ANESTÉSICOS VENOSOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
ANESTÉSICOS VENOSOS por Mind Map: ANESTÉSICOS VENOSOS

1. Barbitúricos

1.1. Tiopental

1.1.1. Base

1.1.2. Sulfúrico

1.1.3. efeitos

1.1.3.1. sistema NMDA glutaminérgico

1.1.3.2. diminuindo

1.1.3.2.1. níveis extracelulares de glutamato

1.1.3.2.2. circuitos do sistema NMDA

1.2. Estrutura química

1.2.1. derivadas

1.2.1.1. ácido barbitúrico

1.2.1.1.1. núcleo pirimidina

1.2.1.1.2. 2,4,6-trioxoexaidropirimidina

1.2.2. classes

1.2.2.1. oxibarbituricos

1.2.2.1.1. metoxital

1.2.2.2. tiobarbitúricos

1.2.2.2.1. tiopental

1.2.2.2.2. tiamilal

1.2.3. não podem ser reconstituídos com solução

1.2.3.1. ringer lactato

1.2.3.2. solução ácida

1.2.3.2.1. ocorre precipitação

1.2.4. fármacos que não podem ser misturados

1.2.4.1. atracúrio

1.2.4.2. vecurônio

1.2.4.3. rocurônio

1.2.4.4. succinilcolina

1.2.4.5. alfentanil

1.2.4.6. sufentanil

1.2.4.7. dobutamina

1.2.4.8. dopamina

1.2.4.9. cetamina S

1.2.4.10. midazolam

1.3. farmacocinética

1.3.1. fenobarbital

1.3.1.1. excreção renal

1.3.1.1.1. forma inalterada

1.3.2. metabolismo

1.3.2.1. hepático

1.3.2.2. metabólitos

1.3.2.2.1. inativos

1.3.2.2.2. solúveis em água

1.3.2.2.3. excretados urina

1.3.2.3. processos

1.3.2.3.1. oxidação dos radicais

1.3.2.3.2. N-desalquilação

1.3.2.3.3. Dessulfuração

1.3.2.3.4. destruição do anel do ácido barbitúrico

1.3.2.4. influenciado

1.3.2.4.1. drogas

1.3.2.4.2. infusão prolongada de barbitúricos

1.3.3. distribuição

1.3.3.1. a droga se mistura

1.3.3.1.1. volume sanguíneo central

1.3.3.2. rápida

1.3.3.2.1. tecidos altamente perfundidos

1.3.3.3. redistribuição lenta

1.3.3.3.1. tecido magro

1.3.3.4. fatores

1.3.3.4.1. maior

1.4. contra indicados

1.4.1. porfiria aguda intermitente

1.4.1.1. barbitúricos induzem aumento

1.4.1.1.1. enzima ácido gama-aminolevulínico sintetase

1.4.1.2. podendo causar exacerbações

1.5. mecanismo de ação

1.5.1. receptor GABA A

1.5.1.1. SNC

1.5.1.1.1. melhoria das ações dos neurotransmissores inibitórios sinópticos

1.5.1.1.2. bloqueio das ações sinóptica de neurotransmissores excitatórios

1.5.1.2. ligação

1.5.1.2.1. produz

1.5.2. inibição da transmissão sinápica

1.5.2.1. glutamato

1.5.2.2. acetilcolina

1.6. efeitos sobre o metabolismo cerebral

1.6.1. diminuição CMRO2

1.6.1.1. taxa de consumo de oxigênio cerebral

1.6.1.2. reduz

1.6.1.2.1. consumo de ATP

1.6.1.3. aumenta

1.6.1.3.1. proteção

1.6.1.4. aumenta

1.6.1.4.1. resistência vascular cerebral

1.6.2. diminuição

1.6.2.1. FSC

1.6.2.1.1. fluxo sanguíneo cerebral

1.6.2.2. PIC

1.6.2.2.1. pressão intracraniana

1.7. efeitos respiratórios

1.7.1. centro respiratório

1.7.1.1. depressão dose dependente

1.7.2. deprimem

1.7.2.1. reflexos protetores

1.7.3. efeitos indesejados

1.7.3.1. tosse

1.7.3.2. espirros

1.7.3.3. soluços

1.7.3.4. laringoespasmo

1.8. efeitos cardiovasculares

1.8.1. vasodilatação periférica

1.8.2. diminuição

1.8.2.1. débito cardíaco

1.8.3. inotrópico negativo direto

1.8.3.1. redução

1.8.3.1.1. influxo de cálcio par dentro das células

1.8.3.1.2. enchimento ventricular

1.8.4. aumento FC

1.8.4.1. 10 a 36%

1.8.4.2. estimulação

1.8.4.2.1. simpática reflexa

1.8.4.2.2. barorreceptores

1.9. liberam histamina

1.9.1. reações alérgicas

1.9.1.1. urticária transitória

1.9.1.1.1. cabeça

1.9.1.1.2. pescoço

1.9.1.1.3. tronco

2. Propofol

2.1. Esquemas de infusão

2.2. alquilfenóis

2.2.1. lipossolúveis

2.3. EDTA

2.3.1. ácido etilenodiaminotetracético

2.4. farmacocinética

2.4.1. metabolismo

2.4.1.1. hepático

2.4.1.2. oxidação

2.4.1.2.1. 1,4-di-isopropilquinol

2.4.1.3. renal

2.4.1.3.1. 30%

2.4.1.4. pulmões

2.4.2. excreção

2.4.2.1. renal

2.5. efeitos cardiovasculares

2.5.1. depressor

2.5.2. reduz fluxo sanguíneo hepático

2.6. fospropofol

2.6.1. pró droga

2.6.2. solúvel em água

2.6.3. metabolizado

2.6.3.1. fosfatases alcalinas

2.6.3.1.1. propofol

2.6.3.1.2. formaldeído

2.6.3.1.3. fosfato

2.6.4. eliminação

2.6.4.1. meia vida de eliminação

2.6.4.1.1. 0,88hs

3. Benzodiazepínicos

3.1. Midazolam

3.1.1. anel imidazólico

3.1.1.1. característica básica

3.1.2. hidrossolúvel

3.2. Diazepam

3.2.1. propilenoglicol

3.3. estrutura química

3.3.1. anel

3.3.1.1. benzeno

3.3.1.2. diazepínico

3.4. flumazenil

3.5. características físico-químicas

3.5.1. lipossolúveis

3.6. farmacocinética

3.6.1. ação

3.6.1.1. curta

3.6.1.1.1. midazolam

3.6.1.2. intermediária

3.6.1.2.1. lorazepam

3.6.1.2.2. temazepam

3.6.1.3. prolongada

3.6.1.3.1. diazepam

3.6.2. fatores influenciadores

3.6.2.1. idade

3.6.2.2. sexo

3.6.2.3. raça

3.6.2.4. indução enzimática

4. Alfa 2 agonistas

4.1. Clonidina

4.2. efeitos

4.2.1. sedativo

4.2.2. ansiolítico

4.2.3. hipnótico

4.2.4. analgésico

4.2.5. simpatolítico

4.3. grupos

4.3.1. imidazolinas

4.3.1.1. clonidina

4.3.1.2. dexmedetomidina

4.3.2. feniletilaminas

4.3.2.1. alfametildopa

4.3.3. oxazolinas

4.3.3.1. rilmenidina

4.3.3.2. moxonidina

4.4. receptores alfa 2 A

4.4.1. analgesia

4.4.2. hipotensão

4.4.3. bradicardia

4.4.4. sedação

4.4.5. hipnose

4.4.6. potencialização dos anestésicos

4.5. receptores alfa 2 B

4.5.1. vasoconstrição

4.5.2. hipertensão arterial

4.6. receptores alfa 2 C

4.6.1. analgesia

4.6.2. hipotermia

4.7. proteína G

5. Droperidol

5.1. butirofenona

5.2. neuroleptico

5.3. neuroleptoanestesia

5.4. anti-emético

5.5. depressão SNC

5.5.1. sedação

5.5.2. atividade cataleptica

5.6. GABA

5.7. metabolismo hepático

6. Cetamina

6.1. arilcicloexilamina

6.2. isomeros

6.2.1. R

6.2.2. S

6.2.2.1. mais potente

6.2.2.2. menos efeitos colaterais

6.3. anestesia dissociativa

6.3.1. receptor NMDA

6.4. não causa depressão

6.4.1. cardiovascular

6.4.2. respiratória

6.5. farmacocinética

6.5.1. meia vida de distribuição

6.5.1.1. 11 - 16 min

6.6. lipossolúvwl

7. Pontos chave

8. Anestésico ideal

8.1. Solubilidade em água

8.2. Estabilidade da solução

8.3. Baixo potencial

8.3.1. Liberação de histamine

8.3.2. Reações de hipersensibilidade

8.4. Instalação

8.4.1. Rápida

8.4.2. Suave

8.5. Metabolismo rápido

8.5.1. Metabólitos farmacologicamente inativos

8.6. Fácil titulação

8.7. Baixo acúmulo em tecidos

8.8. Depressão mínima

8.8.1. Cardiovascular

8.8.2. Respiratória

8.9. Diminui

8.9.1. Metabolismo cerebral

8.9.2. Pressão intracraniana

8.10. Retorno da conciência

8.10.1. Rápido

8.10.2. Suave

8.10.3. Analgesia residual

8.11. Ausência no pós operatório

8.11.1. Náusea

8.11.2. Vômito

8.11.3. Tremores

8.11.4. Dor de cabeça

8.11.5. Sedação prolongada

9. Farmacologia

9.1. Modelo

9.2. Farmacocinética

9.2.1. Valores

10. Comparação das propriedades fisicoquímicas e clínicas

10.1. Tabela

11. etomidato

11.1. imidazólico