8. Gerenciamento da qualidade do Projeto

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
8. Gerenciamento da qualidade do Projeto by Mind Map: 8. Gerenciamento da qualidade do Projeto

1. Referências

1.1. Livro : Um guia de conhecimento em gerenciamento de projetos (guia PMBOK)

1.2. Edição: 5º de 2013

1.3. Editora: Library of Congress Cataloging-in-Publication Data

1.4. Publicado por: Project Management Institute, Inc.

2. Glossário

2.1. Qualidade

2.1.1. É o grau em que um conjunto de características inerentes atende aos requisitos (ISO 9000)

2.2. Entrega

2.2.1. Entregar para o cliente final o projeto com todos os requisitos atendidos.

2.3. Grau

2.3.1. É uma categoria atribuída à entregas que têm a mesma utilidade funcional, mas diferentes características técnicas.

2.4. Precisão

2.4.1. É uma medida de exatidão

2.4.1.1. Por exemplo, a grandeza para cada acréscimo à linha numérica da medida é o intervalo que determina a precisão da medida; quanto maior for o número de acréscimos, maior será o grau de precisão

2.5. Exatidão

2.5.1. Avaliação da correção.

2.5.1.1. Por exemplo, se o valor medido de um item estiver muito próximo do valor verdadeiro da característica sendo medida, a medida será mais exata.

2.6. CDQ

2.6.1. Custo de qualidade

2.7. EAP

2.7.1. Estrutura Analítica de Projetos

2.8. EAR

2.8.1. Estrutura analítica de risco

2.9. EAO

2.9.1. Estrutura analítica organizacional

2.10. ANN

2.10.1. Atividade no nó

2.11. ANF

2.11.1. Atividade na flecha

2.12. TMEF

2.12.1. Entre falhas

2.13. TMDR

2.13.1. Tempo médio de reparo

2.14. Ferramenta de qualidades

2.14.1. Técnicas gráficas específicas

2.15. Melhoria contínua

2.15.1. Ciclo PDCA (planejar-fazer-verificar-agir)

3. 8.1 Planejar o gerenciamento da qualidade

3.1. Entradas

3.1.1. Plano de gerenciamento do projeto

3.1.1.1. Usado para desenvolver o plano de gerenciamento de qualidade

3.1.1.2. Linha de base do escopo: Descrição do projeto, as principais entregas do projeto e os critérios de aceitação. EAP e dicionário da EAP

3.1.1.3. Linha de base do cronograma: medidas de desempenho de prazos aceitas

3.1.1.4. Linha de base dos custos: intervalo de tempo aceito sendo usado para medir o desempenho dos custos

3.1.1.5. Outros planos de gerenciamento: contribuem para a qualidade do projeto em geral

3.1.2. Registro das partes interessadas

3.1.2.1. Ajuda a identificar as partes interessadas que têm um interesse específico, ou um impacto na qualidade

3.1.3. Registro dos riscos

3.1.3.1. Contém informações sobre as ameaças e oportunidades que podem afetar os requisitos de qualidade

3.1.4. Documentação dos requisitos

3.1.4.1. Coleta os requisitos que o projeto cumprirá relativos às expectativas das partes interessadas

3.1.4.2. Requisitos do projeto

3.1.4.3. Requisitos de qualidade

3.1.4.4. São usados pela equipe do projeto para planejar como o controle da qualidade será implementado no projeto

3.1.5. Fatores ambientais da empresa

3.1.5.1. Regulamentações de órgãos governamentais

3.1.5.2. Normas, padrões e diretrizes específicos da área de aplicação

3.1.5.3. Condições de trabalho ou operacionais do projeto ou das suas entregas que podem afetar a qualidade do projeto

3.1.5.4. Percepções culturais que podem influenciar as expectativas de qualidade

3.1.6. Ativos de processos organizacionais

3.1.6.1. Políticas, procedimentos e diretrizes organizacionais de qualidade

3.1.6.2. Bancos de dados históricos

3.1.6.3. Lições aprendidas em fases ou projetos anteriores

3.2. Ferramentas e técnicas

3.2.1. Análise de custo-benefício

3.2.1.1. Menos retrabalho

3.2.1.2. Maior produtividade

3.2.1.3. Custos mais baixos

3.2.1.4. Aumento da satisfação das partes interessadas

3.2.1.5. Aumento de lucratividade

3.2.2. Custo da qualidade

3.2.2.1. Inclui todos os custos incorridos durante a vida do produto através de investimentos na prevenção do não-cumprimento dos requisitos

3.2.3. Ferramentas de qualidade básicas

3.2.3.1. Diagramas de causa e efeito

3.2.3.1.1. Diagramas de espinho de peixe

3.2.3.1.2. Diagramas de Ishikawa

3.2.3.2. Fluxogramas

3.2.3.2.1. Mapas de Processo

3.2.3.2.2. Mostram a sequência de etapas

3.2.3.3. Folhas de verificação

3.2.3.3.1. Podem ser usadas como uma lista de verificação durante a coleta de dados

3.2.3.4. Diagramas de Pareto

3.2.3.4.1. Gráficos de barras verticais usados na identificação de algumas fontes críticas .

3.2.3.5. Histogramas

3.2.3.5.1. Gráficos de barras

3.2.3.5.2. descrever a tendência central, o grau de dispersão e o formato de uma distribuição estatística.

3.2.3.6. Gráficos de controle

3.2.3.6.1. Determina se um processo é estável ou se tem um desempenho previsível.

3.2.3.7. Diagramas de dispersão

3.2.3.7.1. Plotam pares ordenados (X, Y)

3.2.3.7.2. Pretendem explicar uma mudança na variável dependente, Y, em relação a uma mudança observada na variável independente correspondente, X.

3.2.4. Benchmarking

3.2.4.1. Comparação de práticas de projetos reais ou planejados com as de projetos comparáveis para identificar as melhores práticas

3.2.4.2. Os projetos que passam pelo benchmarking podem existir dentro de uma organização executora ou fora dela, ou podem estar dentro da mesma área de aplicação

3.2.5. Projeto de experimentos

3.2.5.1. Deve ser usado durante o processo Planejar o gerenciamento da qualidade para determinar o número e o tipo de testes e seu impacto no custo da qualidade

3.2.6. Amostragem estatística

3.2.6.1. A amostragem estatística envolve a escolha de parte de uma população de interesse para inspeção

3.2.6.2. Em algumas áreas de aplicação, pode ser necessário que a equipe de gerenciamento do projeto esteja familiarizada com uma variedade de técnicas de amostragem para garantir que a amostra selecionada realmente represente a população de interesse

3.2.7. Ferramentas adicionais de planejamento da qualidade

3.2.7.1. Brainstorming

3.2.7.2. Análise do campo de força

3.2.7.3. Técnica de grupo nominal

3.2.7.4. Ferramentas de gerenciamento e controle da qualidade

3.2.8. Reuniões

3.2.8.1. As equipes dos projetos fazem reuniões de planejamento para desenvolver o plano de gerenciamento da qualidade

3.3. Saídas

3.3.1. Plano de gerenciamento da qualidade

3.3.1.1. Componente do plano de gerenciamento do projeto

3.3.1.2. Descreve como a equipe de gerenciamento do projeto planeja cumprir os requisitos de qualidade estabelecidos para o projeto

3.3.2. Plano de melhorias no processo

3.3.2.1. Limites do processo

3.3.2.2. Configuração do processo

3.3.2.3. Métricas do processo

3.3.2.4. Metas para melhoria do desempenho

3.3.3. Métricas da qualidade

3.3.3.1. Descreve um atributo de projeto ou produto e como o processo de controle da qualidade o medirá

3.3.3.2. Desempenho dentro do prazo, controle dos custos, frequência de defeitos, taxa de falhas, disponibilidade, confiabilidade e cobertura de testes (Exemplos de métricas)

3.3.3.3. A tolerância define as variações aceitáveis na métrica

3.3.3.4. A medição é um valor real

3.3.4. Listas de verificação da qualidade

3.3.4.1. Usada para verificar se um conjunto de etapas necessárias foi executado

3.3.4.2. As listas de verificação da qualidade devem incorporar os critérios de aceitação incluídos na linha de base do escopo

3.3.5. Atualizações nos documentos do projeto

3.3.5.1. Registro das partes interessadas

3.3.5.2. Matriz de responsabilidades

3.3.5.3. EAP e o dicionário da EAP

4. 8.3 Controlar a qualidade

4.1. Benefícios

4.1.1. 1) identificar as causas da baixa qualidade do processo ou do produto e tomar medidas para eliminá-las.

4.1.2. 2) validar a conformidade das entregas e do trabalho do projeto com os requisitos necessários à aceitação final especificados pelas principais partes interessadas.

4.2. Entradas

4.2.1. 1 Plano de gerenciamento do projeto

4.2.1.1. Descreve como o controle da qualidade será realizado no projeto.

4.2.2. 2 Métricas da qualidade

4.2.2.1. Descreve um atributo do projeto ou do produto e como ele será medido

4.2.2.2. Pontos de função,

4.2.2.3. Tempo médio

4.2.2.4. Entre falhas (TMEF),

4.2.2.5. Tempo médio de reparo (TMDR)

4.2.3. 3 Listas de verificação da qualidade

4.2.3.1. São listas estruturadas para verificar se o trabalho do projeto e suas entregas cumprem um conjunto de requisitos

4.2.4. 4 Dados de desempenho do trabalho

4.2.4.1. Desempenho técnico planejado versus real

4.2.4.2. Desempenho dos prazos planejados versus reais

4.2.4.3. Desempenho dos custos planejados versus reais.

4.2.5. 5 Solicitações de mudança aprovadas

4.2.5.1. Podem incluir modificações tais como reparos de defeitos, revisão dos métodos de trabalho e revisão do cronograma

4.2.5.2. A implementação oportuna das mudanças aprovadas precisa ser verificada.

4.2.6. 6 Entregas

4.2.6.1. Produto

4.2.6.2. Resultado

4.2.6.3. Capacidade exclusiva e verificável que resulta em uma entrega validade.

4.2.7. 7 Documentos do projeto

4.2.8. 8 Ativos de processos organizacionais

4.2.8.1. Acordos,

4.2.8.2. Relatórios de auditoria da qualidade e registros das mudanças apoiados por planos de ação corretiva,

4.2.8.3. Planos de treinamento e avaliações da eficácia, e

4.2.8.4. Documentos dos processos tais como os obtidos usando as sete ferramentas de qualidade básicas

4.2.8.5. Ferramentas de gerenciamento e controle da qualidade

4.3. Ferramentas e técnicas

4.3.1. 1 Sete ferramentas básicas da qualidade

4.3.2. 2 Amostragem estatística

4.3.3. 3 Inspeção

4.3.3.1. É o exame de um produto de trabalho para determinar se o mesmo está em conformidade com os padrões documentados

4.3.3.2. Revisões

4.3.3.3. Revisões por pares

4.3.3.4. Auditorias

4.3.3.5. Homologações

4.3.3.6. As inspeções também são usadas para validar os reparos dos defeitos.

4.3.4. 4 Análise das solicitações de mudanças aprovadas

4.3.4.1. Devem ser analisadas para verificar se foram implementadas como aprovadas.

4.4. Saídas

4.4.1. 1 Medições de controle da qualidade

4.4.1.1. Resultados das atividades de controle da qualidade

4.4.2. 2 Alterações validadas

4.4.2.1. Itens são inspecionados

4.4.2.2. Podem ser aceitos ou rejeitados

4.4.2.3. Itens rejeitados podem exigir o retrabalho

4.4.3. 3 Entregas validadas

4.4.3.1. Determinar a correção de entregas

4.4.3.2. As entregas verificadas são uma entrada para o processo.

4.4.3.2.1. Validar o escopo para a obtenção do aceite formal.

4.4.4. 4 Informações sobre o desempenho do trabalho

4.4.4.1. Desempenho coletados de vários processos de controle

4.4.4.2. informações sobre o cumprimento dos requisitos do projeto.

4.4.4.2.1. Retrabalho exigido

4.4.4.2.2. Causas das rejeições

4.4.4.2.3. Necessidade de ajustes nos processos.

4.4.5. 5 Solicitações de mudança

4.4.5.1. Se as ações corretivas exigir uma modificação

4.4.5.2. Deve sere iniciada de acordo com o processo Realizar o controle integrado de mudanças.

4.4.6. 6 Atualizações no plano de gerenciamento do projeto

4.4.6.1. Incluem mas não estão limitadas

4.4.6.1.1. Plano de gerenciamento da qualidade (Seção 8.1.3.1), e

4.4.6.1.2. Plano de melhorias no processo (Seção 8.1.3.2).

4.4.7. 7 Atualizações nos documentos do projeto

4.4.7.1. Incluem mas não estão limitado

4.4.7.1.1. Padrões de qualidade;

4.4.7.1.2. Acordos;

4.4.7.1.3. Relatórios de auditorias de qualidade e registros de mudanças apoiados por planos de ação corretiva;

4.4.7.1.4. Planos de treinamento e avaliações de eficácia;

4.4.7.1.5. Documentos dos processos, tais como informações obtidas através do uso das sete ferramentas de

4.4.8. 8 Atualizações nos ativos de processos organizacionais

4.4.8.1. Documentação de lições aprendidas

4.4.8.2. Listas de verificação concluídas

5. 8.2 Realizar a garantia da qualidade

5.1. Entradas

5.1.1. Plano de gerenciamento da qualidade

5.1.1.1. Descreve como as políticas de qualidade de uma organização serão implementadas

5.1.1.2. Descreve como a equipe de gerenciamento do projeto planeja cumprir os requisitos de qualidade estabelecidos para o projeto

5.1.1.3. Pode ser formal ou informal, detalhado ou estruturado em termos gerais

5.1.1.4. Os requisitos do projeto determinam os estilo e os detalhes

5.1.2. Plano de melhorias do processo

5.1.2.1. Auxiliar ou componente do plano acima

5.1.2.2. Detalha as etapas de análise dos processos e desenvolvimento de produtos para identificar as atividades que aumentam o seu valor

5.1.2.3. Limites do processo

5.1.2.3.1. Finalidade do processo, seu inicio e fim, entradas e saídas, responsável e partes interessadas

5.1.2.4. Configuração do processo: Representação gráfica dos processos

5.1.2.5. Métricas do processo:

5.1.2.5.1. Permite a análise da eficiência do projeto

5.1.2.6. Metas para melhoria do desempenho:

5.1.2.6.1. Orientam as atividades de melhorias no processo

5.1.3. Métricas de qualidade

5.1.3.1. Descreve um atributo de projeto ou produto e como o processo de controle da qualidade o medirá

5.1.3.2. A medição é um valor real

5.1.3.3. A tolerância define as variações aceitáveis na métrica

5.1.3.4. Exemplos

5.1.3.4.1. Desempenho dentro do prazo

5.1.3.4.2. Controle dos custos

5.1.3.4.3. Frequência dos defeitos

5.1.3.4.4. Taxa de falhas

5.1.3.4.5. Disponibilidade

5.1.3.4.6. Confiabilidade

5.1.3.4.7. Cobertura de Testes

5.1.4. Medições do controle da qualidade

5.1.4.1. Usadas para analisar e avaliar a qualidade dos processos do projeto em relação aos padrões da organização executora ou os requisitos especificados

5.1.4.2. Podem comparar os processos usados para criar as medidas e validar as medidas atuais para determinar seu nível de correção

5.1.5. Documentos do projeto

5.1.5.1. Podem influenciar o trabalho de garantia da qualidade e devem ser monitorados dentro do contexto de um sistema para o gerenciamento de configuração

5.2. Ferramentas e técnicas

5.2.1. Ferramentas de gerenciamento e controle da qualidade

5.2.1.1. Diagramas de afinidades

5.2.1.1.1. Gera ideias que podem ser conectadas para formar padrões organizados de pensamento sobre um problema.

5.2.1.2. Gráfico do programa do processo de decisão

5.2.1.2.1. Usado para a compreensão de uma meta em relação às etapas envolvidas em alcançá-la.

5.2.1.2.2. GPPD é útil como um método para o planejamento de contingências

5.2.1.3. Diagramas de inter-relacionamento

5.2.1.3.1. Fornecem um processo criativo de solução de problemas em cenários moderadamente complexos.

5.2.1.4. Diagramas de árvore

5.2.1.4.1. Usados para representar hierarquias de decomposição

5.2.1.5. Matriz de priorização

5.2.1.5.1. Identificar as principais questões e alternativas adequadas a serem priorizadas como um conjunto de decisões para implementação.

5.2.1.6. Diagramas de rede das atividades

5.2.1.6.1. Diagrama de Flechas

5.2.1.6.2. Formatos

5.2.1.7. Diagramas matriciais

5.2.1.7.1. Uma ferramenta de gerenciamento e controle de qualidade usada para executar a análise dos dados dentro da estrutura organizacional criada em matriz.

5.2.2. Auditorias de qualidade

5.2.2.1. Revisão estruturada e independente para determinar se as atividades do projeto estão cumprindo as políticas, os processos e os procedimentos da organização e do projeto

5.2.2.2. Objetivos

5.2.2.2.1. identificar todas as boas e melhores práticas sendo implementadas

5.2.2.2.2. Identificar todas as não conformidades, lacunas e deficiências

5.2.2.2.3. Compartilhar as boas práticas introduzidas ou implementadas em projetos similares na organização e/ou no setor

5.2.2.2.4. Oferecer apoio proativo de forma positiva para melhorar a implementação de processos, a fim de ajudar a equipe a aumentar a produtividade

5.2.2.2.5. Destacar as contribuições de cada auditoria no repositório de lições aprendidas da organização

5.2.3. Análise de processo

5.2.3.1. Segue as etapas descritas no plano de melhorias no processo para identificar as melhorias necessárias

5.2.3.2. Examina os problemas ocorridos, as restrições encontradas e as atividades sem valor agregado identificadas durante a operação dos processos

5.2.3.3. Inclui a análise de causa-raiz, uma técnica específica para identificar um problema, descobrir as causas subjacentes que levaram a ele e desenvolver ações preventivas

5.3. Saídas

5.3.1. Solicitações de mudança

5.3.1.1. As solicitações de mudança são usadas para adotar ações corretivas ou preventivas, ou para realizar o reparo dos defeitos

5.3.2. Atualizações no plano de gerenciamento do projeto

5.3.2.1. Plano de gerenciamento da qualidade

5.3.2.2. Plano de gerenciamento do escopo

5.3.2.3. Plano de gerenciamento do cronograma

5.3.2.4. Plano de gerenciamento dos custos

5.3.3. Atualizações nos documentos do projeto

5.3.3.1. Relatórios de auditorias de qualidade

5.3.3.2. Planos de treinamento

5.3.3.3. Documentação dos processos

5.3.4. Atualizações nos ativos de processos organizacionais

5.3.4.1. Padrões de qualidade da organização

5.3.4.2. Sistema de gerenciamento da qualidade

6. Introdução

6.1. Gerenciamento da qualidade de projetos

6.1.1. Inclui

6.1.1.1. Processos

6.1.1.2. Atividades

6.1.1.3. Organização executora.

6.1.1.3.1. Determinam

6.1.1.3.2. Satisfazendo às necessidades para as quais foi empreendido.

6.1.2. Aborda

6.1.2.1. Gerenciamento do projeto e suas entregas.

6.1.2.1.1. As medidas e técnicas de qualidade são específicas do tipo de entrega produzida pelo projeto.

6.1.2.1.2. Cumprir requisitos dos clientes sobrecarregando a equipe.

6.1.2.1.3. O gerente de projetos e a equipe

6.2. Todo projeto deve seguir um plano de gerenciamento de qualidade!

6.2.1. As abordagens modernas de buscam minimizar a variação e entregar resultados que cumpram os requisitos definidos.

6.2.1.1. Satisfação do cliente

6.2.1.2. Prevenção ao em vez de inspeção

6.2.1.3. Melhoria continua

6.2.1.3.1. PDCA (planejar-fazer-verificar-agir)

6.2.1.4. Responsabilidade da gerência

6.2.1.5. Custo da qualidade

6.3. Visão geral dos processos de gerenciamento da qualidade do projeto.

6.3.1. Planejar o gerenciamento.

6.3.1.1. Identificar os requisitos

6.3.1.2. Identificar padrões de qualidade e de entrega.

6.3.2. Realizar a garantia de qualidade.

6.3.2.1. Auditoria de requisitos de qualidade.

6.3.2.2. Auditoria de resultados das medições de controle de qualidade.

6.3.3. Realizar o controle de qualidade.

6.3.3.1. Monitoramento

6.3.3.2. Registro de resultados

6.3.3.3. Recomendação das mudanças necessárias