Parte 1 - FSM

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Parte 1 - FSM por Mind Map: Parte 1 - FSM

1. Introdução

1.1. Allan Abrecht foi o primeiro a publicar sobre APF; IPFUG foi fundado em 1986; A versão 4.3 do CPM é a release mais recente em conformidade com a ISO/IEC 14143-1:2007;

1.1.1. Aplicações da APF (utilidade):

1.1.1.1. dar suporte à análise de qualidade e produtividade

1.1.1.2. estimar custo e recurso requeridos para desenvolvimento, melhoria e manutenção

1.1.1.3. fornecer fator de normalização para comparação de softwares

1.1.1.4. determinar o tamanho de um pacote adquirido (funções)

1.1.1.5. ajudar os usuários a determinar o benefício provido por um pacote de aplicação

1.1.2. Objetivos da APF:

1.1.2.1. Medir a funcionalidade implementada no software, que o usuário solicita e recebe (aplicação)

1.1.2.2. Medir a funcionalidade impactada pelo desenvolvimento, melhoria e manutenção de software, independente de tecnologia utilizada.

1.1.3. O processo é

1.1.3.1. Simples para minimizar custos adicionais

1.1.3.2. uma medida consistente entre diversos projetos e organizações

1.2. Escopo:

1.2.1. Propósito

1.2.1.1. o padrão especifica conjunto de DEFINIÇÕES, REGRAS E PASSOS para o FSM (método de medição de tamanho funcionar) do IFPUG

1.2.2. Conformidade

1.2.2.1. ISO/IEC 14143-1:2007 (colocou a parte das CGS como apêndice para ficar em conformidade)

1.2.3. Aplicabilidade

1.2.3.1. Todos os domínios funcionais

1.2.3.2. Totalmente conversível com versão anteriores

1.2.4. Público

1.2.4.1. qualquer pessoa que requeira uma medição de tamanho funcional

2. Referência Normativa

2.1. Referências datadas: somente a edição citada

2.2. Referências não datadas: última edição do documento referenciado

2.3. ISO/IEC 14143-1:2007, Information technology — Software measurement — Functional size measurement — Part 1: Definition of concepts

3. Termos e Definições

3.1. Análise de Pontos de Função (APF)

3.2. aplicação

3.3. Arquivo de Interface Externa (AIE)

3.4. Arquivo Lógico Interno (ALI)

3.5. Arquivo Lógico Referenciado (ALR)

3.6. arranjar

3.7. autocontido

3.8. classificação

3.9. complexidade funcional

3.10. Componente Funcional Básico (CFB)

3.11. Consulta Externa

3.12. contagem de pontos de função

3.13. contagem de pontos de função da aplicação

3.14. contagem de pontos de função do projeto de melhoria

3.15. contagem de pontos de função de projeto de desenvolvimento

3.16. Dados Elementar Referenciado (DER)

3.17. dados derivados

3.18. entidade dependente

3.19. entidade independente

3.20. Entrada Externa (EE)

3.21. escopo da contagem

3.22. estado consistente

3.23. fronteira

3.24. função de dados

3.25. função transacional (ou função de transação)

3.26. funcionalidade de conversão

3.27. informações de controle

3.28. intenção primária

3.29. logica de processamento

3.30. manter

3.31. manutenção adaptativa

3.32. manutenção corretiva

3.33. manutenção perfectiva

3.34. Ponto de Função (PF)

3.35. processo elementar

3.36. projeto de desenvolvimento

3.37. projeto de melhoria

3.38. propósito da contagem

3.39. reconhecido pelo usuário

3.40. Registro Lógico Referenciado (RLR)

3.41. Requisitos Funcionais do Usuário

3.42. Saída Externa (SE)

3.43. significativo

3.44. tamanho funcional

3.45. tamanho funcional da aplicação

3.46. tamanho funcional do projeto de melhoria

3.47. tamanho funcional do projeto de desenvolvimento

3.48. tipo de entidade associativo

3.49. tipo de entidade atributivo

3.50. tipo de função

3.51. usuário

3.52. visão do usuário

4. Abreviaturas

4.1. AIE

4.2. ALI

4.3. ALR

4.4. APF

4.5. CE

4.6. CBF

4.7. DER

4.8. EE

4.9. PF

4.10. RLR

4.11. SE

5. Processo de Medição

5.1. 1. Reunir Documentação Disponível

5.1.1. A documentação adequada inclui requisitos, mode de dados/objetos, digramas de classe, diagrama de fluxo de dados, casos de uso, descrições de procedimentos, formatos relatórios, manuais de usuários e outros artefatos para o desenvolvimento do software

5.1.2. Na FALTA de documentação consultar um ESPECIALISTA

5.2. 2. Determinar o escopo e a fronteira e identificar os Requisitos Funcionais do Usuário

5.2.1. a) identificar o propósito da contagem (questão de negócio)

5.2.2. b) identificar o tipo de contagem: - projeto de desenvolvimento - aplicação - projeto de melhoria

5.2.3. c) determinar o escopo da contagem (pode conter mais de uma aplicação)

5.2.4. d) determinar a fronteira de cada aplicação contida no escopo baseado na visão do usuário

5.2.4.1. O ESCOPO NÃO DEFINE A FRONTEIRA DA APLICAÇÃO

5.2.5. e) identifica os Requisitos Funcionais e excluir os não-funcionais

5.3. 3. Medir Funções de Dados

5.3.1. a) identificar e agrupar todos os dados lógicos

5.3.1.1. identificar todos os dados ou informações de controle logicamente relacionados e reconhecidos pelo usuário, dentro do escopo da contagem

5.3.1.2. excluir entidades que não sejam mantidas por nenhuma aplicação

5.3.1.3. agrupar entidades que sejam entidades dependentes,

5.3.1.4. excluir as entidades denominadas dados de código: 1) entidade de dados de substituição, que contém um código e um nome ou descrição explicativos; 2) entidade de ocorrência única, que contém um ou mais atributos que raramente ou nunca mudam; 3) entidade que contém dados basicamente estáticos, ou que muito raramente mudam; 4) entidade de valores default, que contém valores para popular atributos; 5) entidade de valores válidos, que contém valores disponíveis para seleção ou validação; 6) entidade que contém uma faixa de dados para validação,

5.3.1.5. excluir entidades que não contenham atributos requeridos pelo usuário

5.3.1.6. remover entidades associativas que contenham atributos adicionais não requeridos pelo usuário e entidades associativas que contenham apenas chaves estrangeiras; agrupar os atributos referentes a chaves estrangeiras com as entidades primárias

5.3.2. b) classificar todas as funções de dados como ALI ou AIE

5.3.2.1. ALI - se for mantida

5.3.2.2. AIE -se for REFERENCIADA, mas não mantida e identificada como um ALI em uma ou mais outras aplicações

5.3.2.3. Funções de dados que tem essas duplas características são classificadas como ALI

5.3.3. c) contar os DERs para cada função de dados

5.3.3.1. contar um DER para cada atributo único, reconhecido pelo usuário e não repetido, mantido na função de dados ou recuperado da mesma por meio da execução de todos os processos elementares pertinentes ao escopo da contagem

5.3.3.2. quando duas ou mais aplicações mantiverem e/ou referenciarem a mesma função de dados, contar apenas os DERs utilizados pela aplicação medida,

5.3.3.3. contar um DER para cada atributo requerido pelo usuário para estabelecer um relacionamento com outra função de dados,

5.3.3.4. revisar os atributos relacionados a fim de determinar se os mesmos devem ser agrupados e contados como um único DER, ou como vários DERs. O agrupamento irá depender de como os processos elementares utilizam os atributos dentro da aplicação

5.3.4. d) contar os RLRs para cada função de dados

5.3.4.1. a) contar um RLR para cada função de dados

5.3.4.2. b) contar um RLR adicional para cada um dos seguintes subgrupos lógicos de DERs (dentro da função de dados) que contenham mais de um DER: 1) entidade associativa com atributos não-chave; 2) subtipo (sem ser o primeiro subtipo); 3) entidade atributiva, em um relacionamento que não seja 1-1obrigatório

5.3.5. e) determinar a COMPLEXIDADE funcional de cada função de dados

5.3.5.1. Figura

5.3.6. f) determinar o tamanho funcional (CONTRIBUIÇÃO) de cada função de dados

5.3.6.1. Tabela

5.4. 4. Medir Funções de Transação

5.4.1. a) identificar cada processo elementar requerido pelo usuário

5.4.2. b) classificar cada função de transação como uma EE, SE ou CE,

5.4.3. c) contar os ALRs para cada função de transação

5.4.4. d) contar os DERs para cada função de transação

5.4.5. e) determinar a complexidade funcional

5.4.5.1. COMPLEXIDADE EE,

5.4.5.2. COMPLEXIDADE SE, CE

5.4.6. f) determinar o tamanho funcional

5.4.6.1. CONTRIBUIÇÃO EE, SE, CE

5.5. 5. Calcular o Tamanho Funcional

5.5.1. 4 FORMULAS

5.5.2. Projeto de Desenvolvimento DFP = ADD + CFP

5.5.3. Aplicação AFP = ADD

5.5.4. Projeto de Melhoria EFP = ADD + CHGA + DEL + CFP

5.5.5. Aplicação depois Projeto de Melhoria AFPA = (AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL)

5.6. 6. Documentar e Reportar

5.6.1. S FP (IFPUG–IS) 250 FP (IFPUG–ISO/IEC 20926:200x–a)