de Bibliografia, em francês, recebeu o nome de "Classification Decimale Universelle”. 1934: 3ª ed., em alemão, "Dezimalklassifikation", é a edição desenvolvida mais completa.

3.2.4.6. Outras edições Desenvolvidas foram publicadas em: -Inglês: 4ª ed.; -Francês: 5ª ed.; -Japonês: 6ª ed.; -Espanhol: 7ª ed.; -Alemão: 8ª ed.; -Português: 9ª ed.

3.2.5. CRIADORES: PAUL OTLET ( ADVOGADO, ATIVISTA PELA PAZ INTERNACIONAL , RECONHECIDO COMO ELEMENTO CENTRAL DA CRIAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO) ; HENRIQUE LA FONTAINE; (ADVOGADO, PROFESSOR DE DIREITO INTERNACIONAL, SENADOR BELGA, ATIVISTA PELA PAZ INTERNACIONAL). OTLET TINHA UM SONHO DE OFERECER UM ÍNDICE DE ASSUNTOS POR MEIO DO RBU QUE PERMITIRIA IR AS ESPECIFIDADES DO CONHECIMENTO

3.2.6. TIPO DE USO QUE MELHOR SE ADAPTA

3.2.6.1. Não proporciona regras fixas, pretendendo ser um esquema flexível, que pode ser adaptado a diversas circunstâncias e condições de uso. Classificação para uso bibliográfico

3.2.7. EDIÇÃO MAIS COMPLETA

3.2.7.1. DESENVOLVIDAS, 1934, TERCEIRA EDIÇÃO EM ALEMÃO, "Dezimalklassifikation"

3.2.8. CARACTERÍSTICAS GERAIS DA CDU

3.2.8.1. MONO-HIERÁRQUICA

3.2.8.2. EXAUSTIVA E ESPECÍFICA

3.2.8.3. SISTEMA DECIMAL

3.2.8.4. LINGUAGEM UNIVERSAL

3.2.8.5. ANALÍTICO SINTÉTICA

3.2.9. PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

3.2.9.1. LINGUAGEM ARTIFICIAL

3.2.9.1.1. NOTAÇÕES ESTABELECIDAS ANTES DA ANÁLISE NOS DOCUMENTOS

3.2.9.1.2. NOTAÇÕES INALTERÁVEIS PARA REPRESENTAR UM ASSUNTO

3.2.9.1.3. SUA INVERSÃO RESULTA NA REPRESENTAÇÃO DE OUTRO ASSUNTO

3.2.9.2. LINGUAGEM PRÉ-COORDENADA

3.2.9.2.1. NOTAÇÕES PRONTAS PARA ASSUNTOS COMPOSTOS

3.2.9.3. LINGUAGEM NORMALIZADA

3.2.9.3.1. SEMPRE PREOCUPADA EM ESTAR DE ACORDO COM AS INSTRUÇÕES DE ORGANISMOS DE NORMALIZAÇÃO NACIONAIS E INTERNACIONAIS

3.2.10. RESPONSÁVEIS PELA MANUTENÇÃO E ATUALIZAÇÃO DA CDU

3.2.11. RESPONSÁVEL PELA ATUALIZAÇÃO DA CDU NO BRASIL

3.2.11.1. IBICT, Á PARTIR DE 1997.

3.2.12. MAIS RECENTE VERSÃO UTILIZADA NO BRASIL

3.2.12.1. 2007. 2ª Edição‐Padrão Internacional em Língua Portuguesa

3.3. TRÊS TIPOS BÁSICOS DE CLASSIFICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA

3.3.1. ENUMERATIVO

3.3.2. SEMI-ENUMERATIVO

3.3.3. ANALÍTICO-SINTÉTICO

3.4. ABRANGÊNCIA

3.4.1. CLASSIFICAÇÕES GERAIS ( OU ENCICLOPÉDICAS ) : SISTEMATIZAM TODO O CONHECIMENTO HUMANO ( EXEMPLO: CDD/CDU )

3.4.2. CLASSIFICAÇÕES ESPECIALIZADAS: SISTEMATIZAM CONHECIMENTOS DE UM DOMÍNIO ESPECÍFICO. ( EXEMPLO: UNICLASS ).

3.5. DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS ENTRE CDD E CDU

3.5.1. ABRANGEM TODO O CONHECIMENTO HUMANO;

3.5.2. CORTE DOS ZEROS FINAIS

3.5.3. USO DE SINAIS GRÁFICOS; CDU POSSUI VOLUME ÚNICO

3.5.4. COLOCAÇÃO DE PONTO AO FINAL DE TRÊS ALGARISMOS.