Estrongiloidose

Plan your life and the next important steps and goals to proceed with a happy life

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Estrongiloidose by Mind Map: Estrongiloidose

1. Strongyloides stercoralis

1.1. helminto

1.2. cuticula fina

1.3. Fêmea, filarioide

2. Transmissão

2.1. Larvas filarioides infectantes penetram na pele

2.2. Larvas rabditioides( região perianal) > larvas filarioides e ai penetram exógena

2.3. Larvas rabtidoides( luz intestinal) > larvas filarioides e penetram na mucosa intestinal

2.3.1. Hiperinfecção

2.3.1.1. Fêmeas partenogenéticas nos pulmões ou intestinos e alta disseminação pelos outros orgãos, importante causa de morte HIV

3. Ciclo

3.1. 1 ) Penetração na pele ou mucosas.

3.2. As larvas secretam metaloproteases, penetração

3.3. 2) Atingem circulação e vasos linfáticos.

3.4. 3) Migram para o coração > pulmão

3.5. 4) Capilares (transformam-se) > membrana alveolar

3.5.1. hemorragia, infiltrado inflamatório, Hiperinfecção ( insuficiência pulmonar

3.6. 5) Faringe, deglutição, intestino delgado

3.7. 6) Atingem mucosa duodenal (Lieberkuhn) transformam-se em fêmeas partenogenéticas.

3.7.1. Dor, diarréia, rigidez da mucosa intestinal (irreversível), síndrome ddisentérica com esteatorreia.

3.8. 7) Deposição de ovos

3.9. 8) Larvas rabditoides maturam, alcançam a luz intestinal e são eliminadas

4. Imunidade

4.1. Crônica

4.1.1. IgG,IgA,IgM e IgE

4.2. Disseminada

4.2.1. IgG4

4.3. Geral

4.3.1. Reposta T dependente, predominante Th2

4.3.2. IL-3,4,5,6,10 e 13

4.3.3. IL-5 Eosinófilos

4.3.4. Il6- Granulócitos

5. Patogenia

5.1. disseminada

5.1.1. hematúria, proteinuria, colecistite, liquído no pericárdio, bacteremia, endocardite, meningite.

5.2. crônica

5.2.1. anemia, eosinofilia, sudorese, incontinência urinária, insonia, emagrecimento.

6. Diagnóstico

6.1. Clínico dificultado ( assintomático, comum a outras helmintoses.

6.1.1. Tríade diarréia, dor e iurticária

6.2. Laboratorial

6.2.1. hemograma, exame de fezes( pesquisa de larvas) endoscopia biópsias.

7. Epidemiologia

7.1. Agricultores, hortigranjeiros trabalhadores rurais, viajantes de áreas endêmicas

7.2. Infecção em cães e gatos e macacos

7.3. Condições sanitárias inadequadas, uso de calçados

8. Tratamento

8.1. Tiabendazol

8.1.1. somente sobre as fêmeas partenogenéticas, 50mg/kg 2 vezes ao dia de 2 a 4 dias.

8.2. CAmbendazol

8.2.1. Larvas e femeas

9. BrunoGiacomelli