Figuras de Linguagem

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Figuras de Linguagem por Mind Map: Figuras de Linguagem

1. Figuras sonoras

1.1. Assonância

1.1.1. Consiste na repetição ordenada de sons vocálicos idênticos.

1.2. Aliteração

1.2.1. Consiste na repetição de consoantes como recurso para intensificação do ritmo ou como efeito sonoro significativo

1.3. Onomatopeia

1.3.1. Ocorre quando se tentam reproduzir na forma de palavras os sons da realidade.

1.4. Paronomásia

1.4.1. Explora uma semelhança sonora e gráfica entre palavras de significados distintos.

2. Figuras de sintaxe

2.1. Elipse

2.1.1. Consiste na omissão de um ou mais termos numa oração que podem ser facilmente identificados, tanto por elementos gramaticais presentes na própria oração, quanto pelo contexto.

2.2. Zeugma

2.2.1. É uma forma de elipse. Ocorre quando é feita a omissão de um termo já mencionado anteriormente.

2.3. Anacoluto

2.3.1. Consiste na mudança da construção sintática no meio da frase, ficando alguns termos desligados do resto do período.

2.4. Anáfora

2.4.1. É a repetição de uma ou mais palavras no início de várias frases, criando assim, um efeito de reforço e de coerência. Pela repetição, a palavra ou expressão em causa é posta em destaque, permitindo ao escritor valorizar determinado elemento textual. Os termos anafóricos podem muitas vezes ser substituídos por pronomes relativos.

2.5. Hipérbato

2.5.1. É a inversão da estrutura frásica, isto é, a inversão da ordem direta dos termos da oração.

2.6. Polissíndeto

2.6.1. É uma figura caracterizada pela repetição enfática dos conectivos.

2.7. Assíndeto

2.7.1. É uma figura caracterizada pela ausência, pela omissão das conjunções coordenativas, resultando no uso de orações coordenadas assindéticas.

2.8. Pleonasmo

2.8.1. Consiste na repetição de um termo ou ideia, com as mesmas palavras ou não. A finalidade do pleonasmo é realçar a ideia, torná-la mais expressiva.

3. Figuras de pensamento

3.1. Hipérbole

3.1.1. É a expressão intencionalmente exagerada com o intuito de realçar uma ideia.

3.2. Eufemismo

3.2.1. Consiste em empregar uma expressão mais suave, mais nobre ou menos agressiva, para comunicar alguma coisa áspera, desagradável ou chocante.

3.3. Paradoxo

3.3.1. Consiste numa proposição aparentemente absurda, resultante da união de ideias contraditórias.

3.4. Antítese

3.4.1. Consiste na utilização de dois termos que contrastam entre si. Ocorre quando há uma aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos. O contraste que se estabelece serve, essencialmente, para dar uma ênfase aos conceitos envolvidos que não se conseguiria com a exposição isolada dos mesmos.

3.5. Prosopopeia

3.5.1. Consiste em atribuir ações ou qualidades de seres animados a seres inanimados, ou características humanas a seres não humanos.

3.6. Apóstrofe

3.6.1. Consiste na "invocação" de alguém ou de alguma coisa personificada, de acordo com o objetivo do discurso que pode ser poético, sagrado ou profano. Caracteriza-se pelo chamamento do receptor da mensagem, seja ele imaginário ou não. A introdução da apóstrofe interrompe a linha de pensamento do discurso, destacando-se assim a entidade a que se dirige e a ideia que se pretende pôr em evidência com tal invocação. Realiza-se por meio do vocativo.

3.7. Gradação

3.7.1. Consiste em dispor as ideias por meio de palavras, sinônimas ou não, em ordem crescente ou decrescente.

4. Figura de palavra

4.1. Antonomásia

4.1.1. Ocorre quando há a identificação de uma pessoa, não pelo seu nome, mas por suas características e/ou atributos.

4.2. Catacrese

4.2.1. Trata-se de uma metáfora que, dado seu uso contínuo, cristalizou-se. A catacrese costuma ocorrer quando, por falta de um termo específico para designar um conceito, toma-se outro "emprestado". Assim, passamos a empregar algumas palavras fora de seu sentido original.

4.3. Metonímia

4.3.1. A metonímia consiste em empregar um termo no lugar de outro, havendo entre ambos estreita afinidade ou relação de sentido.

4.4. Metátofa

4.4.1. A metáfora consiste em utilizar uma palavra ou uma expressão em lugar de outra, sem que haja uma relação real, mas em virtude da circunstância de que o nosso espírito as associa e depreende entre elas certas semelhanças.

4.5. Sinédoque

4.5.1. A sinédoque é na verdade um caso de metonímia, muitas vezes os dois conceitos aparecem confundidos. Alguns autores consideram que, só quando a relação entre os termos é qualitativa é que ocorre a sinédoque.

4.6. Símile

4.6.1. Baseia-se numa relação de semelhança. Na metáfora, ocorre de maneira implícita; na comparação, de forma explícita, através de uma partícula comparativa pra interligar os elementos em confronto, em forma de analogia.

4.7. Sinestesia

4.7.1. Consiste em mesclar, numa mesma expressão, as sensações percebidas por diferentes órgãos do sentido.