As transformações técnico-científicas, econômicas e políticas

Mapa mental sobre o Capítulo 1 do livro "Educação Escolar - Políticas, estrutura e organização".

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
As transformações técnico-científicas, econômicas e políticas por Mind Map: As transformações técnico-científicas, econômicas e políticas

1. 3. Neoliberalismo: O mercado como princípio fundador, unificador e autorregulador da sociedade

1.1. Capitaslimo assume duas posições: 1) Concorrencial. 2) Estatizante.

1.2. A concorrencial tem como preocupação central a liberdade econômica, isso é, a livre concorrência e o fortalecimento da iniciativa privada com a competitividade.

1.3. A estatizante tem como preocupação o conteúdo igualitarista-social, isso é, a promoção de políticas públicas de bem-estar social, permitindo o desenvolvimento mais igualitário das aptidões e capacidades dos indivíduos.

1.4. Paradigma da igualdade explica-se pela necessidade da igualdade de oportunidades, assim como o desenvolvimento individual e a segurança dos cidadãos e de seus bens.

1.5. Paradigma da liberdade explica-se pela eficiência e qualidade como condições para a sobrevivência e lucratividade no mercado competitivo.

1.6. Existem diversas condições existentes no contexto atual. Não é possível ampliar os índices de escolarização e dar condições de permanência na escola e na universidade com o mesmo nível de qualidade e eficácia.

1.7. Uma educação para todos e de qualidade deve ser capaz de corresponder às necessidades do mundo atual.

1.8. Vinculação da educação ao novo paradigma produtivo denominado NEOTECNICISMO. Essa abordagem justifica-se na certeza, exatidão e utilidade. Isso é, só é verdadeiro o que é verificável.

2. 2. Globalização e exclusão social

2.1. Capitalismo é o modo de produção em que o capital, sob suas diferentes formas é o principal meio de produção.

2.1.1. Research and prepare experiment

2.2. Capitalismo concorrencial (Século XVIII e início do século XIX): - Primeira revolução industrial. - Surgimento das máquinas movidas a energia.

2.3. Capitalismo monopolista (Século XIX e início do século XX): - Imperalismo ou segunda revolução industrial. - Domínio da maquinaria. - Desqualificação do trabalho.

2.4. Capitalismo monopolista do Estado (Século XX pós-Segunda Guerra Mundial): - Neoliberalismo social-democrata. - Papel do Estado articulado ao sistema de crédito e aos mercados. - Estado responsável pela coordenação da divisão social do trabalho.

2.5. Capitalismo concorrencial global (Século XX, início da década de 1980): - Terceira revolução industrial. - Acumulação do capital, da produção, do trabalho e do mercado. - Globalização, vista como estratégia de enfrentamento da crise do capitalismo e da constituição de uma nova ordem econômica mundial.

2.6. A globalização dos mercados pode ser entendida por uma lógica de exclusão da maioria.

2.6.1. A globalização do poder pode ser facilmente percebida pelos novos arranjos e configurações da ordem econômica e política mundial.

3. 1. Revolução tecnólogica: Impactos e perspectivas

3.1. Globalização dos mercados, produção flexível, desemprego estrutural são desencadeantes para as transformações.

3.2. Primeira revolução científica e tecnológica (início na segunda metade do século XVIII): - A produção artesanal foi substituida pela fabril. - A força humana foi substituida pela energia e máquinas a vapor. - Passagem da sociedade agrária para a sociedade industrial, o que amplia a divisão do trabalho.

3.3. Segunda revolução científica e tencológica (início na segunda metade do século XIX): - Desenvolvimento dos meios de transporte e comunicação. - Sistema de produção em massa e aumento do trabalho assalariado. - Hierarquização. - Surgimento das escolas industriais e profissionalizantes.

3.4. Terceira revolução científica e tecnológica (início na segunda metade do século XX): - Surgimento de novas formas de energia., ocasionando um aumento na velocidade do processo tecnológico. - Revolução da microbiologia: Conhcimento genético dos seres vivos. - Revolução da microeletrônica: Introdução de artefatos tecnológicos que aumentam o campo da ciência e da técnica e diminui os trabalhadores do campo, aumentando assim, a taxa de desemprego. A realidade, agora, é compreendida virtualmente. - Revolução informacional: Avanço das telecomunicações e mídias, mediando e traduzindo a realidade social.