II - MODALIDADES DE DOCUMENTOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
II - MODALIDADES DE DOCUMENTOS por Mind Map: II - MODALIDADES DE  DOCUMENTOS

1. 1. Declaração

1.1. 1.2. Estrutura a) Ser emitido em papel timbrado ou apresentar na subscrição do documento ou carimbo, em que conste nome e sobrenome do psicólogo, acrescido de sua inscrição profissional. b) A declaração de exportação: - Registro do nome e sobrenome do solicitante; - Finalidade do documento; - Registro de informações solicitadas em relação ao atendimento; - Registro do local e dados da expedição da declaração; - Registro do nome completo do psicólogo, sua inscrição no CRP e / ou carimbo com as mesmas informações. Assinatura do psicólogo acima de sua identificação ou do carimbo.

1.2. 1.1. É um documento que se refere a uma situação de problemas ou situações relacionadas com o atendimento psicológico, com uma finalidade de declaração: a) Comparativos do atendido e / ou do seu acompanhante, quando necessário; B) Acompanhamento psicológico do atendido; C) Informações sobre condições de acompanhamento, dias ou horários. Este documento não deve ser feito para o registro de sintomas, situações ou estados psicológicos.

2. 2. Atestado psicológico

2.1. 2.1. É um documento expedido pelo psicólogo que comprove uma situação determinada ou um estado psicológico, tendo como finalidade a avaliação de condições psicológicas de quem, por requerimento, ou solicita, com fins de: a) Justificar faltas e / ou impedimentos do Solicitante; B) Justificação de que não se trata de questões específicas, de um processo de avaliação psicológica, de um rigor técnico e de uma definição de resolução; C) Solicitar um parecer sobre a concessão de um subsídio de cessação de direitos ao abrigo da Resolução CFP nº 015/96.

2.1.1. 2.2. A formulação do atestado deve restringir-se à informação solicitada pelo requerente, contendo expressamente o fato constatado. (A ) Ser emitido em papel timbrado ou apresentar na assinatura do documento. O carimbo, em que conste o nome e sobrenome do psicólogo, acrescido de sua inscrição profissional . B) O atestado deve expor: - Registro de nome e sobrenome do cliente - Registro de dados e registros de expedição - Registro Fazer nome completo do psicólogo,

2.1.2. Os registros referem-se a transcritos de forma circular, ou seja, separados apenas por pontuação, sem parágrafos, evitando, com isso, riscos de adulterações. No caso em que você precisa de um parágrafos ou um psicólogo deve preencher estes espaços com traços.

3. 3. Relatório / laudo psicológico

3.1. 3.1. O relatório ou apontamento psicológico é uma apresentação descritiva sobre as situações e / ou condições psicológicas e suas determinações históricas, sociais, políticas e culturais, pesquisadas no processo de avaliação psicológica. Como todo DOCUMENTO, desenvolveu-se em dados colhidos e analisados, à luz de um instrumental técnico (entrevistas, dinâmicas, testes psicológicos, observação, exame psíquico, intervenção verbal), consubstanciado em referencial técnico-filosófico e científico adotado pelo psicólogo. A finalidade do relatório psicológico deve ser apresentado de forma sistemática e conclusões geradas pelo processo de avaliação psicológica, relacionadas com o encaminhamento, como intervenções, diagnóstico, prognóstico e evolução do caso, orientação e sugestão de projeto terapêutico, bem como, caso necessário ,

4. 4. Parecer psicológico

4.1. 4.1. Parecer é um documento fundamentado e resumido sobre uma questão focal do campo psicológico cujo resultado pode ser indicativo ou conclusivo. O parecer tem como finalidade apresentar resposta esclarecedora, no campo do conhecimento psicológico, através de uma avaliação especializada, de uma “questão problema”, visando a dirimir dúvidas que estão interferindo na decisão, sendo, portanto, uma resposta a uma consulta, que exige de quem responde competência no assunto.

4.1.1. 4.1. O psicólogo parecerista deve fazer uma análise do problema, destacando os objetivos relevantes e conceituados, considerando os questionários apontados e fundamentados no referencial teórico-científico. Havendo quesitos, o psicólogo deve responder-se de forma sintética e convincente, não deixando nenhum quesito sem resposta. Quando não houver dados para uma resposta ou quando o psicólogo não puder ser categórico, desenvolva uma expressão "sem elementos de convicção". Pode-se afirmar "preconceito", "sem elementos" ou "aguarda evolução".

4.1.2. 4.1.1. O parecer é composto de 4 (quatro) itens: 1. Identificação 2. Exposição de motivos 3. Análise 4. Conclusão