Medula Espinal

Comienza Ya. Es Gratis
ó regístrate con tu dirección de correo electrónico
Rocket clouds
Medula Espinal por Mind Map: Medula Espinal

1. Funções da medula

1.1. Receber aferência do tronco encefálico e dos membros;

1.2. Controlar os movimentos;

1.3. Fornecer inervação autônoma para a maioria das visceras;

1.4. Também é responsável pelas funções reflexas. Exemplo: arco-reflexo.

2. Anatomia

2.1. Ocupa o canal vertebral no interior da coluna vertebral, que lhe dá sustentação e proteção.

2.2. Em adultos, a medula termina entre as vertebras lombares L1-L2.

2.3. A medula espinal possui duas intuminescências:

2.3.1. Intuminescência cervical (C4-T1) fornece inervação aos membros superiores através do plexo braquial.

2.3.2. Intuminescência lombossacral (L1-S3) fonece inervação aos membros inferiores através do plexo lombossacral.

2.4. CONE MEDULAR

2.4.1. Abaixo da intuminescência lombossacral a medula se afila formando uma terminação cônica.

3. Nervos espinais

3.1. São 31 pares bilaterais, e cada par está associado a um segmento espinal correspondente

3.2. Os Nervos Espinais são formados por raízes nervosas anteriores e posteriores, se dividindo em ramos posterior e anterior próximo ao seu forame correspondente

3.2.1. A formação dessas raízes se dá por cerca de 6 a 8 fascículos fixados a cada segmento medular, que se juntam para formar as raízes nervosas. Tais raízes são funcionalmente distintas.

3.2.1.1. RAÍZES POSTERIORES: posseuem Neurônios Aferentes Primários, que recebem aferencia dos receptores sensitivos periféricos para a medula espinal e tronco cerebral.

3.2.1.2. RAÍZES ANTERIORES: contém Neurônios Eferentes, compostos de neurônios motores que inervam musculos esqueléticos, e neurônios pré-ganglionares.

3.3. CAUDA EQUINA

3.3.1. São as sucessivas raízes lombares e sacrais que descem abaixo do término da medula espinal em uma disposição em feixe para chegar aos seus respectivos forames.

3.4. FILAMENTO TERMINAL

3.4.1. É a tira de tecido conjuntivo que se estende abaixo do cone medular.

4. Meninges espinais

4.1. Como o encéfalo, a medula possui pia-máter, espaço sobaracnoideo, aracnóide-máter e dura-máter. Para além destas, possui também ramo dorsal, ramo ventral e ligamento denticulado.

4.2. O espaço subaracnóideo contém liquor, e pode ser removido por punção lombar

5. Susbstância cinzenta

5.1. Na medula, a substancia cinzenta é presente no H medular. Nele se encontram corpos celulares, dendritos e sinapses.

5.2. O corno posterior é o local principal de terminação de fibras aferentes primárias. Inclui a substancia gelatinosa.

5.3. O corno lateral contém neurônios simpáticos e pré-ganglionares.

5.4. O corno anterior contém neurônios motores inferiores.

6. Substancia branca e principais tratos da medula

6.1. A substância branca se encontra em volta do H medular. Nela, se encontram tratos ascendentes, funículos e tratos descendentes

6.2. PRINCIPAIS TRATOS ASCENDENTES:

6.2.1. Conduzem informações aferentes para níveis conscientes e subconscientes; as vias para um nível consciente seguem o caminho de três neurônios numa cadeia de recepção periférica ao córtex cerebral.

6.2.2. Funículos grácil e cuneiforme conduzem impulsos de propriocepção e tato discriminativo. Ligam os neurônios de 1ª ordem aos núcleos grácil e cuneiforme do bulbo.

6.2.2.1. Neurônios de 2ª ordem decussam e passam ao tálamo.

6.2.2.1.1. Meurônios de 3ª ordem se projetam ao cortex somatossenssorial.

6.2.3. Tratos espinotalâmicos (anterior e posterior) conduzem impulsos de dor, temperatura, tato e pressão.

6.2.3.1. Contém neurônios de 2ª ordem com corpos celulares no corno posterior. Os axônios decussão e vão ao tálamo.

6.2.3.1.1. Os neurônios de 3ª ordem se projetam ao córtex somatossenssitivo.

6.2.4. Tratos espinocerebelares posterior e anterior contém neurônios de 2ª ordem que conduzem informações musculares, articulares e táteis envolvidas no controle motor.

6.3. PRINCIPAIS TRATOS DESCENDENTES:

6.3.1. Trato corticospinal controla movimentos distintos e de habilidade. Origina-se do cortex motor sensitivo.

6.3.1.1. As fibras descem pela capsula interna, pilares e parte anterior da ponte para chegar à pirâmide. A maioria das fibras decussa para formar o trato corticospinal anterior.

6.3.2. Trato rubrospinal cntrola os musculos flexores dos membros e se origina do nucleo rubro do mesencéfalo.

6.3.2.1. As fibras cruzam na decussação tegmental anterior.

6.3.3. Trato tetospinal está envolvido nas respostas reflexas a aferencias visuais. Origina-se do colículo superior contralateral,

6.3.3.1. Suas fibras cruzam na decussação tegmental posterior.

6.3.4. Tratos vestibulospinais descem dos nucleos vestibulares. O trato lateral se origina do nucleo vestibular lateral e medeia a excitação dos musculos extensores.

6.3.5. Tratos reticulospinais descem da ponte e do bulbo. Estão envolvidos no controle das atividades reflexas, do tônus muscular e de funções vitais.

7. Reflexos espinais

7.1. A organização interna da medula relaciona-se com importantes funções reflexas.

7.2. O reflexo de estiramento monossináptico medeia a contração muscular em resposta ao estiramento de fusus musculares.

7.3. A sensibilidade do reflexo de estiramento é regulada pelos neurônios motores gama, que dão inervação motora para as fibras dos fusos.

7.4. O reflexo de estiramento é responsável pela manutenção do tônus muscular e é clinicamente testado nos reflexos tendíneos.

7.5. O reflexo flexor polissinaptico medeia a retirada do membro de estímulos nocivos.