Raízes e história do pensamento na gestão www.vascomarques.net

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Raízes e história do pensamento na gestão www.vascomarques.net by Mind Map: Raízes e história do pensamento na gestão www.vascomarques.net

1. A escola Comportamental ou das relações humanas

1.1. Elton Mayo e a experiência de Hawthorne

1.1.1. O trabalho é uma actividade de grupo

1.1.2. O mundo social do adulto tem as principais referências no trabalho

1.1.3. A necessidade de reconhecimento, estabilidade e sentido de grupo é mais importante na determinação da produtividade do que as condições físicas em que trabalha

1.1.4. Uma queixa não é necessariamente uma récita dos factos. É frequentemente um sintoma de perturbação da posição de um indivíduo

1.1.5. Um trabalhador é uma pessoa cujas atitudes e eficiência são condicionadas por pressões sociais dentro e fora da empresa

1.1.6. Os grupos de trabalho informais detêm uma grande influência social sobre os hábitos de trabalho e as atitudes do trabalhador

1.1.7. A mudança de uma sociedade estabelecida em casa para uma sociedade adaptável na empresa tende a perturbar a organização social da mesma

1.1.8. A colaboração em grupo não acontece por acidente. Se a colaboração em grupo foi atingida, as relações humanas numa empresa podem atingir uma coesão que resista às perturbações da sociedade adaptável.

1.2. A hierarquia das necessidade de Maslow

1.2.1. necessidades fisiológicas

1.2.2. necessidades de segurança

1.2.3. necessidades sociais

1.2.4. necessidades de estima

1.2.5. necessidades de actualização

1.2.6. Peter Drucker diz que a satisfação da necessidade diminui de importância à medida que esta é satisfeita mas a sua não satisfação aumenta de importância

1.3. higiene e motivação de Herzberg

1.3.1. higiene

1.3.1.1. A companhia

1.3.1.2. As suas políticas e administração

1.3.1.3. O tipo de supervisão no trabalho

1.3.1.4. As condições de trabalho

1.3.1.5. As relações inter-pessoais

1.3.1.6. O salário

1.3.1.7. O status

1.3.1.8. A estabilidade

1.3.2. motivação

1.3.2.1. A realização

1.3.2.2. O reconhecimento

1.3.2.3. O progresso na carreira

1.3.2.4. O interesse no trabalho

1.4. X e Y de Mac Gregor

1.4.1. X

1.4.1.1. trabalhador tem falta de ambição

1.4.1.2. egocêntrico

1.4.1.3. indiferente ao bem estar da organização

1.4.1.4. evita todo o esforço

1.4.1.5. os empregados não são capazes de assumir responsabilidades

1.4.1.6. preferem ser dirigidos

1.4.1.7. valorizam a estabilidade oferecida pela controlo apertado

1.4.2. Y

1.4.2.1. não necessitam de coação para trabalharem

1.4.2.2. auto-controlo

1.4.2.3. auto-direccionamento

1.4.2.4. as pessoas procuram activamente responsabilidades

1.5. Rensis Likert

1.5.1. Sistemas de Organização

1.5.1.1. exploradores-autoritários

1.5.1.2. benevolentes-autoritários

1.5.1.3. Sistema Consultivo

1.5.1.4. Grupo / Participativo

1.5.2. Para converter uma organização, 4 caracteristicas de gestão

1.5.2.1. A motivação para trabalhar deve ser estabelecida por princípios e técnicas modernas, e não pelo velho sistema de recompensa e ameaça

1.5.2.2. Os empregados devem ser vistos como pessoas com necessidades,desejos e valores próprios e a sua auto confiança deve ser mantida ou melhorada

1.5.2.3. deve formar-se uma organização coesa de grupos e trabalho altamente eficientes, empenhados na obtenção dos objectivos da organização

1.5.2.4. As relações pessoais dentro de cada grupo devem ser de apoio e caracterizam-se pelo respeito múto

2. Integração das três abordagens

2.1. abordagem sistemática ou contigencial

2.2. Teoria de sistemas

2.2.1. Subsistema psico-social

2.2.2. Subsistema de informação

2.2.3. subsistema de gestão

2.2.4. Subsistema técnico

3. Investigação Operacional

3.1. foco na tomada de decisão

3.2. confiança nos critérios de eficiência económica

3.3. confiança nos modelos matemáticos formais, com exigências de repetibilidade evidentes

3.4. Dependência dos sistemas de informação, pela complexidade dos dados envolvidos

3.5. Algumas das ferramentas utilizadas são

3.5.1. modelos matemáticos

3.5.2. programação linear

3.5.3. PERT

3.5.4. Simulações

3.5.5. Gestão de filas de espera

3.5.6. Análise de tendências

4. Tendências contemporâneas

4.1. Tom Peters

4.2. Robert Waterman

4.3. Michael Porter

5. A escola clássica

5.1. Adam Smith

5.1.1. divisão do trabalho aumenta a produtividade

5.1.1.1. Os trabalhadores especializam-se numa tarefa

5.1.1.2. Poupa-se tempo ao evitar que o trabalhador mude de trabalho

5.1.1.3. Mais máquinas surgirão que libertarão mais tempo aos trabalhadores

5.2. A Gestão Científica de Taylor

5.2.1. definição clara da autoridade

5.2.2. responsabilidade

5.2.3. separação do planeamento e das operações

5.2.4. esquemas de incentivos para os trabalhadores

5.2.5. gestão da excepção

5.2.6. especialização de tarefas

5.3. Harrington Emerson

5.3.1. fazer análises científicas, objectivas e factuais

5.3.2. definir objectivos a atingir, relacionar as partes com o todo

5.3.3. padronizar métodos e procedimentos

5.3.4. recompensar as pessoas pela boa execução

5.4. Frank e Lillian Gilbert

5.5. Gantt

5.5.1. pioneiro no controle estatístico da produção

5.6. Henry Fayol

5.6.1. Especialização e divisão do trabalho

5.6.2. Unidade de comando - 1 superior

5.6.3. Ligação da autoridade à responsabilidade

5.6.4. Um sistema razoável de disciplina

5.6.5. Unidade de direcção

5.6.6. Uitlização de diagramas organizacionais e descrição de lugares

5.6.7. Criação de grupos de trabalho estáveis e estabilidade de emprego

5.7. Max Weber

5.7.1. numa borocracia existem regras escritas, procedimentos estabelecidos e uma completa separação entre o controlo operacional e o estabelecimento de políticas

5.8. Mary Parker Follet

5.8.1. percursora da escola comportamental