Técnico em Agropecuária IFCE/TAUÁ

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Técnico em Agropecuária IFCE/TAUÁ by Mind Map: Técnico em Agropecuária IFCE/TAUÁ

1. Objetivos

1.1. Geral

1.1.1. Formar sujeitos críticos e reflexivos, articulando os conhecimentos científicos de base comum com os conhecimentos técnico profissional para atuar na sociedade e com habilidades profissionais para desempenhar atividades técnicas na área de Agropecuária, atendendo à demanda produtiva local e contribuindo para o desenvolvimento econômico e social.

1.1.1.1. Objetivos Específicos

1.1.1.1.1. Promover o desenvolvimento integral em seus aspectos físicos, psicológicos, intelectual, político e social;

1.1.1.1.2. Promover o desenvolvimento da capacidade de resolver problemas e trabalhar em equipe;

1.1.1.1.3. Criar condições dos estudantes ingressarem no mercado de trabalho e no ensino superior;

1.1.1.1.4. Incentivar o protagonismo juvenil para a participação e intervenção social;

1.1.1.1.5. Oportunizar condições para a construção de competências necessárias para o desenvolvimento eficiente e eficaz das habilidades inerentes ao Técnico em Agropecuária;

2. Acesso

2.1. O acesso ao Curso Técnico Integrado em Agropecuária dar-se-á por meio de processo seletivo, aberto ao público, para candidatos que tenham concluído o Ensino Fundamental

3. Organização Curricular

3.1. Matriz Curricular

3.1.1. Base Nacional Comum

3.1.1.1. Matemática

3.1.1.2. Português

3.1.1.3. Inglês

3.1.1.4. Espanhol

3.1.1.5. Filosofia

3.1.1.6. Sociologia

3.1.1.7. Física

3.1.1.8. Química

3.1.1.9. Biologia

3.1.1.10. Artes

3.1.1.11. História

3.1.1.12. Geografia

3.1.1.13. Educação Física

3.1.1.14. Redação

3.1.1.15. Literatura

3.1.2. Base Técnica

3.1.2.1. Olericultura

3.1.2.2. Forragicultura, alimentos e alimentação animal

3.1.2.3. Ciências do Solo

3.1.2.4. Apicultura e Meliponicultura

3.1.2.5. Administração rural

3.1.2.6. Controle de qualidade

3.1.2.7. Mecanização agrícola

3.1.2.8. Manejo integrado de pragas e doenças

3.1.2.9. Produção de ruminantes

3.1.2.10. Agroindústria

3.1.2.11. Culturas anuais

3.1.2.12. Extensão rural

3.1.2.13. Topografia

3.1.2.14. Irrigação e drenagem

3.1.2.15. Produção de Monogástricos

3.1.2.16. Fruticultura

3.1.2.17. Agroecologia

3.1.3. Base Diversificada

3.1.3.1. Introdução à Agropecuária

3.1.3.2. Empreendedorismo

3.1.3.3. Informática básica

3.1.3.4. Língua Espanhola

3.1.3.5. Responsabilidade Social e Meio Ambiente

4. Metodologia de Ensino

4.1. As metodologias de ensino adotadas pelo curso devem priorizar as práticas pedagógicas que valorizem:

4.1.1. As capacidades e os conhecimentos prévios dos discentes, podendo estes ser observados pelos professores durante os primeiros dias de aula em avaliação diagnóstica da aprendizagem;

4.1.2. As capacidades e a progressiva autonomia dos discentes com necessidades específicas;

4.1.3. Os valores e a concepção de mundo dos discentes;

4.1.4. Os diferentes ritmos de aprendizagem dos discentes, para que possam ser traçadas estratégias de forma mais consciente visando à superação e ou minimização de possíveis dificuldades de aprendizagem;

4.1.5. A relação teoria-prática como forma de contribuir na facilitação da aprendizagem dos estudantes, bem como propiciar-lhes a aquisição de conhecimentos sólidos;

4.1.6. A cultura específica dos discentes, referente a seu pertencimento social, étnico-racial, de gênero, etário, religioso e de origem (urbano ou rural). Tais aspectos podem ser trabalhados no dia a dia de sala de aula independentemente das disciplinas, como por exemplo, no desenvolvimento da relação professor-aluno e na postura docente diante dos diversos comportamentos apresentados em sala de aula. A questão cultural citada neste tópico poderá ser trabalhada também por meio da interdisciplinaridade e/ou transversalidade;

4.1.7. O trabalho coletivo entre docentes e equipe pedagógica, por meio da realização das atividades a saber: a realização de eventos socioculturais e científicos; a realização de acompanhamento individual do desempenho da aprendizagem dos alunos; a realização de conselhos de classe (ver fundamentação sobre conselhos de classe nos anexos); a realização de trabalho de acompanhamento do aluno via família, entre outros que a equipe julgar necessário;

4.1.8. O diálogo entre instituição e comunidade, na tentativa de estreitar a relação entre família, alunos e escola, valorizando a credibilidade da instituição e fortalecendo a parceria entre a família e o IFCE;

4.1.9. O uso das TICs, inclusive, podendo destinar-se até 20% (vinte por cento) da carga horária do curso para atividades não presenciais, desde que haja suportes tecnológicos, didáticos, profissionais e materiais, garantindo o atendimento aos alunos por docentes capacitados pela instituição para atuar na modalidade, a fim de que os alunos possam se familiarizar com o ensino à distância promovido pelo IFCE.

5. Avaliação da Aprendizagem

5.1. A avaliação será processual e contínua, com a predominância dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados parciais sobre os obtidos em provas finais, em conformidade com o artigo 24, inciso V, alínea a, da LDB 9.394/96. O processo de avaliação será orientado pelos objetivos definidos nos Programas de Unidade Didática – PUDs do curso, na perspectiva de contribuir incessantemente para a efetiva aprendizagem do aluno

5.1.1. Pensando numa conjugação de instrumentos que permitam captar melhor as diversas dimensões dos domínios da competência (habilidades, conhecimentos gerais, atitudes e conhecimentos técnicos específicos), referendam-se alguns instrumentos e técnicas:

5.1.1.1. Trabalho de pesquisa/projetos

5.1.1.2. Observação da resolução de problemas relacionados ao trabalho em situações similares ou reais -

5.1.1.3. Análise de casos

5.1.1.4. Prova escrita ou oral e prática

6. Avaliação dos professores e do Curso

6.1. O processo de avaliação do curso acontece a partir da legislação vigente, das avaliações feitas pelos discentes, pelas discussões empreendidas nas reuniões de coordenação, nas reuniões gerais e de conselho de classe, sob a supervisão da Direção de Ensino, ao longo do percurso formativo. Nesse sentido, o Campus Tauá adota os seguintes instrumentais de avaliação:

6.1.1. Avaliação docente

6.1.2. Avaliação Institucional

7. Instalações e Equipamentos

7.1. Laboratórios

7.1.1. Informática

7.1.2. Física

7.1.3. Produção animal, vegetal e agroindustrial

7.2. Recursos

7.2.1. Computador para uso dos alunos

7.2.2. Televisor

7.2.3. Retroprojetores

7.2.4. Data Show

7.2.5. Flip-Shart

7.2.6. Monitor para videoconferência

7.2.7. Filmadora Digital

7.3. Biblioteca

7.4. Cantinas

7.5. Quadra esportiva coberta

7.6. Sala de videoconferência

7.7. Auditório

7.8. Salas de aulas para o curso

8. Perfil do pessoal docente e Técnicos

8.1. Docentes

8.1.1. Doutores - 5

8.1.2. Mestres - 18

8.1.3. Especialistas - 2

8.1.4. Graduado -1

8.2. Técnicos

8.2.1. Ensino Médio - 6

8.2.2. Graduação - 9

8.2.3. Especialização - 15

8.2.4. Mestrado - 3

9. Perfil do Egresso

9.1. O Campus Tauá deseja formar um técnico consciente da responsabilidade que a sua formação lhe confere, exercendo as suas atividades de forma criativa, fundamentado num comportamento ético, atualizado, de forma a enfrentar desafios na sua área de atuação, como um empreendedor. Assim sendo o egresso deverá:

9.1.1. Planejar, executar, acompanhar e fiscalizar todas as fases dos projetos agropecuários;

9.1.2. Administra propriedades rurais;

9.1.3. Elaborar, aplicar e monitorar programas preventivos de sanitização na produção animal, vegetal e agroindustrial;

9.1.4. Fiscalizar produtos de origem vegetal, animal e agroindustrial;

9.1.5. Realizar medição, demarcação e levantamentos topográficos rurais

9.1.6. Atuar em programas de assistência técnica, extensão rural e pesquisa.