Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
PCCU por Mind Map: PCCU

1. Proteína E6 (HPV): reduz o índice de P53, favorecendo o acúmulo de mutações genômicas.

2. Células Endometriais

2.1. São pequenas, com núcleo pequeno, arredondado ou oval, excêntrico e hipercromático. Possuem tamanho nuclear menor do que as células endocervicais.

3. Ativação da Telomerase: estimulada pela proteína E6, pode estar relacionada com a manutenção da atividade proliferativa das células infectadas.

4. Coleta materiais do: Fundo do saco da vagina; Ectocérvice e; Endocérvice.

5. Metodologia diagnóstica de lesões no colo uterino

6. O método de Papanicoalou evidencia variantes de morfologia, maturação e atividade metabólica celular.

7. A coleta pode ser tripla ou dupla, cuja variante é a análise do fundo do saco da vagina.

8. A JEC (Junção Escamo Colunar) compreende um ponto de transição de um epitélio resistente (Ectocérvice) para uma epitélio mais frágil (Endocérvice), sendo suscetível a infecções, devendo ser analisado no PCCU.

9. Citologia Normal

9.1. Células do Epitélio Escamoso não Queratinizado (Ectocérvice)

9.1.1. Células Basais: camada mais profunda. São pequenas, arredondadas, com núcleo volumoso e central. Principal área de atividade mitótica.

9.1.2. Células Parabasais: São maiores que as Basais, arredondadas, com citoplasma mais abundante.

9.1.3. Células Intermediárias: possuem formato poligonal, citoplasma abundante e núcleo arredondado com cromatina finamente granular.

9.1.3.1. Células Naviculares: tipo especial de células intermediárias que apresentam coloração acastanhada no citoplasma, devido o acúmulo de Glicogênio. Apresenta bordas citoplasmáticas espessas e e núcleo excêntrico.

9.1.4. Células Superficiais: apresentam citoplasma abundante e transparente, o núcleo é pequeno, denso e central.

9.2. Células do Epitélio Glandular Endocervical

9.2.1. Células Endocervicais: composta por epitélio cilíndrico simples, em que 95% são secretoras (produtoras de muco) e 5% são ciliadas.

9.2.1.1. São altas, possuem núcleo redondo ou oval, volumoso, excêntrico com cromatina finamente granular. O citoplasma é delicado e vacuolizado

9.2.1.2. Descamam-se em agrupamentos de células, que podem ser denominados de "favo de mel", quando vistos de cima ou de "paliçada", quando vistas lateralmente.

10. Citologia Inflamatória

10.1. Cervicovaginite

10.1.1. Infecção da vagina e cérvice acompanhada de corrimento, podendo estar presente leucócitos, citólise e agente causal.

10.1.2. Principais alterações celulares: halo perinuclear, vacuolização, apagamento das bordas citoplasmáticas, fagocitose, cariomegalia, cariopicnose, cariorrexe, metaplasia e binucleação/multinucleação.

10.2. Vaginite/Vaginose

10.2.1. Inflamação comum da vagina ocasionada pelo crescimento exagerado de bactérias.

10.2.1.1. Principais agentes: Lactobacilos ou Bacilos de Döderlein; Gardnerella vaginalis; Actinomyces; Leptothrix vaginalis; Candida sp.; Trichomonas vaginalis; Vírus Herpes simplex genitalis.

11. Alterações Celulares Queratócitas

11.1. Hiperqueratose: É representada por escamas anucleadas em número variável. São intensamente eosinofílicas ou orangeofílicas, às vezes apresentando núcleo fantasma.

11.2. Paraqueratose: consiste em queratinização anormal, com persistência dos núcleos no estrato córneo. Aparece como células em miniatura poligonais, arredondadas ou alongadas, com citoplasma denso corado em laranja ou vermelho e núcleos picnóticos. Podem estar dispostas em pequenos conjuntos alongados ou concêntricos (pérolas)

11.3. Pseudoparaqueratose: apresentam citoplasma granular ou vacuolizado. São células orangeofílicas (devido degeneração) pequenas, com núcleos picnóticos.

12. Papiloma Vírus Humano (HPV)

12.1. Vírus que infecta a pele e as mucosas, podendo induzir à formação de tumores benignos e malignos. Os sorotipos 16 e 18 são os mais oncogênicos.

12.2. Proteína P53 (Humana): responsável pelo processo de apoptose.

12.3. Gene pRb: gene supressor de tumor, inibindo a progressão do ciclo celular.

12.4. Medidas profiláticas envolvem a vacinação de meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos, englobando os sorotipos 6, 11, 16 e 18)

12.5. As principais alterações celulares são: Binucleação/Multinucleação e Coilocitose.