Psicoterapia Sócio-Histórica

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Psicoterapia Sócio-Histórica por Mind Map: Psicoterapia Sócio-Histórica

1. Vigotski estudou a linguagem enquanto função psíquica superior, que é primeiramente social, resultado da relação entre as pessoas, para depois ser interiorizada, como resultado da ação do próprio indivíduo, transformando-se em um instrumento regulador do comportamento. A linguagem é resultado de um sistema simbólico, concebido como mediando as trocas do sujeito com o mundo social e físico que o cerca. Este sistema de mediação simbólica ,que resultou da história cultural da humanidade, constitui o sujeito psicológico humano, tal como o faz a história filogética em relação à espécie humana.

2. mediações entre a história social e a vida concreta dos indivíduos

2.1. Essas mediações ocorrem através da atividade prática humana, pois ao produzir suas formas de subsistência, indiretamente o Homem se autoproduz. Os produtos da atividade humana são sempre coletivos na medida em que só adquirem um significado a partir da vivência social, que é mediada pela linguagem.

3. Psicoterapeuta

3.1. É sentido como um companheiro dinâmico, que guia, regula, seleciona, compara, analisa e registra o desenvolvimento, ajudando o cliente a produzir o aparecimento de novas maneiras de pensar e, da mesma forma propicia a este,o desencadear de processos de modificação de esquemas de conhecimentos , construindo-se , assim novos saberes.

4. Saber pensar, Saber fazer e Saber estar

4.1. Deve-se avaliar como aquele indivíduo leva a vida, quais ambientes ele frequenta, como ele lida com certas situações, isso faz com que o processo terapeutico ocorra de forma adequada, acooperação do sujeito se alia a recursos técnicos e habilidades pessoais do terapeuta.

5. Zona de Desenvolvimento Proximal –ZDP

5.1. espaço teórico gerado na própria interação entre psicoterapeuta e cliente em função dos esquemas de conhecimento sobre a tarefa a ser realizada pertencentes a este último e os saberes, recursos e suportes de apoio utilizados pelo psicoterapeuta

5.1.1. Caminho que o indivíduo vai percorrer para desenvolver funções que estão em processo de amadurecimento e que se tornarão,ao longo do processo psicoterápico, funções consolidadas, estabelecidas no seu nível de desenvolvimento real.

6. O que irá caracterizar o desenvolvimento proximal é justamente a capacidade que surge e desenvolve,de modo partilhado,entre terapeuta e cliente na sessão de consulta.

7. A intervenção do Psicoterapeuta experiente, como mediador, orienta e intermedia trocas, favorecendo o conflito cognitivo e a busca de resolução dos mesmos. Desse modo, justifica-se a importância da atividade Psicoterapêutica, já que serve como espaço de confronto com conteúdos individuais e norteia a interação.

8. Da mesma forma, percebe-se que a troca de experiências vai sendo edificada a partir da reflexão e da construção EU/OUTRO, fator fundamental para o desenvolvimento pessoal e social dos indivíduos envolvidos.

9. Psicoterapeuta Sócio-Histórico Relacional Dialógico

10. interlocutor válido e contingente a um EU em sofrimento, que se desorganizou em determinada altura de seu percurso de vida.Dessa forma, a compreensão empática no ato do acolhimento, por parte deste profissional, envolve o indivíduo num primeiro contato relacional , contextualizado e significado de todo o seu sofrimento explícito e implícito, assumindo este Outro, um papel válido na ação de reconhecimento de toda a sua dor desestruturante