Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
COESÃO TEXTUAL por Mind Map: COESÃO TEXTUAL

1. REFERENCIAL

1.1. "Forma como os elementos linguísticos presentes na superfície textual se interligam, se interconectam, por meio de recursos também linguísticos, de modo a formar um ‘tecido’ (tessitura), uma unidade de nível superior à da frase, que dela difere qualitativamente”.(RODRIGUES ET AL, 2012, p. 42)

1.2. EXOFÓRICA: fora do texto

1.3. ENDOFÓRICA: expressa no texto

1.3.1. Anáfora

1.3.1.1. O referente textual precede a forma referencial/remissiva.

1.3.1.1.1. No Texto 1 ,Pinóchio ás avessas (39-41), temos um exemplo de anáfora em: [...] dois cavalheiros bem vestidos e de fala branda, que se puseram a contar estórias de um mundo encantado sobre o qual ele nunca ouvira falar. Eles disseram de heróis em aventais brancos cavalgando microscópios e telescópios, brandindo máquinas [...], uma vez que se e eles fazem referência/remissão a dois cavalheiros e essa retomada está textualizada após o referente textual. (RODRIGUES et al, 2012, p.44) Na maior parte do texto, desenvolve-se um processo de retomada do item PINÓQUIO, que ocorre desde o título do texto, Pinóquio às avessas, até o fechamento do texto, Pinóquio, Pinóquio, Pinóquio...

1.3.2. CATÁFORA

1.3.2.1. O referente textual vem após a forma referencial/remissiva.

1.3.2.1.1. TUDO começara bem antes temos um caso de catáfora, pois a forma remissiva/referencial Tudo é resumitiva de um referente que será explicitado em seguida: QUANDO UM NOME LHE FORA DADO. (RODRIGUES ET AL, 2012, p.44)

1.4. O processo coesivo POR REFERENCIAÇÃO não tem implicações somente na interligação, mas também na RESSIGNIFICAÇÃO do referente. Por exemplo, Pinóquio menininho de carne e osso e, no final, como boneco de madeira, inteligência pura, sem coração.

2. Beaugrande e Dressler (2002 [1981])

3. Ingedore Koch (1989)

3.1. “[...] a forma como os elementos linguísticos presentes na superfície textual se interligam, se interconectam, por meio de recursos também linguísticos, de modo a formar um ‘tecido’ (tessitura), uma unidade de nível superior à da frase, que dela difere qualitativamente”.

4. O QUE É ?

4.1. Conforme Fávero (2006) não é condição primeira nem necessária nem suficiente para que um texto seja verdadeiramente um texto ; entretanto o uso de elementos coesivos assegura a legibilidade , explicitando os tipos de relações entre as partes do texto , trata-se do inter-relacionamento dos componentes linguísticos do texto, é co-construída pelos interlocutores.

5. SEQUENCIAL

5.1. A coesão sequencial diz respeito aos procedimentos linguísticos por meio dos quais se estabelecem, entre os segmentos do texto (enunciados, partes de enunciados, parágrafos e mesmo sequências textuais), diversos tipos de relações semânticas e/ou pragmático-discursivas, à medida que se faz o texto progredir. (KOCH, 2004, p. 35)

5.2. Procedimentos de recorrência: recorrência de termos, de estruturas sintáticas, de assuntos, de tempo verbal.

5.3. A recorrência de tempos verbais, juntamente com as formas nominais, além de estabelecerem a coesão textual, incidem na construção da coerência do texto, corroborando para a construção de sentidos no texto durante a sua leitura. (RODRIGUES et al, 2012,p.45)

5.3.1. ALÉM DA RECORRÊNCIA , há outros mecanismos de coesão sequencial que estabelecem procedimentos de: manutenção temática, progressão temática e encadeamento.

5.3.1.1. NO TEXTO 2 (p. 46-48) , a MANUTENÇÃO TEMÁTICA ocorre através do uso de termos pertencentes a um mesmo campo lexical. Vejamos o exemplo: BARACK OBAMA, o SENADOR negro, [...] bastante jovem para o desafio, jamais ocupou cargos executivos de ponta e era um desconhecido não apenas no mundo, mas dentro do próprio EUA, até sair da CADEIRA DE SENADOR e bater a então imbatível HILLARY CLINTON nas primárias do PARTIDO DEMOCRATA.

5.3.1.2. PROGRESSÃO TEMÁTICA está relacionada à maneira como se estabelece a organização e a hierarquização das unidades semânticas no texto. O TEXTO 2 tem como acontecimento desencadeador a eleição presidencial nos EUA em 2008. A partir desse evento, a colunista manifesta seu posicionamento sobre as condições em que se deu a eleição de Barack Obama, bem como sobre as condições favoráveis em que se encontrava Obama para assumir o governo.

5.3.2. A coesão sequencial por encadeamento, segundo Koch (1991[1989]), caracteriza- se pelo estabelecimento de relações semânticas e/ou discursivas entre orações ou sequências maiores de texto. SÃO OS USOS DAS CONJUNÇÕES. SE: estabelece uma relação de implicação entre um antecedente e um consequente – Se a fase aguda da crise parece estar passando [...] os indicadores da indústria [...]; e, também, como, além de: esses conectivos somam argumentos em favor de determinado argumento – Lá nos EUA, como aqui no Brasil, [...];

5.4. No Texto 1, podemos dizer que a recorrência de tempo verbal é um importante elemento de sequenciação do texto. Os verbos do mundo narrar se alteram em pretérito imperfeito, pretérito perfeito,pretérito imperfeito , MARCANDO O MOVIMENTO DO TEXTO, DESTACANDO AS MUDANÇAS OCORRIDAS NA VIDA DE PINÓQUIO.

5.4.1. ERA uma vez um menininho, de carne e osso, igual a tantos que se deleitam nas coisas simples que a vida dá. RIA nos seus mundos de faz de conta, VOAVA nas asas dos urubus, assustava os peixes, nariz achatado nos vidros dos aquários, ASSOBIAVA para os perus, andava na chuva.

5.4.2. Até que CHEGOU o dia em que lhe FOI DITO: “É preciso ir para a escola”. [...] E assim ACONTECEU. O menino de carne e osso APRENDEU[...].

5.4.3. ERA um boneco de madeira, inteligência pura, sem coração. E os milhares de bonecos, iguais, de pé, não PARAVAM de tamanquear os seus aplausos ao novo irmão, enquanto GRITAVAM o seu nome: “Pinóquio, Pinóquio, Pinóquio...”