MATRIZES DA PSICOLOGIA

Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
Rocket clouds
MATRIZES DA PSICOLOGIA por Mind Map: MATRIZES DA PSICOLOGIA

1. Behaviorismo

1.1. Autor principal John Broadus Watson (1878/1958)

1.1.1. Método:utilizando o método do condicionamento operante numa relação de estímulo e resposta, o ensino programado, o controle e a organização das situações de aprendizagem

1.1.1.1. Área de Aplicação: Tem sido amplamente aplicado na educação, principalmente na educação de crianças especiais. Outras áreas têm recebido influências do behaviorismo, como por exemplo, a publicidade. O behaviorismo pode ainda ser aplicado nos setores administrativos, as grandes empresas utilizam os métodos de seleção por competência e seleção pessoal para escolherem seu funcionários.

1.1.2. Descrição: é uma área da psicologia, que tem o comportamento como objeto de estudo. Surgiu como oposição ao funcionalismo e estruturalismo, e é uma das três principais correntes da psicologia, juntamente com a psicologia da forma (Gestalt) e psicologia analítica (psicanálise).

1.2. Objeto: Os principais objetos de estudo são os elementos do comportamento, ou seja, os movimentos musculares do corpo e as secreções musculares. São dois tipos de comportamento existentes: respondente e operante.

1.2.1. Influências: recebeu como influência a Filosofia de René Descartes (1595-1650), com suas explicações mecanicistas para o funcionamento do corpo humano. Também sofreu influências direto dos estudos do comportamento animal realizados durante a primeira década do século XX .

2. Gestalt

2.1. Autores: Max Wertheimer (1880-1943), Wolfgang Köhler (1887-1967) e Kurt Koffka (1886- 1941).

2.1.1. Descrição: Gestalt é uma escola de pensamento que olha para a mente humana e o comportamento como um todo. Ao tentar entender o mundo que nos rodeia, a psicologia da Gestalt sugere que não nos concentramos simplesmente em cada componente pequeno. Em vez disso, nossas mentes tendem a perceber objetos como parte de um todo maior e como elementos de sistemas mais complexos.

2.2. Objeto: estuda as sensações (dado psicológico) de espaço-forma e tempo-forma (o dado físico). O surgimento da Gestalt permitiu que a percepção do ser humano se tornasse um objeto de estudo em psicologia.

2.2.1. Método: utiliza um método descritivo e não explicativo. Onde implica em compreender o indivíduo como um ser único, considerando, então, não somente o seu discurso, o seu corpo ou o seu comportamento, mas todas as manifestações de suas dimensões sensoriais, afetivas, intelectuais, corporais, sociais e espirituais, visando alcançar a totalidade e à singularidade da relação do cliente consigo mesmo e com o mundo, visando alcançar o verdadeiro sentido do seu viver.

2.3. Influências: O filósofo norte-americano William James, foi um dos que influenciaram esta escola, ao considerar que as pessoas não vêem os objetos como pacotes formados por sensações, mas como uma unidade. A percepção do todo é maior que a soma das partes percebidas. Uma outra influência fundamental foi a fenomenologia de Edmund Husserl. A fenomenologia afirma que toda consciência é consciência de alguma coisa. Assim sendo, a consciência não é uma substância, mas uma atividade constituída por atos (percepção, imaginação, especulação, volição, paixão, etc), com os quais visa algo.

2.3.1. Área de aplicação: Encontra-se aplicada em praticamente todas as áreas de atuação do psicólogo. Nascida originalmente como uma proposta de psicoterapia, atualmente encontramos a Gestalt-Terapia não só na psicoterapia individual e de grupo, como também na psicoterapia de casal e família e na psicoterapia de crianças e adolescentes. Fora do âmbito clínico, constatamos a presença da Gestalt-Terapia nas instituições, tais como empresas, escolas e hospitais, no esporte, na saúde mental e em projetos de promoção de saúde e qualidade de vida para a população em geral.

3. Voluntarismo

3.1. Descrição: É à maneira pela qual a mente organiza as experiências por meio de um ato volitivo. Indica a natureza voluntária, determinada e ativa da mente.

3.2. Autor Principal: Wilhelm Maximilian Wundt foi um médico, filósofo e psicólogo alemão. (1832/1920)

3.2.1. Metódo: O método de pesquisa de Wundt para estudar a consciência e a experiência imediata era a Introspecção ou Auto-Observação experimental.

3.3. Influências: Influenciado por Fechner, ele reconhecia que a consciência tinha dois fatores: O conteúdo da experiência (no presente para observador) e o que o observador faz com este conteúdo a Apreensão, interpretação da pessoa que vivencia a experiência.

3.4. Objeto: O objeto de estudo de Wundt era a consciência e a soma total dos fatos ocorridos.

4. Estruturalismo

4.1. Autor Principal: Edward Titchener (1867-1927) foi um psicólogo britânico

4.1.1. Objeto: O método utilizado pelo estruturalismo é o da Introspecção, diferente da introspecção defendida por Wilhelm Wund que enfatizava o todo, Titchener enfatizava as partes. Aintrospecção é definida como um relato verbal baseado na vivencia.

4.2. Descrição: É uma abordagem de pensamento compartilhada pela psicologia, filosofia, antropologia, sociologia e linguística que vê a sociedade e sua cultura formadas por estruturas

4.3. Influências: Edward Tithener foi discípulo de Wundt e desenvolveu o estruturalismo americano na Psicologia. Titchener estudou apenas dois anos com Wundt, entretanto sofreu algumas influências em termos de sua metodologia de ensino, do estilo de se vestir e até mesmo a barba.

4.4. Metódo: O método estruturalista é a análise da realidade social baseado na construção de modelos que expliquem como se dão as relações a partir do que chamam de estruturas.

5. Funcionalismo

5.1. Autor: William James (1842-1910)

5.2. Descrição: Refere-se ao funcionamento da mente e ao uso que o organismo dela faz para adaptar-se ao ambiente.

5.3. Objeto: Uma Nova Concepção da Consciência; O fluxo do pensamento e da consciência.

5.4. Método: A Teoria das emoções: as mudanças corporais são diretamente a percepção do fato excitante, e sentir a emoção que aparece quando ocorrerem alterações. O movimento corporal, em comparação com o anterior estímulo e a emoção é a sua base.

5.5. Influências: influenciada por pensadores como Charles Darwin.

6. Psicanálise

6.1. Autor: Sigmund Freud (1856 / Austria – 1939 /Londres)

6.1.1. Descrição: Psicanálise é um ramo clínico teórico que se ocupa em explicar o funcionamento da mente humana, ajudando a tratar distúrbios mentais e neuroses.

6.2. Objeto: O objeto de estudo da psicanálise é o inconsciente, o que quebra com a tradição da psicologia como ciência da consciência e da razão. Esta linha teórica ousou colocar “processos misteriosos” do psiquismo, as “regiões obscuras”, como é o caso das fantasias, dos sonhos, esquecimentos e outros problemas internos do homem, como problemas científicos.

6.3. Método: Na psicanálise são utilizados dois métodos de análises fundamentais para que o resultado da análise seja positivo. Um são as associações livres ou espontâneas e o outro é análise dos sonhos. As associações espontâneas revelam o que está se passando em nosso inconsciente.

6.3.1. Influências: Sofreu influências de Charles Darwin, que pode-se dizer que foi a peça central para Freud durante a Revolução da Psicanálise.

6.4. Área de aplicação: O psicanalista atua basicamente com três tipos de públicos: individual, grupos e instituições. Nos atendimentos individuais, o foco estará na análise de visão de mundo da pessoa, que deverá ser estimulada ao relato de seus sentimentos, dúvidas e traumas. Nos grupos, o psicanalista deverá trabalhar ideias e relacionar as experiências de cada indivíduo de maneira conciliada. Já nas instituições, o profissional da psicanálise seguirá um plano de atuação, uma vez que estará representando os serviços de uma empresa ou entidade de acordo com seus padrões e políticas.

7. Psicologia Social

7.1. Autor: psicólogo alemão-americano Kurt Lewin (1890 - 1947)

7.1.1. Influência: Sofreu influências do Voluntarismo de Wundt e da psicologia das Massas

7.2. Descrição: É um ramo de estudo da psicologia que se foca na análise do comportamento do indivíduo perante as suas relações sociais. Estuda como as pessoas pensam, influenciam e se relacionam umas com as outras.

7.2.1. Método: Limita-se ao estudo empírico da interação dentro dos grupos. Aqui estão descritos seis dos métodos de pesquisa usado na psicologia social: --> O método de observação / O método Correlacional / A pesquisa de levantamento / Estudo de Campo / Experimento de Campo / Experimento de Laboratório;

7.2.2. Objeto: Quanto ao objeto de estudo, a Psicologia Social Psicológica procura explicar os sentimentos, pensamentos e comportamentos do indivíduo na presença real ou imaginada de outras pessoas. Já a Psicologia Social Sociológica tem como foco o estudo da experiência social que o indivíduo adquire a partir de sua participação nos diferentes grupos sociais com os quais convive.

7.2.2.1. Área de Aplicação: Distingue-se por tomar como objetos as massas ou multidões e fenômenos coletivos, e de técnicas em dinâmica de grupo nas empresas, coletividades ou mesmo na clínica (terapia de grupos). Nessa perspectiva poderemos estabelecer uma sinonímia ou equivalência entre as diversas psicologias que nos apresentam como sociais: comunitária, institucional, dos povos (etnopsicologia), das multidões, dos grupos, etc.