A LEI DA GUERRA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
A LEI DA GUERRA por Mind Map: A LEI DA GUERRA

1. AVALIAÇÕES

1.1. "A competitividade é de vital importância para a empresa"

1.2. Conhecimento do Cenário

1.2.1. Caminho (Dao)

1.2.1.1. É o objetivo onde supera as barreiras

1.2.2. Tempo

1.2.2.1. É o cronograma a ser seguido

1.2.3. Liderança

1.2.3.1. É a competência dos administradores, sendo: Sabedoria, Humanismo, Incentivador, entre outros perfis de gestores

1.2.4. Regras

1.2.4.1. São os padrões estabelecidos que são utilizados na organização para determinar até que ponto pode-se chegar

1.2.5. Terreno

1.2.5.1. As condições do mercado atual onde se analisa espaço do mercado para saber se as condições estão favoráveis para se iniciar um negócio

2. O COMBATE

2.1. "O administrador que compreende a competitividade, é o ministro do mercado e o protetor das empresas"

2.2. Estratégia Eficaz

2.2.1. Não desperdiçar o tempo

2.2.1.1. Negócios de curto prazo tendem a ser mais lucrativos

2.2.2. Não desperdiçar recursos

2.2.2.1. Aceitar ajuda, como: recursos financeiros, materiais, investimentos, parcerias e ideias.

2.2.3. Não insistir no erro

2.2.3.1. Não ficar focado somente em uma estratégia se ela não se desenvolve

3. ESTRATÉGIA DE ATAQUE

3.1. "A habilidade suprema não consiste em vencer cem negócios, mas sim em vencer o concorrente sem precisar competir"

3.2. Estratégia de Negocio

3.2.1. Conhecer a si mesmo

3.2.1.1. É de grande importancia sabermos o que somos, o que queremos e nossas capacidades antes de se preocupar com o que está ao redor

3.2.2. Não destruir o adversário

3.2.2.1. É mais vantajoso ter o adversário intato do que destruí-lo porque ele pode ser útil posteriormente. Mas observa-los destruir seus planos é essencial

3.2.3. Conhecer o Adversário

3.2.3.1. Assim como conhecer a si próprio, deve-se conhecer o adversário: O que eles são, o que eles querem e os riscos que nos oferecem

3.2.4. Medir a Estratégia

3.2.4.1. Saber onde, como e quando atacar é a base de uma boa estratégia. Saber a quantidade de recursos que vale a pena arriscar também é um diferencial

4. PREPARAÇÃO

4.1. "A invencibilidade está na defesa; o descuido no ataque"

4.2. Planejamento

4.2.1. Ordem para formar uma estratégia

4.2.1.1. Mensurar todas as variáveis, desde recursos até a consolidação do concorrente; Avaliar os riscos e as oportunidades; Calcular os melhores métodos; Comparar os métodos para assim escolher o melhor evencer

4.2.2. Tempo de defender

4.2.2.1. É a hora de aprimorar nossas defesas e conhecimentos e ter total consolidação em nosso negócio antes de arriscarmos em outras frentes. Nos tempos de escassez é recomendável se manter na defensiva

4.2.3. Tempo de atacar

4.2.3.1. No tempo de abundancia é a melhor hora de agir, pois já está atento o que leva seu adversário a derrota. Deve-se ter a estratégia e os recursos preparados antes de dar inicio ao projeto.

4.2.4. Informação

4.2.4.1. Informação que todos tem acesso não é um diferencial. Deve-se ser perspicaz e levantar dados únicos e saber onde e como procurar. Essa é a verdadeira sabedoria.

5. PROPENSÃO

5.1. "Liderar muitas pessoas é o mesmo que sobre poucas: É uma questão de organização"

5.2. Gerenciamento

5.2.1. Variações de estratégia

5.2.1.1. Assim como as cores tem infinitas variedades a partir de cores básicas, as estratégia de negócios também, ou seja, tudo é uma combinação do convencional com o não tradicional

5.2.2. Ímpeto

5.2.2.1. É a força súbita que pode ser uma oportunidade que surge repentinamente no mercado (modismo)

6. O CHEIO E O VAZIO

6.1. "O bom administrador atrai o inimigo para si e nunca inicia a batalha"

6.2. Camuflagem

6.2.1. Estudar os padrões

6.2.1.1. Devemos arrumar maneiras que o concorrente demostre sua estratégia fora de hora, para sabermos reagir quando for necessário

6.2.2. A vitória não se repete

6.2.2.1. A vitória nunca acontece da mesma forma, porque ela se adapta no desenrolar da disputa, sendo assim uma vitória pode ser construída, só depende do planejamento

6.2.3. Atraindo o adversário

6.2.3.1. O concorrente é atraído pela oportunidade, mas pode se afastar diante de riscos. Enquanto ele agir em uma frente, outro lugar ficará desprotegido, um estrategista sabe aproveitar esse ponto fraco.

6.2.4. Enganando o Adversário

6.2.4.1. Devemos ocultar o máximo possível nosso proposito, para que o concorrente não saiba como reagir. Se estiver forte, pareça fraco; Se estiver fraco, pareça forte.

7. MANOBRAS

7.1. "A competição de mercado se baseia no engano, se faz pelo ganho e se adapta pela divisão e combinação"

7.2. Gestão de Pessoas

7.2.1. Momento de descanso

7.2.1.1. Não se adianta com que o funcionário trabalhe com fadiga, pois com o tempo ele se tornará improdutivo.

7.2.2. Comunicação interna

7.2.2.1. É necessário ter uma comunicação interna eficiente para orientar seus subordinados para ser repassado mensagens de forma correta, motivar

7.2.3. Momento de Agir

7.2.3.1. É de suma importância estar preparado quando o concorrente não estiver. Haverão momentos em que eles estarão motivados e momentos que estarão desmotivados.

7.2.4. Mobilização rápida

7.2.4.1. Não significa que quem está mais rápido está preparado e que pode-se ganhar, mas sim perder

8. AS NOVE MUDANÇAS

8.1. "Por essas razões, o gestor sábio pondera, pesa o que ha de favorável, de desfavorável e decide o que é mais acertado. Ao levar em conta o que é favorável torna o plano executável; Ao levar em conta o que é desfavorável, supera as dificuldades."

8.2. Nove Cenários

8.2.1. Não se mostre em uma posição desfavorável e desprotegida

8.2.2. Tenha Parceiros

8.2.3. Não persista em uma ideia ruim

8.2.4. Antes de arriscar em um novo mercado, planeje

8.2.5. Quando se tem tudo a perder, de o seu máximo

8.2.6. Há oportunidades que não devem ser acatadas

8.2.7. Há concorrentes que não devem ser enfrentados

8.2.8. Há negócios que não devem ser mantidos

8.2.9. Há negócios que não devem ser disputados

8.3. Cincos Características Ruins de um Gestor

8.3.1. Ser imprudente

8.3.2. Ser covarde

8.3.3. Ser impaciente

8.3.4. Ser moralista

8.3.5. Ser Bondoso (Patriarca)

9. SOBRE A MOVIMENTAÇÃO

9.1. "Quando a inquietação entre os funcionários,o gestor já perdeu sua autoridade"

9.2. Conhecendo o Mercado

9.2.1. Pontos Favoraveis

9.2.1.1. Analisar as condições de mercado e saber seus pontos favoráveis e tomar proveito disso

9.2.2. Observar os Adversários

9.2.2.1. As ações do adversário diz muito sobre o que eles estão passando, se estão sem recursos, despreparados, motivados, entre outras coisas. Deve-se observar seus movimentos para surpreender e não ser surpreendido.

9.2.3. Dosar a força

9.2.3.1. Ser muito forte, pode não ser totalmente vantajoso, pois faz com que os adversários se preparem mais. Por isso é muito importante saber confundir o concorrente.

10. TERRENO

10.1. "O bom gestor cuida dos seus funcionários como crianças e estes o seguem até o mais profundo dos vales. Trata os funcionários como filhos e estes morrerão ao seu lado."

10.2. Tipos de Mercado

10.2.1. Acessível

10.2.1.1. Quando é um mercado fácil de entrar e possui muito potencial. É importante assumir um ponto de vantagem logo no inicio.

10.2.2. Tortuoso

10.2.2.1. O mercado é fácil de sair, porém é difícil de entrar.Se os concorrentes estão despreparados, é fácil vence-los, mas se estiver consolidados, você estará em perigo.

10.2.3. Indeciso

10.2.3.1. É um mercado desvantajoso para todos. Se o concorrente te atrair para ele, é uma armadilha. Fique fora desse

10.2.4. Estreito

10.2.4.1. É um mercado muito ilimitado. Se o concorrente já ocupa grande parte, não vale a pena arriscar. Se possível ocupe todo antes da chega dos concorrentes.

10.2.5. Acidentado

10.2.5.1. É um negocio ruim, o que significa que as oportunidades são poucas. Deve-se assumir o ponto de vantagem primeiro, se o concorrente já tiver-lo feito, retire-se.

10.2.6. Distante

10.2.6.1. Quando o mercado é muito amplo. Não vale a pena atacar os concorrentes. Cada um fica com uma parcela e ninguém se prejudica.

11. OS NOVES TERRITORIOS

11.1. "A velocidade é fundamental na competitividade"

11.2. Tipos de negocios

11.2.1. Disperso

11.2.1.1. Estão focados somente nos concorrentes diretos

11.2.2. Fronteira

11.2.2.1. Possui uma limitação onde se pode atingir

11.2.3. Chave

11.2.3.1. Vantajoso para as empresas que estão no mesmo ramo

11.2.4. Aberto

11.2.4.1. Que consegue espaço tanto para a entrada no mercado quanto para sair

11.2.5. Interseção

11.2.5.1. É aquele que consegue inovar primeiro conseguindo se destacar no mercado

11.2.6. Perigoso

11.2.6.1. É um mercado que já está tomado pelo concorrente

11.2.7. Dificil

11.2.7.1. É onde se enfrenta várias barreiras

11.2.8. Cercado

11.2.8.1. Quando se está cercado positivamente ou negativamente, e precisa-se estar sempre atento aos demais

11.2.9. Mortal

11.2.9.1. É o que precisa lutar desesperadamente para conseguir sobreviver no mecado

12. ATAQUE COM FOGO

12.1. "Um gestor não pode atacar o concorrente só por raiva ou vingança. Uma pessoa com raiva pode recuperar sua serenidade, e o ressentimento pode ser apaziguado, mas uma empresa arruinada não se recupera"

12.2. Destruindo Concorrentes

12.2.1. O que é

12.2.1.1. É um ataque ao concorrente que pode prejudica-lo drasticamente e pode literalmente destrui-lo. Um ataque com fogo pode ser a difamação do produto concorrente ou apontamento de inconformidades da empresa para o público

12.2.2. Momento certo de atacar

12.2.2.1. Deve ser ponderado o momento certo de usar esse tipo de ataque, visto que é uma estratégia perigosa que poda afetar também a sua própria empresa.

12.2.3. Consequencias

12.2.3.1. Uma empresa atacada com fogo pode nunca mais voltar a se erguer, por isso um gestor não deve faze-lo motivado por raiva ou vingança

13. O USO DOS ESPIÕES

13.1. "Somente um gestor sábio e habilidoso é capaz de utilizar pessoas inteligentes como informantes e emprega-los, garantindo a realização de grandes resultados"

13.2. Informantes

13.2.1. O que são

13.2.1.1. São pessoas utilizadas para transmitir informações dos concorrentes, por isso se tornam tão necessários, visto que informação é poder.

13.2.2. Nativos

13.2.2.1. São os funcionários do concorrente que estão sempre lá e podem dar informações superficiais

13.2.3. Internos

13.2.3.1. São Pessoas de alta patente do concorrente que podem fornecer informações mais privilegiadas

13.2.4. Duplos

13.2.4.1. São informantes dos concorrentes que podem ser utilizados para nosso benefício

13.2.5. Dispensáveis

13.2.5.1. São informantes com informações falsas para enganar os adversários