Do Cidadão - Hobbes

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Do Cidadão - Hobbes por Mind Map: Do Cidadão - Hobbes

1. Sociedade Civil

1.1. Sinônimo de Associação Política - Estado

2. Sociedade é artificial

2.1. Hobbes não considera nenhum homem como um ser naturalmente político. Dessa forma a vida social deve ser uma construção a partir da razão, por isso é artificial. Tudo que é construído não pertence a natureza, é artificial. O homem possui naturalmente o domínio da razão para assim construir artificialmente a sociedade.

3. Começo da Sociedade Civil

3.1. Medo Recíproco: ser humano associa-se por medo recíproco. E a busca por companhia é pela associação com alguém que te traga benefícios

3.1.1. Aptidão para viver em sociedade se dá pela educação que também é artificial

3.2. As pessoas não se associam naturalmente

3.3. Indivíduos vivem em sociedade porque decidem aderir voluntariamente a um contrato

4. ESTADO DE NATUREZA

4.1. Causas do medo recíproco: igualdade natural e mútua vontade de se ferir (seja pela defesa ou pela glória)

4.2. Igualdade: São iguais todos os homens que podem fazer coisas iguais uns contra os outros. E quem sabe fazer mais (ex matar) também sabe fazer 'menos'. Assim todos os homens são iguais por natureza

4.2.1. Desigualdade tem origem nas leis

4.2.1.1. A lei tendencia o mais forte

4.2.1.2. "Lei" da natureza - direito natural

4.3. Direito igual: todos tem direito a tudo e a forma como o terá, no entanto, por sentido lógico se todos tem direito a tudo mas ninguém tem direito a nada. -> Conflito: direito de todos é inútil.

4.4. Estado se sobrepõe ao Estado de Natureza

5. Direitos

5.1. "Liberdade que todo homem possui para utilizar suas faculdades naturais em conformidade com as suas razões retas"

6. Lei da Natureza

6.1. Razão nos faz tomar atitudes que contribuam para a conservação da vida - é uma consequência da natureza a associação

7. Contrato Social

7.1. Ato de dois ou mais que mutuamente se transferem direitos

7.1.1. Diferente de PACTO que não há garantia

7.1.2. Estado civil: muda as relações na medida em que há uma força externa que garante a punição caso não se cumpra

8. ESTADO

8.1. Soberania: poder supremo - aquele a cuja vantagem particular se sobrepõe

9. RESUMO

9.1. Primeiro os contratualistas. Talvez o pensador mais crucial do pensamento político ocidental - e deste curso. Acima, talvez, de Maquiavel. Hobbes questiona, afinal, por que precisamos do Estado. Qual a razão de sua indispensabilidade. A obra “ Do Cidadão” é similar ao Leviatã. Sem Estado, cada um se vira do jeito que puder - é uma guerra de todos contra todos. Para os que querem permanecer vivos, o Estado aparece como fundamental. Sem ele emerge o Estado de Natureza. O Estado é um artifício, sim, mas um artifício necessário. Não é algo natural, basta ver as demais organizações que existem no universo animal. Diferente de Aristóteles, para o qual o homem é um ser político e que precisa viver em socidade, Hobbes não vê nisso nada de natural ou interente ao homem. Ele é artificialmente político e artificialmente moral - necessariamente, mas artificialmente. Em Cidade de Deus, veremos as consequências da ausência do Estado, sob a ótica hobbesiana.