Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
GRIFFITH por Mind Map: GRIFFITH

1. David Wark Griffith, nascido em 1875 em Lagrange, Kentucky, era filho de um coronel sulista arruinado pela guerra de Secessão.

1.1. Criado por uma irmã professora, que sustentava a numerosa família

1.2. Griffith foi sucessivamente jornalista, bombeiro, poeta, operário metalúrgico.

1.3. Tornou-se ator e casou-se com uma colega, Linda Arvidson.

1.4. Em 1907, o jovem casal aceitou pequenos papéis na Edison, sendo depois contratados, a quinze dólares por semana, para a companhia de atores da Biograph.

1.4.1. Rscue from the Eagle's Nest 1907

1.4.2. When the Nights Were Bold 1908

1.5. Estreou como diretor em junho de 1908 com As Aventuras de Dolly, uma clássica história de menina raptada pelos ciganos.

1.6. Griffith ingressou em um metier que parecia menor, sem dignidade, dirigindo filmes curtos fabricados em série

1.6.1. Trabalhando 16 horas por dia, Griffith valoriza a função e impõe-se como diretor competente, hábil na obtenção do rendimento desejado, capaz de resolver conflitos, conciliar questões humanas e técnicas

1.7. Durante três anos, produziu regularmente dois filmes por semana.

1.8. A contribuição decisiva de Griffith foi a de dar pleno sentido à figura do diretor.

1.8.1. Articulou atores, luz, cenografia e decupagem com coerência e precisão para que o filme ganhasse expressividade

1.8.2. consolidou a figura do narrador, que através da organização das imagens, expõe um ponto de vista, modula a emoção, coloca o espectador na condição de "observador ideal dos fatos"

1.9. Ajudou a consolidar um cinema possível, de narração composta nos moldes do folhetim e do melodrama

1.9.1. cinema sustentado na acão e na fluência

1.9.2. "é preciso mostrar a face escura do pecado para fazer brilhar a face iluminada da virtude"

2. Biograph

2.1. Famosos "salvamentos de última hora da Bioghaph"

2.1.1. The Fatal Hour 1908

2.1.2. The Guerrilla 1908

2.1.3. The Lonely Villa 1909

2.1.4. The Lonedale Operator 1911

2.1.5. The Unseen Enemy 1912

2.1.6. Death's Marathon 1913

2.1.7. The Battle of Elderbush Gulch, western de 1913

2.1.7.1. Aqui, o paralelismo de Griffith já atingiu o estágio que ganhou celebridade com O Nascimento de uma Nação

2.2. Assimila as descobertas esparsas de várias escolas ou realizadores e as sistematiza.

2.3. No início, Griffith trataas suas cenas em planos de conjunto, apenas mais aproximados que os de Méliès.

2.4. Sua originalidade manifesta-se por uma pesquisa na montagem alternada

2.4.1. montagem alternada: vai e vem entre ações que ocorrem em espaços – ou, às vezes, em tempos, – diferentes

2.4.1.1. montagem paralela: montagem alternada entre eventos que acontecem ao mesmo tempo

2.4.1.1.1. Se passam dez segundos no evento 1, voltaremos ao evento 2 dez segundos mais tarde

2.4.1.1.2. O "enquanto isso" da literatura é retomado em novos termos (há a duração imposta da imagem, com a progressiva diminuição dos segmentos criando suspense)

2.5. 1908, After Many Years

2.5.1. choca os produtores alternado imagens da esposa em casa, pensando no marido náufrago e a imagem dele, isolado numa ilha, pensando na família

2.5.2. evoca Charles Dickens

2.5.3. paralelismo será uma dos grandes contribuições

2.6. 1908, A song of the Shirt

2.6.1. operária pobre vê sua criança morrer por falta de cuidados, enquanto patrões que lhe recusam pagamento são vistos num banquete

2.6.2. Especulador da bolsa de cereais x camponeses em Corner in Wheat (1909)

2.6.3. Agiota x devedor em The Usurer (1910)

2.7. 1909, A Drunkard's Reformation

2.7.1. campo/contacampo

2.7.1.1. se tornará o be-a-bá da apresentação de interlocutores numa conversa

2.7.1.2. um dos pilares da linguagem do filme clássico

2.8. Começa, gradualmente, a aproximar a câmera para valorizar as expressões e gestos dos atores

2.8.1. Plano americano

2.8.2. close up

2.8.3. evita os exageros da interpretação

2.8.4. A consistência da ficção passa a ser também uma questão de enquadramentos adequados, de mudanças de escala na dimensão dos corpos na tela

2.8.5. Perde exclusividade a visão frontal, simétrica, que imita a perspectiva de um espectador de teatro

2.9. 1911, Lonedale Operator

2.9.1. Alia a montagem alternada e o salvamento de último instante a uma decupagem nervosa e bem ritmada, utilizando enfim os planos americanos e, excepcionalmente, alguns grandes primeiros planos de acessórios

2.10. esquema conjunto / detalhe / conjunto

2.10.1. o mais usual é a aproximação que se insere numa montagem rápida de modo a definir, num simples flash, a aflição da personagem

2.10.1.1. The Informer (1912), The Girl and Her Trust (1912), A Feud in Kentucky Hills (1912), Death's Marathon (1913), A Timely Inception (1913)

2.10.2. Há o caso raro em que o primeiro plano destaca personagens que observam um conflito, enfatizando seu interesse (Homefolks, 1912)

2.10.3. variante em que o primeiro plano resulta do movimento dos atoes em direção à câmera (The Musketeers of Pig Alley (1912)

2.11. Em 1908, qualquer história se conta com menos de 20 planos. Na altura de The Lonely Villa (1909), os 12 minutos de duração já correspondem a mais de 50 planos. Em 1913 chegam à centena e a curta duração se torna nitidamente um entrave para Griffith.

3. Montagem analítica

3.1. unidade dramática no cinema é o plano, não a cena, como no teatro

3.2. diferentes visões parciais articuladas

3.3. ilusão de que estamos diante de um continuum espacial e vemos, a cada tomada, apenas um recorte

3.4. Se a Escola de Brighton e Edwin Porter contribuiram para uma maior clareza da narrativa fílmica, Griffith demonstrou como criar um maior impacto dramático

3.5. Por exemplo, quando Porter mudava de plano era quase sempre por razões físicas, enquanto Griffith mudava de plano por razões dramáticas.

4. Continuidade

4.1. a continuidade é um princípio da decupagem clássica e define o modo de utilizar os recursos do cinema em proveito da relação a mais intensa possível do espectador com a ficção, esta parecendo autônoma, observada em momentos essenciais.

4.2. ponto de vista técnico: coerência e fluência na passagem de um plano a outro, em termos de luz, objetos, ambiente, movimentos

4.3. ponto de vista narrativo: arranjo de episódios e ações, das causalidades e motivações

4.4. No início do século, a noção de continuidade recobria a reflexão dos cineastas sobre o andamento da estória, sua inteligibilidade para a plateia, o que mostrar ou eliminar, como dosar humor, drama e suspense, como ser hábil no uso dos letreiros

4.5. Griffith: mestre da continuidade

5. O Nascimento de uma Nação – 1915

5.1. marco do cinema

5.1.1. consolida o cinema narrativo, estabelece o padrão hollywoodiano

5.2. A parir de 1913 Griffith passou a experimentar com filmes de maior duração, alguns com 20 a 30 minutos, até chegar em O Nascimento de uma nação, de 1915 e Intolerância, de 1916, ambos com cerca de duas horas de duração.

5.3. O Nascimento de uma Nação é um épico sobre a Guerra Civil americana. A partir da história de duas famílias, uma nortista (os Stoneman) e outra sulista (os Cameron), Griffith reúne histórias pessoais e acontecimentos históricos, como uma cavalgada da Ku Klux Klan e o assassinato de Lincoln, mostrando o total domínio sobre a montagem.

5.4. Griffith também inova ao adotar o simbolismo. Para representar a disputa entre as famílias, utiliza cenas de luta entre dois gatos, um preto e outro cinza, que antecedem as cenas de luta familiar.

5.5. Assassinato de Lincoln

5.5.1. o presidente Lincoln é assassinado num teatro, no momento em que o seu guarda-costas negligentemente abandona o posto.

5.5.1.1. Na época de Porter. esses incidentes teriam sido apresentados em meia dúzia de planos, e a plateia entenderia.

5.5.1.1.1. Griffith estruturou a cena em torno de quatro grupos do personagens: a comitiva de Lincoln, inclusive o guarda-costas; Elsie Stoneman c Ben Cameron; Booth, o assassino; e os atores no palco.

5.5.1.1.2. Sempre que ele corta de um grupo para outro, a transição é aceitável porque ficou estabelecido que todos os personagens estão presentes à mesma cena.

5.5.1.1.3. embora a ação principal seja frequentemente interrompida para mostrar o que se passa em torno, não se quebra o princípio da continuidade

6. Intolerância (1916)

6.1. Griffith lança-se em um desafio ainda maior: reunir em um filme quatro histórias de intolerância que se passam na Babilônia, Jerusalém de Cristo, a França dos Huguenotes e a América Moderna.

6.2. A narrativa assim, se dá em espaços em tempos históricos diferentes. Cada um dessas histórias tem sua própria estrutura dramática, em um pararelismo complexo e funcional, utilizando-se para isso de todos os recursos como o movimentos de câmera, grande plano geral, close ups.

6.3. Intolerância não foi bem recebido pelo público, embora seja até hoje reconhecido como um dos grandes filmes da história.