Perfil das competências em equipes de projetos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Perfil das competências em equipes de projetos por Mind Map: Perfil das competências em equipes de projetos

1. Frame (1999) sugere três tipos de competências em gerenciamento de projetos: as individuais, as de equipe e, as da empresa.

1.1. Individuais: Capacidade de resolução de problemas

1.2. Equipe: capacidade de resolução de problemas complexos em contexto multidisciplinar

1.3. Empresa: Capacidade de criação de um ambiente que possibilite o envolvimento tanto do indivíduo quanto das equipes, a tocarem seus projetos de forma eficaz.

2. RAE Eletrônica (FGV)

3. Contexto

3.1. Cada vez mais empresas tem adotado praticas de projetos. É necessário gerar competências na formação de equipes

4. Roque RAbechini Junior e Marly Monteiro de Carvalho

5. Competências

5.1. É um conjunto de habilidades e tecnologias, e não uma única habilidade ou tecnologia isolada (Hamel & Prahalad, 1995)..

5.2. Para Fleury & Fleury, (1999) a competência do indivíduo pode ser entendida segundo três eixos fundamentais: pela pessoa, por sua formação educacional e por sua experiência profissional.

6. Metodologia

6.1. Questionário fechado composto, basicamente, por três seções

6.1.1. Caracterização da amostra

6.1.1.1. 52% têm menos que 35 anos, 40% estão distribuídos na faixa dos 35 anos aos 45 anos e, 8% têm mais que 45 anos. Predominam os homens (76%).

6.1.1.2. (84%), têm mais que 10 anos de experiência profissional e que 76% desempenham funções gerenciais.

6.1.1.3. Merecem destaques os setores de Tecnologia de Informação (35%), Consultoria e Engenharia (18%) e Indústria Mecânica e Eletrônica (17%)

6.1.2. Dados referentes às competências organizacionais e à atividade de gerenciamento de projetos (Kerzner, 2000)

6.1.3. Questões sobre competências em equipes de projeto, com base no proposto por Thamhain (1993).

6.1.4. As opiniões dos entrevistados puderam então ser registradas utilizando-se uma escala do tipo da de Likert, variando de 1 a 7, sendo que 1 correspondeu a “não concordo” e 7 correspondeu a “concordo plenamente”.

6.1.5. Seleção das empresas que compuseram a amostra foi feita de forma aleatória, no entanto, a identificação dos respondentes foi teve viés, pois se escolheu aqueles funcionários que tinham experiência como gerentes de projetos e técnicos (membros de equipes).

6.1.6. 106 respondentes

7. Resultados

7.1. Indicadores de resultados

7.1.1. Notas obtidas numa faixa entre 4,54 a 5,5 e média 4,96

7.1.2. Gerenciamento de mudanças foi visto com maior grau de importância (5,5) e menor grau foi objetivos do projeto e seus resultados (4,54)

7.1.2.1. Objetivos muitas vezes não são claros e não há recompensas claras quando atingidos.

7.2. Indicadores pessoais

7.2.1. Notas obtidas numa faixa entre 4,72 a 5,52 e média 5,15

7.2.2. Resolução de conflitos foi visto com menor nota (4,72) e maior nota para sucesso 5,52

8. Conclusões

8.1. Neste estudo foi possível analisar o caminho trilhado pelas organizações em busca da excelência em projetos, levando-se em consideração os aspectos ligados à construção de competências no âmbito das equipes de projetos.