Guilherme Tetamanti - Como Ser um Blogueiro de Viagem Profissional

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Guilherme Tetamanti - Como Ser um Blogueiro de Viagem Profissional por Mind Map: Guilherme Tetamanti - Como Ser um Blogueiro de Viagem Profissional

1. A dádiva de ser um blogueiro de viagem

1.1. Os planos mudam muito rápido, mas isso não é um problema, já que todo passeio ou viagem é uma oportunidade de produção de conteúdo.

1.2. Durante as viagens, o Guilherme trabalho offline: faz fotos, vídeos, roteiros para publicar no blog.

1.3. Depois, volta para a rotina de trabalho normal, no computador, cuidando diretamente do blog.

2. História do blog Quero Viajar Mais

2.1. O Guilherme teve uma experiência de intercâmbio. Voltou e foi trabalhar com o irmão. Depois virou empresário. Mas vendeu tudo para fazer uma volta ao mundo. Foi aí que nasceu o blog, já que ele colocou o objetivo de criar 1 post por dia.

2.2. Durante muito tempo, fez tudo sozinho, o que ajudou a desenvolver muitas habilidades.

2.3. Depois de 3 anos e meio tocando o blog como projeto paralelo, em março de 2015 largou tudo para viver do blog, que já dava uma renda mensal.

2.4. Hoje o Guilherme participa de cursos e mentorias para alavancar o blog.

3. O que é ter um blog

3.1. É ser multitarefa: precisa aprender sobre Wordpress, hospedagem, produção de conteúdo, design, e-mail marketing, escrita, copywriting, SEO, redes sociais, viralização de conteúdo, fotografia, edição de vídeo, negócios digitais, relacionamento online e offline, participação de feiras e viagens, entre muitos outros assuntos.

4. Dia a dia de um blogueiro profissional

4.1. Mantenha contato com seus parceiros

4.2. Estabeleça metas

4.3. Mantenha o foco em aspectos importantes que vão dar retorno - nem sempre no curto prazo

4.3.1. Construção de ativos que trarão retorno futuro

4.3.1.1. Lista de e-mails

4.3.1.2. Artigos

4.3.1.3. Redes sociais

4.4. Evite a procrastinação

4.5. Vantagens

4.5.1. Liberdade pra trabalhar de qualquer lugar

4.5.1.1. No caso de um blogueiro, pode ficar 3 meses viajando e depois 1 mês na frente do computador publicando conteúdo

4.5.1.1.1. Também pode deixar conteúdos agendados para serem publicados durante a viagem

4.5.2. Conhecer gente nova e novas culturas, conhecer pessoas empreendedoras

4.5.3. Aprender novas habilidades

4.6. Desvantagens

4.6.1. Internet de baixa qualidade em muitos lugares

4.6.1.1. Precisa se programar para passar mais tempo em lugares com internet boa

4.6.1.2. Ou criar fontes de renda passiva

4.6.1.2.1. Os programas de afiliado do Guilherme vendem sem que ele precise estar efetivamente trabalhando, mas é preciso montar uma boa estratégia e continuar monitorando sempre

4.6.2. Comida e saudade da família podem ser desvantagens para algumas pessoas

4.6.3. Disciplina e local de trabalho

4.6.3.1. Precisa se programar

4.6.4. Para algumas pessoas, a necessidade de desenvolver várias habilidades pode ser ruim, já que não pode se especializar numa só

4.6.5. Nunca vai ter férias, porque as suas viagens servem para produzir conteúdo

4.6.6. Relações de curto prazo

4.6.6.1. Faz amigos que depois se despedem e você talvez nunca mais encontre

5. O que é ser um viajante profissional

5.1. Não é pra todo mundo

5.1.1. Família reclama

5.1.2. Perde contato com alguns amigos

5.2. Falta de rotina

5.2.1. Você pode perder produtividade, condicionamento físico, etc.

6. Quer conversar com o Guilherme?

6.1. Procure "queroviajarmais" nas redes sociais

6.2. Indique o trabalho de outros blogueiros. O Google valoriza isso e "rankeia" melhor quem faz boas indicações.

7. Como monetizar um blog

7.1. Cada blog tem uma maneira específica de se monetizar

7.1.1. Existem duas formas de aprender isso

7.1.1.1. 1. Testando

7.1.1.2. 2. Aprendendo com quem já trilhou esse caminho

7.2. Alternativa 1: O Guilherme hoje trabalha quase que exclusivamente com programas de afiliado

7.2.1. Você se cadastra no site de uma empresa ou mercado de infoprodutos.

7.2.1.1. Dentro do blog, você cria estratégias para que as pessoas cliquem nos links e você ganhe comissão por venda.

7.2.1.2. Você não esconde os links: pelo contrário. Você presta serviços para o leitor, facilitando a vida deles.

7.3. Alternativa 2: criação de produtos próprios, como guias de viagem, ebooks e outros materiais.

7.4. Alternativa 3: venda de espaços publicitários

7.4.1. Você pode entrar em contato com escolas de inglês no exterior, hotéis, pousadas, agências de turismo, etc. Pode fechar pacotes que incluam artigos no blog juntamente com publicidade.

7.4.1.1. Mais comum para blogs com alta quantidade de acessos.

7.5. Alternativa 4: Google Adsense

7.5.1. Espaços que você disponibiliza dentro do blog para anúncios que a rede de display do Google vai publicar.

7.5.1.1. Segundo o Guilherme, funciona melhor para outros nichos, já que no nicho de viagens o valor pago por clique não é tão alto.

7.5.1.2. Também necessita de alto número de acessos.