Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Citologia by Mind Map: Citologia

1. Membrana Plasmática

1.1. A membrana plasmática, membrana celular ou plasmalema é um envoltório fino, poroso e microscópico que reveste as células dos seres procariontes e eucariontes.

1.1.1. É uma estrutura semipermeável, responsável pelo transporte e seleção de substâncias que entram e saem da célula.

2. Funções

2.1. *Permeabilidade Seletiva, controle de entrada e saída de substâncias da célula; *Proteção das estruturas celulares; *Delimitação do conteúdo intracelular e extracelular, garantindo uma solução da célula; ...

3. Composição Lipoproteica

3.1. A plasmática plasmática é quimicamente constituída por lipídios (glicolipídeos, colesterol e os fosfolipídeos) e proteínas. Por isso, é reconhecida por sua composição lipoproteica.

4. Fósfolpídeos

4.1. Os fosfolipídios estão dispostos em uma camada dupla, a bicamada lipídica. Eles estão conectadas às gorduras e proteínas que compõem as membranas celulares. Os fosfolipídios apresentam uma porção polar e outra apolar. A porção polar é hidrofílica e volta-se para o exterior. A porção apolar é hidrofóbica e voltada para o interior da membrana. Os fosfolipídios movem-se, porém, sem perder o contato. Isso permite a flexibilidade e elasticidade da membrana.

5. Proteínas

5.1. As proteínas são representadas por enzimas, glicoproteínas, proteínas transportadoras e antígenos. As proteínas podem ser transmembranas ou periféricas. *Proteínas transmembranas: atravessam a bicamada lipídica lado a lado. *Proteínas periféricas: situam-se em apenas um dos lados da bicamada. As enzimas que estão presentes na membrana plasmática possuem diversas funções catalisadoras, responsáveis por facilitar as reações químicas intracelulares.

6. Transporte de Substâncias

6.1. A membrana atua como um filtro, permitindo a passagem de pequenas quantidades e impedindo ou dificultando a passagem de substâncias de grande porte. Essa propriedade é chamada de Permeabilidade Seletiva. O transporte de substâncias através da membrana plasmática pode ser de modo passivo ou ativo.

7. Transporte Passivo

7.1. O transporte passivo ocorre sem gasto de energia. As substâncias deslocam-se do meio mais concentrado para o menos concentrado. São exemplos: *Difusão Simples - É a passagem de algumas partículas mais concentradas para regiões em que a sua concentração é menor. *Difusão Facilitada - É uma passagem, através da membrana, de substâncias que não são dissolvidas em lipídios, com ajuda das proteínas da bicamada lipídica da membrana. *Osmose - É uma passagem de água de um meio menos concentrado (hipotônico) para outro mais pesado (hipertônico).

8. Transporte Ativo

8.1. O transporte ativo ocorre com gasto de energia (ATP). As substâncias deslocam-se de menor para o de maior concentração. São exemplos: *Transporte em Bloco: Endocitose e Exocitose - Ocorre quando a célula transfere grande quantidade de substâncias para dentro ou para fora do seu meio intracelular. *Bomba de Sódio e Potássio - Passagem de íons sódio e potássio para a célula, devido às diferenças de suas concentrações.

9. Parede Celular

9.1. A parede celular, parede celulósica ou membrana esquelética celulósica, é uma estrutura de celulose resistente e flexível que delimita as organelas celulares numa célula vegetal. Lembre-se que as células vegetais formam os tecidos das plantas. Por sua vez, as células animais não possuem parede celular, cloroplastos e vacúolos.

10. Funções

10.1. As principais funções da parede celular é proporcionar sustentação, resistência e proteção contra patógenos externos. Sendo assim, ela colabora com a absorção, transporte e secreção de substâncias. Além disso, a parede celular funciona como um filtro das células vegetais, já que permite a troca de substâncias entre outras células vizinhas. Ela também protege contra a entrada excessiva de água, evitando assim, a lise osmótica, ou seja, a ruptura da célula. Outra importante função é que a parede celular confere forma as diversas células vegetais.

11. Etrutura

11.1. A parede celular é uma estrutura muito resistente composta por microfibrilas do polissacarídeo chamado celulose. Ela envolve a membrana plasmática e em sua estrutura possui poros que funcionam como filtros em relação ao meio externo.

12. Cassificação

12.1. A parede celular pode ser primária e secundária:

13. Parede Celular Primária

13.1. Parede Celular Primária: são formadas basicamente de celulose, hemicelulose e pectinas. Apesar de fina, ela é resistente e flexível, permitindo assim, o crescimento celular. Possui um teor de água elevado, com cerca de 70%. Nas paredes primárias, as pontes de hidrogênio proporcionam maior elasticidade à estrutura.

14. Parede Celular Secundária

14.1. Parede Celular Secundária: são formadas basicamente de celulose e hemicelulose. Nem todos os organismos vegetais apresentam esse tipo de estrutura. Ela é mais espessa que a primária, além de ser bem resistente uma vez que é composta de lignina. Possui um teor de água menor que a primária, ou seja, de 20%. As paredes secundárias limitam o espaço e conferem maior rigidez.

15. Tipos

15.1. A parede celular está presente nas plantas, algas, fungos e algumas bactérias. Assim, eles diferem um pouco em relação a sua estrutura e composição. *Parede Celular das Plantas: formada por microfibrilas de celulose, a parede celular das plantas possui geralmente uma parede primária e outra secundária. *Parede Celular das Algas: formada por diferentes tipos de celulose como as *paredes de glicoproteínas e polissacarídeos. *Parede Celular dos Fungos: formada por quitina, e nalguns casos, por celulose, a parede celular dos fungos protege esses organizamos contra os invasores. *Parede Celular Bacteriana: formada por peptidoglicano (açúcares ligados a aminoácidos), a parede celular bacteriana é classificada em Gram Positiva e Gram Negativa.

16. Glicocálice

16.1. O glicocálix ou glicocálice é um envoltório externo à membrana plasmática presente em células animais e de alguns protozoários. O glicocálix consiste em uma cobertura de açúcar ligada em proteínas, com espessura de 10 a 20 nm, que envolve a célula e lhe confere proteção. Essa cobertura é constantemente renovada pelas células. O termo glicocálix deriva do grego glykys, açúcar, e do latim calyx, casca. É comum as células apresentarem envoltórios externos à membrana plasmática que possuem funções específicas. Os principais envoltórios são o glicocálix e a parede celular. A parede celular é encontrada em células vegetais, bactérias e fungos.

17. Composição

17.1. O glicocálix é composto por glicolipídios (carboidratos associados com lipídios) e glicoproteínas (carboidratos associados com proteínas), produzidos e renovados pela própria célula.

18. Funções

18.1. Entre as funções do glicocálix estão: *Proteção mecânica e contra agressões químicas e físicas. Por exemplo, o glicocálix das células da mucosa intestinal fazem a proteção contra os efeitos das enzimas digestivas. *O glicocálix confere um microambiente específico para a célula. Por constituir uma espécie de malha que envolve as células, ele retêm substâncias que possam alterar condições naturais de acidez e salinidade. *Um exemplo é o glicocálix das células dos rins, que atua como um filtro, selecionando as substâncias que entram na célula. *Reconhecimento celular, as células iguais apresentam a mesma composição no glicocálix, o que permite que se reconheçam. Isso também favorece a adesão entre as células. *Os oligossacarídeos (união de dois a dez monossacarídeos) presentes no glicocálix das hemáceas determinam os grupos sanguíneos do sistema ABO.