Livro de Daniel

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Livro de Daniel by Mind Map: Livro de Daniel

1. Nasceu em 623 a.C

1.1. Daniel = Deus é Juiz ou Deus é meu Juiz

1.2. Na cidade de Jerusalém

1.2.1. Durante o reinado de  Josias

1.2.1.1. Inicio do ministério do Profeta Jeremias

1.2.1.1.1. Foi levado cativo para Babilônia em 605 a. C.

2. .

2.1. Cativeiro de Judá na Babilônia

2.2. Daniel teve o nome mudado para Beltessazar (Bel proteja sua vida)

2.3. Daniel serviu a sete reis

2.3.1. babilônicos

2.3.1.1. Nabucodonosor

2.3.1.2. Evil-Merodaque

2.3.1.3. Neriglissar

2.3.2. persas

2.3.2.1. Dario

2.3.2.2. Ciro

3. A providência de Deus na Babilônia

3.1. Proveu sabedoria para um grupo de jovens

3.1.1. Dn 1.20

3.1.2. Dn 2.17 a 23

3.1.3. Interpretação do Sonho

3.2. Livramentos

3.2.1. Estátua de Nabucodonosor

3.2.1.1. 27 metros de altura 2,7 metros de largura

3.2.1.2. Pena pela não adoração à estátua

3.2.1.3. Culpados - Dn 3.12 Hananias - "agraciado do Senhor" Misael - "quem é como Deus" Azarias - "meu socorro é o Senhor"

3.2.1.4. Ameaça de Nabucodonosor

3.2.1.5. Resposta dos três

3.2.1.6. Livramento

3.2.1.7. Testemunhas

3.2.1.8. Humilhação do rei e reconhecimento do poder do Altíssimo

3.2.1.9. Reconhecimento legal da soberania do Deus de Hananias (Sadraqui), Misael (Mesaque) e Azarias (Abede-Nego)

3.2.1.10. Recompensa pela obediência

3.2.2. Cilada dos inimigos

3.2.2.1. Daniel, agora, após a morte de Belsazar, é levantado por Dario, rei do império caldeu, a um cargo elevado.  Ele está agora com cerca de 90 anos.

3.2.2.2. Sede pelo poder, o cerne do problema

3.2.2.3. A cilada

3.2.2.4. O ato público de Daniel

3.2.2.5. A presião

3.2.2.6. O fracasso da tentativa de livramento pelo poder soberano do rei Dario

3.2.2.7. O livramento do Senhor

3.2.2.8. A pena dos que buscaram o poder a todo custo

3.2.2.9. Reconhecimento legal do poder soberano do nosso Deus para livrar

3.2.2.10. Recompensa pela fidelidade

4. As Profecias de Daniel - Caps. 7-12

4.1. Os Quatro Animais

4.1.1. A visão está ligada à visão da estátua de Nabucodonosor

4.1.2. O capítulo sete deve ser lido em paralelo com o capítulo dois

4.1.3. Cada animal representa um império

4.1.4. Os sonhos e as visões cobrem um período que começa nos dias de Daniel e vai até a segunda vinda de Cristo Jesus

4.1.5. O capítulo sete está divido em duas partes

4.1.5.1. Versículos de 1 a 14 - o sonho

4.1.5.2. Versículos de 15 a 28 - interpretação do sonho

4.1.6. O capítulo dois (estátua) apresenta uma perspectiva humana dos desenrolar da história

4.1.7. O capítulo sete (os quatro animais) apresenta a história sob a perspectiva divina

4.2. Os reinos do mundo

4.2.1. Estão debaixo da soberania de Deus (Dn 7.2-3)

4.2.1.1. Os quatro ventos vêm do céu

4.2.2. O Grande Mar é símbolo dos povos, raças e línguas

4.2.2.1. É a descrição literal do Mar Mediterrâneo

4.2.3. -  os reinos do mundo procedem de baixo (grande mar); - o reino de Deus procede do alto, não dos homens, mas de Deus; - não é temporal, é eterno

4.2.4. Os quatro reinos sobem do mar de forma sucessiva e não simultânea, porém eles possuem algumas coisas em comum:

4.2.4.1. 1. origem - de baixo

4.2.4.2. 2. natureza - animais ferozes

4.2.4.3. 3. início e fim - todos experimentos apogeu e queda

4.2.4.4. 4. todos tem o tempo determinado por Deus (7.12)

4.3. Leão

4.3.1. Império de Babilônia - 7.4

4.3.1.1. As asas arrancadas representa a loucura de Nabucodonozor - 4.32

4.3.1.2. Mente de homem - representa a restauração de Nabucodonozor ao trono e sua conversão - 4. 36-37

4.4. Urso

4.4.1. Império Medo-Persa

4.4.1.1. É o carneiro do capítulo 8.3-4

4.4.1.1.1. Os dois chifres representam os rei dos medos (Dario) e o rei dos persas (Ciro)

4.4.1.1.2. O segundo chifre representa o rei da Pérsia (Ciro), que se tornou maior do que o dos medos

4.4.1.1.3. As marradas para o ocidente, para o norte e para o sul mostra a vastidão de suas conquistas - v. 4

4.5. Leopardo

4.5.1. Império Grego

4.5.1.1. É o bode do capítulo 8.5-8

4.5.1.1.1. O fato de ser alado representa a velocidade do crescimento do império. A mesma figura aparece no capítulo 8, que descreve o bode como vindo sobre toda a terra sem tocar no cão (v. 5)

4.5.1.1.2. Em apenas 13 anos, o império grego atingiu seu apogeu

4.5.1.1.3. O bode tinha um chifre notável entre os olhos - 8,5b

4.5.1.1.4. O pequeno chifre

4.6. Aninal Terrível - diferente de todos os outros

4.6.1. Império Romano

4.7. O Carneiro e o Bode

4.7.1. Impérios persa e grego

4.7.2. O carneiro de dois chifres

4.7.2.1. representa o império formado por uma coalizão da Média e da Pérsia

4.7.3. o bode

4.7.3.1. representa a Grécia, e o chifre representa Alexandre, o Grande. Após a morte de Alexandre, seu reino foi divido entre seus quatro generais (o chifre se quebra e surgem quatro chifres

4.8. As Setenta Semanas

4.8.1. A gráfico é ilustrativa da visão dispensacionalista, linha interpretativa não adotada pela Igreja Presbiteriana do Brasil,

4.8.2. Na visão de Daniel, após o cativeiro de Judá, passar-se-ão 70 semanas

4.9. Anjos das Nações

4.9.1. Deus revela a Daniel algumas realidades do mundo espiritual.

4.10. Período intertestamentário

4.10.1. Nesse período, muitas mudanças ocorreriam no cenário mundial como preparação para a vinda do Messias.

4.11. Cenário do FIM

4.11.1. tempo de profunda angústia e de grande livramento

4.11.2. Ressurreição final

4.11.3. Recompensa final dos salvos

4.12. O chifre pequeno

5. Conclusão

5.1. Daniel está estritamente ligado com Apocalipse

5.2. Apresentam a luta da igreja através dos séculos para permanecer fiel ao seu Senhor e Salvador

5.3. Narra uma batalha que envolve tanto o mundo físico como o espiritual

5.4. Descrevem a intervenção de Deus na história, pondo fim aos conflitos

5.5. Revelam a herança dos fieis

5.6. Daniel, Hananias, Misael e Azarias são modelos daqueles que levam a sua fé às últimas consequências.

5.7. E você